Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação mais de uma vez = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos de "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
  • Avatar do usuário
#50814
A Constituição Federal de 1988, documento jurídico mais importante do país, alega no artigo 6°, o direito à educação, como inerente a todo cidadão brasileiro. Conquanto, tal privilégio não tem se reverberado com ênfase na prática quando se observa o desprestígio da leitura e suas consequências, dificultando desse modo, a universalização desse direito social tão importante.
Em uma primeira análise, deve-se ressaltar a ausência de medidas governamentais para combater o desprestígio da leitura e suas consequências. Nesse sentido, fica perceptível que o mau hábito da leitura inibe a criatividade, a inovação e a formação de cidadãos críticos. Segundo o filósofo John locke, configura-se como uma violação do "contrato social", já que o estado não cumpre sua função de garantir que os cidadãos desfrutem de direitos indispensáveis, como a educação, o que infelizmente é nítido no país.
Ademais, é fundamental apontar a inibição da formação de cidadãos críticos, como impulsionador do problema por pessoas que não tem acesso a leitura no Brasil. Segundo Immanuel Kant, o homem é aquilo que a educação faz dele. Diante de tal exposto, fatores como desemprego, pobreza e a falta de hábito à leitura contribui assim, para o questionamento e manutenção do senso comum. Logo, é inadimissível que esse cenário continue a perdurar.
Depreende-se, portanto, a necessidade de combater esses obstáculos. Para estimular o hábito de ler, a escola deve promover uma roda de leitura, discursão de obras e, ainda explorar os temas para apresentação de filmes e peças teatrais. Ademais, a mídia pode atuar com informação em algumas redes de TV, que apresenta minisséries baseadas em livros e, junto à função apelativa, faz o público repensar alguns emblemas, como a igualdade de direitos. Assim, a leitura será valorizada e, consolidará uma sociedade mais igualitária, onde o estado desempenha corretamente seu "contrato social", tal como afirma John Locke.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

EDUCAÇAO DOMICILIAR

SEI QUE AINDA TENHO MUITO QUE MELHORAR, MAS NAO SE[…]

    Com o final das duas Grandes Gu[…]

porte de armas

Males do porte e posse de armas de fogo De aco[…]

Obesidade no Brasil

A obesidade não é um problema recent[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM