• Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
#92351
À luz da Carta Magna de 1988, o direito à segurança consagrou-se como um pressuposto irrevogável a todos os cidadãos. No atual contexto brasileiro, no entanto, a ideia encontra-se em profundo desuso, tendo em vista a superexposição dos jovens ao meio virtual, o que resulta no uso prejudicial de dados pessoais infanto-juvenis, por indústrias de entretenimento e, como efeito, têm-se suas integridades ameaçadas. Desse modo, torna-se imprescindível buscar caminhos para atenuar esse cenário antagônico sustentado, a citar, pela inoperância do poder público e pela mentalidade do corpo social.

Sob essa ótica, cabe reconhecer a inobservância do Governo como um dos catalisadores da problemática. Isso porque, em razão da carência de políticas públicas que tencionam campanhas publicitárias de conscientização de progenitores acerca dos riscos da hiperconectividade de crianças e adolescentes no âmbito virtual, com o intuito de barrar vícios e indevido uso de imagens e informações de interesse parental, a sociedade desenvolve postura omissa e, por vezes, relativiza os malefícios do contato precoce da nova geração nas redes sociais. Imerso nesse escopo, dentre os efeitos da exposição dos referenciados, estão a comercialização de imagens de menores e seu contato com discurso de ódio, que são revestidos de uma máscara sobre mera opinião difundida por usuários, bem como o aliciamento via discursos otimistas. Zigmunt Bauman, nessa lógica, a partir da premissa de "Corporações Zumbis", elucida acerca da potencialidade das instituições do Estado em manter a sua forma a todo custo e, por fim, perdem sua função social. Fica claro, pois, a urgência de medidas paliativas para reverter essa disparidade.

Paralelo isso, outra causa latente desse revés decorre do imaginário ultrapassado do âmbito societário em negligenciar a questão. Seguindo essa concepção, assim como é retratado na célebre obra "A república", de Platão, um grupo de homens, acorrentados em uma caverna, viam somente sombras na parede acreditando que constituíam a realidade. Nesse ínterim, é notório que, em cenário análogo, o povo tende a aceitar passivamente a inserção de juvenis ao mundo virtual, não se dando conta dos efeitos nocivos para a saúde mental e física deste grupo vulnerável, dado que se encontram suscetíveis a encarar conflitos incompatíveis com a faixa etária, como julgamentos e distorção de imagem. Por conseguinte, ausência de monitoramento dos pais perpetua esses casos, o que favorece o aparecimento de psicopatologias, a exemplo, ansiedade e depressão. Logo, enquanto as situações mencionadas forem banalizadas, tal panorama será massificado.

Dessarte, em virtude desses episódios nefastos à harmonia social, faz-se mister a atuação do Ministério da Educação – órgão responsável por reger o sistema educacional – elaborar e implementar no espaço das instituições de ensino, um projeto de incentivo à valorização das tecnologias de forma didática, chamado "Tec consciente", com o objetivo de mudar a postura da nova geração e seus tutores. Essa ação deverá ocorrer por intermédio de rodas de conversa entre o corpo e estudantil e pais de alunos, dando margem a interações lúdicas com meio digital e suas ferramentas benéficas, além de estímulo ao contato consciente desde cedo. Assim, a nação poderá usufruir de seus direitos.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 160

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra bom domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro, com poucos desvios gramaticais e de convenções da escrita, ou seja, apresenta um texto com boa estrutura sintática, com poucos desvios de pontuação, de grafia e de emprego do registro exigido.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 160

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema, de forma organizada, com indícios de autoria, ou seja, os argumentos, embora ainda possam ser previsíveis, estão organizados e relacionados de forma consistente ao ponto de vista defendido e ao tema proposto, e há indícios de autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante articula bem as ideias, os argumentos, as partes do texto e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos, sem inadequações.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante elabora excelente proposta de intervenção, detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Trata-se de redação cuja proposta de intervenção seja muito bem elaborada, relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, abrangente e bem detalhada.

0
#92429
bom dia, Yuri

li seu texto e minhas observações estarão a seguir

[] erros;
() observações;
{} observações mais aprofundadas.

À luz da Carta Magna de 1988, o direito à segurança consagrou-se como um pressuposto irrevogável a todos os cidadãos. No atual contexto brasileiro, no entanto, a ideia encontra-se em profundo desuso, tendo em vista a superexposição dos jovens ao meio virtual, o que resulta no uso prejudicial de dados pessoais infanto-juvenis, por indústrias de entretenimento e, como efeito, têm-se suas integridades ameaçadas. Desse modo, torna-se imprescindível buscar caminhos para atenuar esse cenário antagônico sustentado, a citar, pela inoperância do poder público e pela mentalidade do corpo social. (introdução completa. parabéns!)

Sob essa ótica, cabe reconhecer a inobservância do Governo como um dos catalisadores da problemática. Isso porque, em razão da carência de políticas públicas que tencionam campanhas publicitárias de conscientização [de] (aos) progenitores acerca dos riscos da hiperconectividade de crianças e adolescentes no âmbito virtual, com o intuito de barrar vícios [e](,) indevido uso de imagens e informações de interesse parental, a sociedade desenvolve postura omissa e, por vezes, relativiza os malefícios do contato precoce da nova geração nas redes sociais. Imerso nesse escopo, dentre os efeitos da exposição dos [referenciados](dos menores de 18), estão a comercialização de (suas) imagens [de menores] e seu contato com discurso de ódio, que são revestidos de uma máscara sobre mera opinião difundida por usuários, bem como o aliciamento via discursos otimistas. (Nessa lógica, o filósofo contemporâneo) Zigmunt Bauman, [nessa lógica,] a partir da premissa de "Corporações Zumbis", elucida acerca da potencialidade das instituições do Estado em manter a sua forma a todo custo e, por fim, perdem sua função social. Fica claro, pois, a urgência de medidas paliativas para reverter essa disparidade. (excelente parágrafo, parabéns! só tome cuidado, pois é necessário o conectivo antes de introduzir qualquer argumentação e repertório)

Paralelo (a) isso, outra causa latente desse revés decorre do imaginário ultrapassado do âmbito societário em negligenciar a questão. Seguindo essa concepção, assim como é retratado na célebre obra "A república", de Platão, um grupo de homens, acorrentados em uma caverna, viam somente sombras na parede acreditando que constituíam a realidade. Nesse ínterim, é notório que, em cenário análogo, o povo tende a aceitar passivamente a inserção de juvenis ao mundo virtual, não se dando conta dos efeitos nocivos para a saúde mental e física deste grupo vulnerável, dado que se encontram suscetíveis a encarar conflitos {1 - incompatíveis com a faixa etária}, como julgamentos e distorção de imagem. Por conseguinte, ausência de monitoramento dos pais perpetua esses casos, o que favorece o aparecimento de psicopatologias, a exemplo, (da) ansiedade e depressão. Logo, enquanto as situações mencionadas forem banalizadas, tal panorama será massificado. (ótimo parágrafo!)

{1}: lembre-se que, biologicamente falando, é nessa idade que as crianças começam a ter curiosidades a respeito do próprio corpo e, também, conflitos, devido ao afloramento dos hormônios e tals. Além disso, quando você coloca essa frase, parece que para a criança esse conflito é inaceitável, mas se for com um adulto, está tudo ok, o que na realidade não deveria existir em nenhuma faixa etária. Espero que tenha entendido meu ponto de vista.

Dessarte, em virtude desses episódios nefastos à harmonia social, faz-se mister a atuação do Ministério da Educação [–] (,) órgão responsável por reger o sistema educacional [–] (,) elaborar e implementar no espaço das instituições de ensino, um projeto de incentivo à valorização das tecnologias de forma didática, chamado "Tec consciente", com o objetivo de mudar a postura da nova geração e seus tutores. Essa ação deverá ocorrer por intermédio de rodas de conversa entre o corpo [e] estudantil e pais de alunos, dando margem a interações lúdicas com meio digital e suas ferramentas benéficas, além de estímulo ao contato consciente desde cedo. Assim, a nação poderá usufruir de seus direitos. (conclusão completa!)

Ótima redação, parabéns! continue assim. ❤

obs. aprendi muito com você, obrigada!

Se você acha que eu contribuí com seu aprendizado e que minha correção vale o preço de um café, meu pix é abia.caetano12@gmail.com.
Além disso, fiquem a vontade de me mandar mensagem caso surjam dúvidas. ❤
1
#92477
abiaacs escreveu:bom dia, Yuri

li seu texto e minhas observações estarão a seguir

[] erros;
() observações;
{} observações mais aprofundadas.

À luz da Carta Magna de 1988, o direito à segurança consagrou-se como um pressuposto irrevogável a todos os cidadãos. No atual contexto brasileiro, no entanto, a ideia encontra-se em profundo desuso, tendo em vista a superexposição dos jovens ao meio virtual, o que resulta no uso prejudicial de dados pessoais infanto-juvenis, por indústrias de entretenimento e, como efeito, têm-se suas integridades ameaçadas. Desse modo, torna-se imprescindível buscar caminhos para atenuar esse cenário antagônico sustentado, a citar, pela inoperância do poder público e pela mentalidade do corpo social. (introdução completa. parabéns!)

Sob essa ótica, cabe reconhecer a inobservância do Governo como um dos catalisadores da problemática. Isso porque, em razão da carência de políticas públicas que tencionam campanhas publicitárias de conscientização [de] (aos) progenitores acerca dos riscos da hiperconectividade de crianças e adolescentes no âmbito virtual, com o intuito de barrar vícios [e](,) indevido uso de imagens e informações de interesse parental, a sociedade desenvolve postura omissa e, por vezes, relativiza os malefícios do contato precoce da nova geração nas redes sociais. Imerso nesse escopo, dentre os efeitos da exposição dos [referenciados](dos menores de 18), estão a comercialização de (suas) imagens [de menores] e seu contato com discurso de ódio, que são revestidos de uma máscara sobre mera opinião difundida por usuários, bem como o aliciamento via discursos otimistas. (Nessa lógica, o filósofo contemporâneo) Zigmunt Bauman, [nessa lógica,] a partir da premissa de "Corporações Zumbis", elucida acerca da potencialidade das instituições do Estado em manter a sua forma a todo custo e, por fim, perdem sua função social. Fica claro, pois, a urgência de medidas paliativas para reverter essa disparidade. (excelente parágrafo, parabéns! só tome cuidado, pois é necessário o conectivo antes de introduzir qualquer argumentação e repertório)

Paralelo (a) isso, outra causa latente desse revés decorre do imaginário ultrapassado do âmbito societário em negligenciar a questão. Seguindo essa concepção, assim como é retratado na célebre obra "A república", de Platão, um grupo de homens, acorrentados em uma caverna, viam somente sombras na parede acreditando que constituíam a realidade. Nesse ínterim, é notório que, em cenário análogo, o povo tende a aceitar passivamente a inserção de juvenis ao mundo virtual, não se dando conta dos efeitos nocivos para a saúde mental e física deste grupo vulnerável, dado que se encontram suscetíveis a encarar conflitos {1 - incompatíveis com a faixa etária}, como julgamentos e distorção de imagem. Por conseguinte, ausência de monitoramento dos pais perpetua esses casos, o que favorece o aparecimento de psicopatologias, a exemplo, (da) ansiedade e depressão. Logo, enquanto as situações mencionadas forem banalizadas, tal panorama será massificado. (ótimo parágrafo!)

{1}: lembre-se que, biologicamente falando, é nessa idade que as crianças começam a ter curiosidades a respeito do próprio corpo e, também, conflitos, devido ao afloramento dos hormônios e tals. Além disso, quando você coloca essa frase, parece que para a criança esse conflito é inaceitável, mas se for com um adulto, está tudo ok, o que na realidade não deveria existir em nenhuma faixa etária. Espero que tenha entendido meu ponto de vista.

Dessarte, em virtude desses episódios nefastos à harmonia social, faz-se mister a atuação do Ministério da Educação [–] (,) órgão responsável por reger o sistema educacional [–] (,) elaborar e implementar no espaço das instituições de ensino, um projeto de incentivo à valorização das tecnologias de forma didática, chamado "Tec consciente", com o objetivo de mudar a postura da nova geração e seus tutores. Essa ação deverá ocorrer por intermédio de rodas de conversa entre o corpo [e] estudantil e pais de alunos, dando margem a interações lúdicas com meio digital e suas ferramentas benéficas, além de estímulo ao contato consciente desde cedo. Assim, a nação poderá usufruir de seus direitos. (conclusão completa!)

Ótima redação, parabéns! continue assim. ❤

obs. aprendi muito com você, obrigada!
Muito obrigado por corrigi-la! ❣
0
Similar Topics
Tópicos Estatísticas Última mensagem
0 Respostas 
70 Exibições
por Mayrahellen
0 Respostas 
30 Exibições
por whoisdylann
0 Respostas 
14 Exibições
por whoisdylann
0 Respostas 
308 Exibições
por Vit1029
Superexposição nas redes sociais no brasil
por Iurymed    - In: Outros temas
3 Respostas 
461 Exibições
por Iurymed
0 Respostas 
92 Exibições
por graham
A superexposição nas redes sociaisi
por Samiramel123    - In: Outros temas
0 Respostas 
16 Exibições
por Samiramel123
0 Respostas 
57 Exibições
por anabe
11 Respostas 
998 Exibições
por vitoriaca
10 Respostas 
895 Exibições
por Kim2503
A desregulação do mundo

Alberto Demenstein, em seu livro"O Cidad&[…]

Foi na Grécia antiga onde começou a […]

Compromisso do empreendedor

Educação Fiscal é conjunto el[…]

1 bez

Ola, tudo bem? Vou te dá uma breve corre&cc[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM