• Avatar do usuário
Avatar do usuário
Por Arthur8bern
#82907
Na democracia ateniense para ser considerado um cidadão era necessário seguir certos critérios, como: ser livre, ser homem e filho de pais atenienses, limitando a cidadania a poucos. Entretanto, na sociedade brasileira hodierna, o direito à cidadania é garantido a todos, e para o seu reconhecimento é preciso o registro civil, que infelizmente parte do corpo social não possui, acarretando inúmeras problemáticas. Nesse prisma, vale analisar os fatores que propiciam esse quadro.
Primeiramente, vale destacar o papel da desigualdade social no que tange às dificuldades da criação do registro civil. Sob essa ótica, percebe-se que ainda há entraves na efetivação e criação desse documento, mesmo com a gratuidade da certidão de nascimento, dentre eles: a falta de informação, distância dos centros urbanos de registro ou a indiferença, aspectos encontrados em regiões menos abastadas, em que a importância dessa documentação é subestimada. Por consequência, devido à falta de certidão de nascimento, não se pode fazer a Certidão de Pessoa Física (CPF), gerando a invisibilidade perante o Estado, atrelamentos a empregos informais de baixa remuneração, impossibilidade de voto e a falta de educação.
Outrossim, deve-se ressaltar o desserviço governamental como outro fator preponderante à perpetuação dessa mazela. Nesse sentido, de acordo com o filósofo John Locke, o Estado tem o dever se garantir, de modo efetivo, os direitos dos seus cidadãos pelo chamado “contrato social”. Todavia, vê-se a quebra do contrato social, quando se observa a inexistência de um sistema eficiente e capaz de atender e buscar a todos aqueles que precisam de documentação. Assim, a falta de meios que visem a garantia efetiva desse direito resulta em inúmeras pessoas de todas as idades sem o seu reconhecimento formal.
Depreende-se, portanto, medidas que venham a mitigar as problemáticas e garantir os direitos à cidadania a todos os brasileiros. Para tanto, cabe ao Governo Federal criar forças tarefa, com tabeliões e profissionais do cartório, que entrem e busquem nas comunidades carentes, as crianças, jovens e adultos que não possuem documentação, a fim de criar esses documentos, garantindo efetivamente a cidadania dessas pessoas. Somente assim, poder-se-á garantir de modo eficaz o acesso a cidadania e aos serviços básicos aos brasileiros
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Anna1 xIsabellasz vingrid KarllaViit Pe[…]

se puderem corrigir essa redação, fi[…]

Parabéns amiga! :)

O quadro expressionista "O grito" do pin[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM