• Avatar do usuário
#63226
"Salário é pouco, não dá para nada, desempregado também não dá, e desse jeito a vida segue sem melhorar", esse é um dos trechos da música "Trabalhador" de Seu Jorge, que faz uma crítica à vida exaustiva e desigual do trabalhador brasileiro que mesmo sem ter um salário é preciso trabalhar para sobreviver, isso acontece pela falta de investimento da educação e da ineficácia das leis trabalhistas. Ao refletirmos, percebemos que a analogia da canção é um empecilho na sociedade verde-amarela.
De início, percebe-se que as pessoas são forçadas a trabalhar mesmo que não tenha renumeração necessária, eles precisam ter uma renda e a carência da educação traz uma consequência que é a falta de especialização fazendo com que as classes operárias abusem de um serviço barato, pois não tem qualificação. Nesse contexto, é necessário analisar os fatores que acarretam esse impasse na comunidade brasileira, para o mesmo não se agravar.
De acordo, com a teoria de Contrato Social de Thomas Hobbes é imprescindível que o Estado deve prestar os serviços necessários para o bem-estar da população, mais é notório que não acontece. Os funcionários vivem uma vida com condições desumanas e, por está razão luta pelos seus direitos, em 1943 foi criada a Consolidação das Leis Trabalhistas que reforça que as empresas devem garantir os direitos a eles pertencido, entretanto, há um "deficit" na fiscalização dá mesma, é obrigatório que eles tenham um bom salário, carga horária adequada, mais que muitas vezes é só uma imaginação.
Em virtude de tudo do que foi mencionado, faz-se necessário que o Ministério da Educação atribua, mas dinheiro na educação por meio dá criação de bolsas que ajudem os estudantes durante seu ensino médio enquanto estão nas escolas para que eles ganhem uma renda para suprir suas necessidades e não precisem entrar no mercado de trabalho precoce e sem o domínio da área, para o mesmo não ser explorado, o Ministério da Justiça deve aumentar as suas fiscalizações nas empresas, tornando o trabalho prazeroso e igualitário. Dessa forma todos vão ter uma vida digna, diferente da que Jorge cita na sua canção.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

╭──────────────╯ ✍ ⌕ 𖨂 Correção d[…]

A cultura de assédio no Brasil

No livro “50 tons de cinza” é a[…]

joenir jheromagnoli cassiahso Higorrair

Peso: 1000 Nota: 1000 Conforme o escritor Franz K[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM