Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos como "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
Avatar do usuário
Por Claritata
#57722
Atualmente, as denúncias de assédio sexual no mundo vem aumentando, sendo alarmante o número de casos, tendo como exemplo o ocorrido com Mariana Ferrer, em Florianópolis, a qual foi abusada, decidiu prestar queixar, possuindo várias provas contra seu violentador, o empresário André Aranha, que foi inocentado por falta de evidências. Tendo em vista essa realidade, é preciso debater a quantidade abrangente de feitos como este e a falta de conscientização da gravidade desta questão.
Em primeiro lugar, a preocupante quantia de ocorrências de violação sexual é ainda, um problema longe de ser resolvido, devido a "cultura" de que é algo normal, mas que não atinge apenas mulheres, mas crianças de ambos os sexos, e muitas vezes em locais considerados seguros, como em casa ou no emprego. De acordo com uma pesquisa do LinkedIn (aplicativo para vagas de serviços) metade das mulheres sofreram assédio no local de trabalho, pois são vistas como vulneráveis e inferiores, uma ideologia antiquada que a sociedade ainda se "prende".
Em segundo lugar, hoje em dia a falta de um entendimento aprofudado em relação a isto pode atrasar a solução de tal problemática, pois casos de perturbação com intuito carnal podem ser omitidas e mal interpretadas pela própria vítima, que muitas vezes se sente culpada, envergonhada e com medo, visto que não reconhece a a sua inocência, pelo contrário, falas como "com essa roupa curta está pedindo" ou "não tomou cuidado" recorrentes na população, só reforçam o sentimento de culpa, e de defesa ao aproveitador, que saí muitas vezes ileso da situação e que continua livre parar praticar tal crime.
Diante de tais fatos, medidas precativas de conscientização devem ser tomadas para a saúde física e mental dos pacientes. Tendo iniciativa dentro das escolas com palestras educativas feitas por profissionais em piscologia e pedagogia promovidas pelo ministério da saúde para alunos e pais sobre a consequência de não informar sobre o acontecimento as autoridades e sobre a mudança prejudicial na vida de seu filhos. Também com métodos mais eficazes de verificação contra crimes por impertinência, e punições mais adequadas e rígidas, preparadas pelo ministério da justiça, para que seja feito o possível para minimizar tais incidentes.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 100

Você atingiu aproximadamente 50% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra domínio mediano da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro, com alguns desvios gramaticais e de convenções da escrita, ou seja, apresenta um texto com estrutura sintática mediana para o grau de escolaridade exigido, porém com alguns desvios morfossintáticos, de pontuação, de grafia ou de emprego do registro adequado ao tipo textual.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 100

Você atingiu aproximadamente 50% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação previsível e apresenta domínio mediano do texto dissertativo-argumentativo, com proposição, argumentação e conclusão. Com essa pontuação, ou o tema da redação é desenvolvido adequadamente, porém de forma previsível, com pouco avanço em relação ao senso comum ou, embora o texto demonstre domínio adequado do tipo textual exigido, a progressão textual apresenta algum problema.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 100

Você atingiu aproximadamente 50% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema, mas limitados aos argumentos dos textos motivadores e pouco organizados, ou seja, os argumentos estão pouco articulados, além de relacionados de forma pouco consistente ao ponto de vista defendido.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 160

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante articula as partes do texto com poucas inadequações e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 100

Você atingiu aproximadamente 50% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante elabora, de forma mediana, pouco consistente, proposta de intervenção relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto.

Avatar do usuário
Por Geralcinoj
#57827
CORREÇÃO (X)

Atualmente, as denúncias de assédio sexual no mundo vêm(1) aumentando, sendo alarmante o número de casos, tendo como exemplo o ocorrido com Mariana Ferrer, em Florianópolis, a qual foi abusada, decidiu prestar queixa, possuindo várias provas contra seu violentador, o empresário André Aranha, que foi inocentado por falta de evidências. Tendo em vista essa realidade, é preciso debater a quantidade abrangente de feitos como este e a falta de conscientização da gravidade desta questão.
Em primeiro lugar, a preocupante quantia de ocorrências de violação sexual é ainda(!) um problema longe de ser resolvido, devido a "cultura"(2) de que é algo normal, mas que não atinge apenas mulheres, mas crianças de ambos os sexos(!) e muitas vezes em locais considerados seguros, como em casa ou no emprego. De acordo com uma pesquisa do LinkedIn (aplicativo para vagas de serviços),(3) metade das mulheres sofreram assédio no local de trabalho, pois são vistas como vulneráveis e inferiores, uma ideologia antiquada que a sociedade ainda se "prende".(4)
Em segundo lugar, hoje em dia a falta de um entendimento aprofundado em relação a isto pode atrasar a solução de tal(5) problemática, pois casos de perturbação com intuito carnal podem ser omitidas e mal interpretadas pela própria vítima, que muitas vezes se sente culpada, envergonhada e com medo, visto que não reconhece a sua inocência, pelo contrário, falas como(6) "com essa roupa curta está pedindo" ou "não tomou cuidado" recorrentes na população, só reforçam o sentimento de culpa, e de defesa ao aproveitador, que saí muitas vezes ileso da situação e que continua livre parar praticar tal crime.
Diante de tais fatos, medidas precativas(7) de conscientização devem ser tomadas para a saúde física e mental dos pacientes. Tendo iniciativa dentro das escolas com palestras educativas feitas por profissionais em psicologia e pedagogia promovidas pelo Ministério da Saúde(8) para alunos e pais sobre a consequência de não informar sobre o acontecimento as autoridades e sobre a mudança prejudicial na vida de seu filhos. Também com métodos mais eficazes de verificação contra crimes por impertinência,(9) e punições mais adequadas e rígidas, preparadas pelo Ministério da Justiça(8), para que seja feito o possível para minimizar tais incidentes.

OBSERVAÇÕES:
(1)-É preciso estar no plural para concordar com o sujeito.
(!)-Aqui não tem vírgula.
(2)-Eu não entendi o uso das aspas aqui. Talvez seja por ser coloquialismo, mas não pode utilizar na redação.
(3)-Tem vírgula nesse local.
(4)-Aqui é certeza de uso de linguagem coloquial. Não pode utilizar linguagem coloquial na redação. Opte por palavras que têm o significado literal do que você quer expressar.
(5)-Um pronome retomando um pronome. Ficou estranho isso. Não sei se está errado sinceramente.
(6)? Quem fala? A população?
(7)-?
(8)-Substantivo próprio tem letras iniciais maiúscula.
(9)-Uma dica que eu te dou. Nunca use vírgula antes da conjunção aditiva "e", porque só existe um caso que é preciso utilizar a vírgula e mesmo assim é facultativo. Resumindo, não use vírgula antes do "e".
(10)-Eu não consegui identificar o detalhamento na sua proposta de intervenção.

Bom. É isso. Qualquer objeção ou dúvida do que falei, pode me marcar. Espero as suas próximas redações. :D

Promugada pela ONU em 1948, a declaraç&atil[…]

Sua redação não encaixa corre[…]

O filósofo francês Sartre defende que[…]

"Só pro meu prazer..."

Obrigada Ashiley , ficarei mais atenta quanto as […]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM