• Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
#62145
Na fórmula de Bhaskara, em matemática, a solução da equação do segundo grau depende de suas raízes, ou seja, os valores de "x". De maneira análoga, ao se analisar a vacinação, sua importância e os riscos para a saúde pública, se faz necessária a análise de suas incógnitas. Logo, os coeficientes que envolvem a adversidade são: a ignorância populacional e a negligência estatal.

Em primeira instância, é imperativo pontuar que o desconhecimento informacional, no que tange a importância da vacinação, por parte do corpo social, pode gerar riscos para a saúde pública, uma vez que a vacinação protege o organismo contra patógenos. Desse modo, a Revolta da Vacina, ocorrida em 1904, explicita o que foi dito, uma vez que a população protestou contra a vacinação obrigatória em tempos de varíola, o que por sua vez, aumentou os casos e mortes da população do Rio de Janeiro. Após a referida analogia, é perceptível como as pessoas da época não tinham conhecimento sobre a necessidade e a proteção ofertada pela vacina, dado que a vacinação protege o organismo contra doenças, e consequentemente, diminui a disseminação de enfermidades. Assim, percebe-se que determinante parcela da esfera social, ainda persiste com tal pensamento retrógrado e ignorante, devido à falta de acesso à informação no que diz respeito à questões que envolvem o mundo científico.

Ademais, cabe ressaltar que a ineficácia do Estado corrobora com a questão em discussão. Dessa forma, o sociólogo Émile Durkheim constatou, após inúmeros estudos, que é dever do Poder Público se responsabilizar pelas diretrizes que envolvam a coletividade, estabelecendo, por conseguinte, o bem-estar social. No entanto, a fala do estudioso se manteve em plano teórico, uma vez que o Estado falha no momento em que não investe na saúde pública, e como resultado disso, não oferta vacina à todos, ocasionando na dispersão de doenças pelo país, afetando, principalmente, a taxa da população mais pobre e periférica, que não possui seus direitos devidamente resguardados como cidadãos brasileiros. Nesse viés, fica explícito como o descaso estatal afeta a vacinação e a sua importância.

Infere-se, portanto, na tomada de atitudes que mitiguem os obstáculos. Para isso, é papel do Ministério da Saúde -órgão responsável pelas diretrizes que envolvam a saúde pública do país- em conjunto à mídia, informar acerca da importância da vacinação e as consequências caso as pessoas não sejam imunizadas, por intermédio de campanhas, não apenas pela televisão, mas também pela internet, a fim de que o corpo social fique antenado e informado no que tange a grande relevância da vacinação para a saúde do povo brasileiro. Além disso, é necessário que o Poder Público invista mais na saúde do país, no intuito de evitar colapsos e garantir o direito à saúde de todos os cidadãos, como previsto na Constituição Federal de 1988. Logo, os coeficientes da equação podem ser solucionados.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 140

Você atingiu aproximadamente 70% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra bom domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro, com poucos desvios gramaticais e de convenções da escrita, ou seja, apresenta um texto com boa estrutura sintática, com poucos desvios de pontuação, de grafia e de emprego do registro exigido.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema proposto, de forma consistente e organizada, configurando autoria, ou seja, os argumentos selecionados estão organizados e relacionados de forma consistente com o ponto de vista defendido e com o tema proposto, configurando-se independência de pensamento e autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante articula bem as ideias, os argumentos, as partes do texto e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos, sem inadequações.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 180

Você atingiu aproximadamente 90% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante elabora excelente proposta de intervenção, detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Trata-se de redação cuja proposta de intervenção seja muito bem elaborada, relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, abrangente e bem detalhada.

#62264
@dudaramos1, olá, bom-dia! posso sim corrigir sua redação. :)

Na fórmula de Bhaskara, em matemática, a solução da equação do segundo grau depende de suas raízes, ou seja, os valores de "x". De maneira análoga, ao se analisar a vacinação, sua importância e os riscos para a saúde pública, se faz necessária a análise de suas incógnitas. Logo, os coeficientes que envolvem a adversidade são: a ignorância populacional e a negligência estatal. (Boa introdução e alusão perspicaz)

Em primeira instância, é imperativo pontuar que o desconhecimento informacional, no que tange a importância da vacinação, por parte do corpo social, pode gerar riscos para a saúde pública, uma vez que a vacinação protege o organismo contra patógenos. Desse modo, a Revolta da Vacina, ocorrida em 1904, explicita o que foi dito, uma vez que a população protestou contra a vacinação obrigatória em tempos de varíola, o que por sua vez, aumentou os casos e as mortes da população do Rio de Janeiro. Após a referida analogia, é perceptível como as pessoas da época não tinham conhecimento sobre a necessidade e a proteção ofertada pela vacina, dado que a vacinação protege o organismo contra doenças, e consequentemente, diminui a disseminação de enfermidades. Assim, percebe-se que determinante parcela da esfera social, ainda persiste com tal pensamento retrógrado e ignorante, devido à falta de acesso à informação, no que diz respeito à questões que envolvem o mundo científico.(Ótimo parágrafo de argumentação)

Ademais, cabe ressaltar que a ineficácia do Estado corrobora com a questão em discussão. Dessa forma, o sociólogo Émile Durkheim constatou, após inúmeros estudos, que é dever do Poder Público se responsabilizar pelas diretrizes que envolvam a coletividade, estabelecendo, por conseguinte, o bem-estar social. No entanto, a fala do estudioso se manteve em plano teórico, uma vez que o Estado falha no momento em que não investe na saúde pública, e como resultado disso, não oferta vacina a(Atenção com a crase antes de vocábulos no plural) todos, ocasionando a dispersão de doenças pelo país, o que afeta(Eu fiz essa modificação para que você não seja induzida a cair no Gerundismo, pois já tinha outro verbo próximo no gerúndio), principalmente, a taxa da população mais pobre e periférica, que não possui seus direitos devidamente resguardados como cidadãos brasileiros. Nesse viés, fica explícito como o descaso estatal afeta a vacinação e a sua efetivação.(Bom parágrafo de desenvolvimento 2)

Infere-se, portanto, na tomada de atitudes que mitiguem os obstáculos. Para isso, é papel do Ministério da Saúde - órgão responsável pelas diretrizes que envolvam a saúde pública do país- em conjunto com a mídia, informar acerca da importância da vacinação e as consequências caso as pessoas não sejam imunizadas, por intermédio de campanhas, não apenas pela televisão, mas também pela internet, a fim de que o corpo social fique antenado e informado no que tange a grande relevância da vacinação para a saúde do povo brasileiro. Além disso, é necessário que o Poder Público invista mais na saúde do país, no intuito de evitar colapsos(Aqui eu só iria sugerir você indicar as formas para que essa ação deva ser executada) e garantir o direito à saúde de todos os cidadãos, como previsto na Constituição Federal de 1988. Logo, os coeficientes da equação podem ser solucionados.

COMENTÁRIO: Seu texto obedece à estrutura dissertativa argumentativa. Gostaria apenas de fazer algumas ressalvas. Atenção aos desvios gramaticais, e atente-se, também, ao detalhamento do segundo agente na intervenção. No mais, sua redação está muito boa e muito bem endossada, parabéns! :)

Na obra de origem australiana, “A Menina que[…]

Segundo o filósofo e matemático fra[…]

zgabiruLGD , Disponha!

Oiii alguém poderia corrigir minha reda&cc[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM