#65118
Consoante o filósofo brasileiro Mario Sérgio Cortella, "Se a educação não for provocativa, não constrói, não se cria, não se inventa, só se repete". Nesse sentido, a crise pandémica existente na sociedade contemporânea submeteu vários países a impor isolamento social, onde o ensino presencial teve que ser trocado para o remoto, consequentemente, a desigualdade social e financeira aumenta, nos quais os alunos mais pobres não possuem aparatos tecnológicos e serviços de banda larga bons para inseri-los neste novo método, outrossim, os professores teriam dificuldade para adaptação forçada na mudança de ensinança ao estudante.
Em primeiro plano, e fulcral ressalta o despreparo do poder público aos discentes no corpo social, sobre esse viés, a ineficiência do governo contra a pandemia só expôs a discrepância eminente num país a um passo do regresso. De acordo com o Art. 205 da constituição federativa de 1988, e dever do Estado, da família e da sociedade, promover e incentivar o desenvolvimento do indivíduo à cidadania é o trabalho. Nesse sentido, e imprescindível a carência do Estado a comunidade periférica o qual não tem iniciativa intensiva dos mesmos para avanço de recursos ao povo. Portanto, a criação de políticas educacionais urgem se tomadas aparti do eixo mais crítico da população.
Ademais, atribulações de docentes provocadas pelo EAD cresceu muito nos últimos anos. Conforme o site correio braziliense, o levantamento feito em 2021 pelo instituto Tim mostrou mais 58% dos professores não conseguem da aulas sem barulhos ou interrupções na casa e 78% tiveram problemas com sono. Diante desse cenário, a sobrecarga psicológica exercida por esses profissionais tem deveras agravado com as hiperbólicas cargas horárias a qual prejudica a sanidade mental gradativamente. Logo, e primordial a disponibilização de tratamento psíquico por parte dos órgãos públicos a esses servidores.
Destarte, e de suma importância que medidas sejam efetivadas para solucionar a problemática. Os ministérios da educação é da saúde juntos devem propor um auxílio crédito estudantil para jovens de classe baixa dos centros urbanos e rurais, também investimentos de infraestruturas para áreas de campo limitadas por sinal, além disso, a aplicação de terapia aos educadores afins de diminui as tensões psicológicas. Dessa forma, direcionar a educação para longe do abismo.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

JoaoPedro72 , qual dica você me daria para[…]

Sua redação ficou muito boa, mas pec[…]

Seu texto ficou muito bom, mas busque entender sob[…]

1-poucos erros gramaticais, você escreve b[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM