Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação mais de uma vez = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos de "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
Avatar do usuário
Por Jeniffeeee
#44548
A minissérie "O gambito da rainha" conta a história de Elizabeth, uma jogadora de xadrez que se automedicava com tranquilizantes, o que a deixou viciada neles. Atualmente, é visto que muitas pessoas tomam medicamentos sem a prescrição médica, isso pela falta de acesso a esses profissionais, mas a atitude indevida de milhões de brasileiros pode causar sérios danos à saúde. Convém, então, analisar tal problemática.

Em primeiro lugar, é necessário ressaltar que a automedicação normalmente ocorre pelo difícil acesso aos médicos. Segundo o Conselho Federal de Farmácia (CFF), 77% da população brasileira tem costume de tomar remédios por indicação de amigos e familiares, essas pessoas alegam que fazem isso pela falta de disponibilidade do serviço de saúde. Análago a isso, vê-se que a negligência do Estado em proporcionar uma melhor admissão aos usuários da saúde pública, resultou no uso de substâncias indevidas por estes, além de que tudo isso mais a cultura popular de se automedicar pode gerar graves danos às vítimas. Logo, é indispensável que a situação seja resolvida, visto que ela compromete o bem-estar dos cidadãos.

Por conseguinte, é importante dizer que as pessoas que cometem essa ação podem ter complicações como consequência do seu ato. Conforme o que foi dito, em 2005, Bruna Pierre, bacharel em turismo, ficou em coma durante 18 dias, o que aconteceu após ela se automedicar para diminuir a febre. Dessa maneira, é possível notar que a ingestão de medicamentos sem consulta médica pode acarretar em casos mais graves, haja vista que o indivíduo sem formação não tem nenhum conhecimento que seja suficiente para ingerir remédios por conta própria. Assim, é fundamental que todos os seres humanos procurem a ajuda de um profissional.

Portanto, medidas precisam ser tomadas para amenizar o impasse. Desse modo, urge que o Ministério da Saúde promova, por meio das mídias sociais, palestras que mostrem os perigos da automedicação. Essa ação deverá ser feita por profissionais da área da saúde, os quais vão apresentar ao público diversas complicações que o mau uso dos medicamentos pode causar. Ademais, o Governo federal deve facilitar o acesso à saúde, por meio de verbas governamentais, as quais serão usadas para contratar mais médicos que possam atender melhor a população; tudo isso, a fim de que as pessoas não tenham mais o comportamento de se automedicar. Enfim, será possível restringir condutas como a de Elizabeth




@Ashiley, @@Anna1,@@GlendaMorais e @@jherodrigues, podem corrigir? :D
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 160

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra bom domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro, com poucos desvios gramaticais e de convenções da escrita, ou seja, apresenta um texto com boa estrutura sintática, com poucos desvios de pontuação, de grafia e de emprego do registro exigido.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 160

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema, de forma organizada, com indícios de autoria, ou seja, os argumentos, embora ainda possam ser previsíveis, estão organizados e relacionados de forma consistente ao ponto de vista defendido e ao tema proposto, e há indícios de autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante articula bem as ideias, os argumentos, as partes do texto e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos, sem inadequações.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante elabora excelente proposta de intervenção, detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Trata-se de redação cuja proposta de intervenção seja muito bem elaborada, relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, abrangente e bem detalhada.

Avatar do usuário
Por Ashiley
#44568
@Jeniffeeee

Erros
Correção
Comentários
Os 5 elementos
Outras observações

Introdução
A minissérie "O gambito da rainha" conta a história de Elizabeth, uma jogadora de xadrez que se automedicava com tranquilizantes, o que a deixou viciada neles. Atualmente, é visto que muitas pessoas tomam medicamentos sem a prescrição médica, isso pela falta de acesso a esses profissionais, mas a atitude indevida de milhões de brasileiros pode causar sérios danos à saúde. Convém, então, analisar tal problemática.
Boa introdução, só chamo atenção para algo que vem ocorrendo em grande parte das suas redações: você insere o repertório, mas quando vai para a problematização não faz uma boa relação entre os dois. Essa ligação não muito bem estalecida pode ser resolvida nesse caso com a substituição do conectivo "Atualmente" por "Fora da ficção" ou outro semelhante juntamente com termos seus que deixem mais explícito que esse repertório tem um uso produtivo!

Desenvolvimento 1
Em primeiro lugar, é necessário ressaltar que a automedicação normalmente ocorre pelo difícil acesso aos médicos. Segundo o Conselho Federal de Farmácia (CFF), 77% da população brasileira tem costume de tomar remédios por indicação de amigos e familiares, essas pessoas alegam que fazem isso pela falta de disponibilidade do serviço de saúde. Análago Análogo a isso, vê-se que a negligência do Estado em proporcionar uma melhor admissão aos usuários da saúde pública, resultou resulta no uso de substâncias indevidas por estes, além de que tudo isso mais em conjunto com a cultura popular de se automedicar pode gerar graves danos às vítimas. Logo, é indispensável que a situação seja resolvida, visto que ela compromete o bem-estar dos cidadãos.
Bom desenvolvimento. Bem argumentativo, faz bom uso de conectivos e boa escolha de repertório. Só tome mais cuidado com algumas expressões, palavras, enfim que poderiam ser melhor escritas ou substituídas.

Desenvolvimento 2
Por conseguinte, é importante dizer que as pessoas que cometem essa ação podem ter complicações como consequência do seu ato. Conforme o que foi dito, em 2005, Bruna Pierre, bacharel em turismo, ficou em coma durante 18 dias, o que aconteceu após ela se automedicar para diminuir a febre. Dessa maneira, é possível notar que a ingestão de medicamentos sem consulta médica pode acarretar em casos mais graves, haja vista que o indivíduo sem formação não tem nenhum conhecimento que seja suficiente para ingerir remédios por conta própria. Assim, é fundamental que todos os seres humanos procurem a ajuda de um profissional.
Bom desenvolvimento, mas nesse senti que poderia se aprofundar um pouco mais!

Conclusão
Portanto, medidas precisam ser tomadas para amenizar o impasse. Desse modo, urge que o Ministério da Saúde (agente) promova, por meio das mídias sociais (meio/modo), palestras que mostrem os perigos da automedicação (ação). Essa ação deverá ser feita por profissionais da área da saúde, os quais vão apresentar ao público diversas complicações que o mau uso dos medicamentos pode causar (detalhamento). Ademais, o Governo federal (agente) deve facilitar o acesso à saúde (ação), por meio de verbas governamentais (meio/modo), as quais serão usadas para contratar mais médicos que possam atender melhor a população (Seria o detalhamento!?); tudo isso, a fim de que as pessoas não tenham mais o comportamento de se automedicar (efeito/finalidade). Enfim, será possível restringir condutas como a de Elizabeth.
Sua primeira proposta falta o detalhamento, já a segunda proposta fiquei em dúvida se houve ou não esse mesmo elemento. Creio que a segunda proposta está completa, porém sua ação e detalhamento nessa proposta poderiam ser melhor elaborados, pois veja bem: a ação você disse que seria facilitar o acesso à saúde, mas ficou algo abstrato. Já o seu detalhamento me pareceu a ação até certo ponto e a meu ver, é interessante sempre deixar claro que aquilo é um detalhamento. Eu considerei sua proposta como completa, mas preste atenção nessas observações!

Dê uma maior atenção às competências 1, 3 e 5 (A C5 somente devido aquelas observações). Bons estudos e parabéns! :D
Avatar do usuário
Por Jeniffeeee
#44598
@Ashiley, obrigadaa pela correção!
Vou olhar essa questão da intro, eu estava tentanto desenvolver melhor a alusão porque acho que elas estão muito "nada haver", mas agora que você disse creio que seja essa questão da ligação mesmo.
Vi que você ficou confusa com a minha conclusão kkkkkkkk, eu pensei em fazer duas propostas mas havia poucas linhas sobrando, então tentei escrever o menos possível. A primeira proposta tem o detalhamento sim, você até o destacou, só a finalidade que eu tentei colocar uma para as duas propostas, isso talvez tenha ficado confuso.

Portanto, medidas precisam ser tomadas para amenizar o impasse. Desse modo, urge que o Ministério da Saúde (agente) promova, por meio das mídias sociais (meio), palestras que mostrem os perigos da automedicação (ação). Essa ação deverá ser feita por profissionais da área da saúde, os quais vão apresentar ao público diversas complicações que o mau uso dos medicamentos pode causar (detalhamento). Ademais, o Governo federal (agente) deve facilitar o acesso à saúde (ação), por meio de verbas governamentais (meio), as quais serão usadas para contratar mais médicos que possam atender melhor a população (detalhamento); tudo isso, a fim de que as pessoas não tenham mais o comportamento de se automedicar (finalidade). Enfim, será possível restringir condutas como a de Elizabeth

Obrigada por marcar as meninas, nem tinha visto ;)
Avatar do usuário
Por Ashiley
#44601
@Jeniffeeee, a primeira proposta tem detalhamento sim, assim como a segunda. Eu vi que tinha e com a cabeça na lua escrevi que não tinha, erro meu! :lol:
Avatar do usuário
Por Jeniffeeee
#44706
jherodrigues escreveu:@Jeniffeeee, Ei, boa noite! Vou deixar para a próxima, tudo bem?
Essa série está em alta, né? Fiquei curiosa, vou ter que assistir :lol: :lol:
Tudooo!
Veja! Eu adorei e ela serve para diversos temas viu?! :lol:

Glenda:Descordo totalmente ! A partir do momento […]

Pedro9 , Para mensionar é [menton]Nome[/m[…]

A constituição de 1988 documento jur[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM