Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação mais de uma vez = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos de "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
#47315
A constituição federal de 1988, documento jurídico mais importante do país, prevê em seu artigo 5 e 6, o direito à igualdade, saúde, educação, alimentação e moradia como inerentes a todo cidadão brasileiro. Contudo, tal prerrogativa não tem se reverberado com ênfase na prática quando se observa a desigualdade social, dificultando, deste modo ,a universalização desse direito social tão importante. Diante dessa perspectiva, faz-se imperiosa a análise dos fatores que favorecem esse quadro.

Em primeira análise, o descaso estatal com o problema de distribuição de renda mostra-se um desafio às pessoas que vivem na miséria, uma vez que poucos recursos são destinados pelo Estado para solucionar o problema específico. De acordo com o IBGE, uma a cada 4 pessoas vivem com uma renda inferior a 420 reais por mês. Essa conjuntura, segundo as ideias do filósofo contratualista John Locke, configura-se como uma violação do “contrato social”, já que o Estado não cumpre sua função de garantir que os cidadãos desfrutem de direitos indispensáveis, como a saúde, educação, alimentação e moradia de qualidade, o que infelizmente é evidente no país.

Somado a isso, a falta de incentivo ao governo pela população dificulta na execução de melhorias para uma qualidade de vida aos mais pobres. Segundo o jornalista irlandês George Bernard Shaw: “O progresso é impossível sem mudança.” Analogamente, as reivindicações da sociedade pela resolução do problema são necessárias para a realização de mudanças nessa área.

Depreende-se, portanto, a necessidade de se combater esses obstáculos. Para isso, é imprescindível que o Estado, por intermédio de verbas públicas, desenvolvam projetos públicos de saúde, educação, alimentação e moradia de qualidade para população carente a fim de garantir as condições básicas de vida para todos. Assim, se consolidará uma sociedade mais mais humana, onde o Estado desempenha corretamente seu “contrato social”, tal como afirma John Locke.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

É notório o aumento excessivo na num[…]

Estima-se que apenas 10% da populaçã[…]

Desde sempre na humanidade a oralidade está[…]

A constituição federal de 1988, docu[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM