Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos como "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
#60950
A Constituição Federativa promulgada em 1988, prevê a todo cidadão brasileiro, o direito à educação de qualidade de forma igualitária. No entanto, ao analizar a formação de leitores proeficientes no Brasil, nota-se uma contraposição em relação ao que é expresso na Constituição. Assim, faz-se necessário, medidas interventoras que busquem melhorar e mudar esse cenário no país.
A priori, é importante destacar o Estado como comprometedor no paradigma social, por meio de desvalorizações racionais e negligência estatal. Essa situação, pode ser observadaquanto a qualidade das escolas públicas, visto que, segundo o exame Prova Brasil 2015, menos da metade dos estudantes brasileiros saem do nono ano das escolas públicas com um aprendizado adequado em leitura.
Além disso, vê-se que a falta de estímulo por parte da família, também contribuí como desafio para a formação de leitores proeficientes, haja vista que, muitas vezes, boa parte das famílias, trasferem essa responsabilidade para as escolas. Essa perspectiva, é demonstrada no filme "Matilda", em que a protagonista de seis anos, tem uma família grosseira e relapsa com sua educação, apesar disso, ela encontra prazer na leitura, e com a ida para a escola, desenvolve ainda mais seu intelecto.
Diante dos fatos supracitados, é imprescindível a criação de medidas interventivas para com a problemática. Em vista disso, cabe ao Estado, por meio do Ministério da Educação, priorizar a formação de leitores proeficientes, através do mecanismos interativos que incentivem o desenvolvimento interpretativo no ensino básico. Ademais, a mídia deve promover propagandas que mostrem os benefícios da leitura, e sua importância. Como também, incentivos por parte da família são indispensáveis, assim adotando o direito à educação qualitativa, como determina a Constituição Federativa.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

#61626
A Constituição Federativa promulgada em 1988, prevê a todo cidadão brasileiro, o direito à educação de qualidade de forma igualitária. No entanto, ao analizar a formação de leitores proeficientes no Brasil, nota-se uma contraposição em relação ao que é expresso na Constituição. Assim, faz-se necessário, medidas interventoras que busquem melhorar e mudar esse cenário no país.
A priori, é importante destacar o Estado como comprometedor no paradigma social, por meio de desvalorizações racionais e negligência estatal. Essa situação, pode ser observadaquanto a qualidade das escolas públicas, visto que, segundo o exame Prova Brasil 2015, menos da metade dos estudantes brasileiros saem do nono ano das escolas públicas com um aprendizado adequado em leitura.
Além disso, vê-se que a falta de estímulo por parte da família, também contribuí como desafio para a formação de leitores proeficientes, haja vista que, muitas vezes, boa parte das famílias, trasferem essa responsabilidade para as escolas. Essa perspectiva, é demonstrada no filme "Matilda", em que a protagonista de seis anos, tem uma família grosseira e relapsa com sua educação, apesar disso, ela encontra prazer na leitura, e com a ida para a escola, desenvolve ainda mais seu intelecto.
Diante dos fatos supracitados, é imprescindível a criação de medidas interventivas para com a problemática. Em vista disso, cabe ao Estado, por meio do Ministério da Educação, priorizar a formação de leitores proeficientes, através do mecanismos interativos que incentivem o desenvolvimento interpretativo no ensino básico. Ademais, a mídia deve promover propagandas que mostrem os benefícios da leitura, e sua importância. Como também, incentivos por parte da família são indispensáveis, assim adotando o direito à educação qualitativa, como determina a Constituição Federativa.
@GabiNatali
A pandemia de negacionismo no mundo

Sob a perspectiva histórica, é fato[…]

Em uma sociedade onde ler se tornou tedioso, utili[…]

• O Aumento dá violência contra […]

Akirakun18 , Andree Desculpa te incomodar,mas […]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM