• Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
#90520
Rubem Alves, ao discorrer sobre a educação, comparou os estudantes a pássaros que, se devidamente encorajados, são capazes de voar, o que representa, de forma metafórica, a habilidade de refletir com autonomia. Entretanto, o escritor observou que, na prática, o sistema educacional brasileiro – encarregado de estimular essa aptidão − é análogo a uma gaiola, ou seja, é um limitador do pensamento crítico. Nesse contexto, é fundamental analisar, respectivamente, o desafio que causa e o que perpetua essa grave restrição: a concepção equivocada acerca da transmissão de conhecimento e o uso da disciplina como instrumento de uniformização.
A aprendizagem é, muitas vezes, entendida erroneamente como um processo passivo, no qual o professor é o único detentor do saber. Com um viés crítico a essa visão pedagógica, o artista Paweł Kuczyński retrata, em uma de suas obras, uma sala de aula em que várias crianças escutam apaticamente o que o docente lê, enquanto apenas uma estuda de maneira autônoma. No sistema educacional brasileiro, assim como na ilustração, poucos estudantes sentem-se encorajados a desenvolver reflexões próprias, haja vista que o ensino também se baseia na memorização acrítica do que é lecionado. A didática inadequada origina, portanto, a gaiola mencionada por Rubem Alves.
Ademais, é indubitável que, com frequência, a disciplina – definida como a obediência às regras – extrapola a sua função de regular a convivência e passa a ser utilizada com uma finalidade nociva: reprimir a individualidade. Nesse sentido, a composição “Admirável chip novo”, da cantora Pitty, descreve uma comunidade em que as pessoas são induzidas pelas instituições sociais a reproduzir certos comportamentos sem questioná-los. De modo semelhante, o sistema educacional do Brasil, por ter sido inspirado no que a Prússia adotou no século XVII, impõe um padrão de conduta que remete ao trabalho fabril – a repetição de tarefas, a disposição linear das carteiras e a divisão rígida dos turnos são exemplos disso. Logo, fica evidente o uso da disciplina para habituar o pássaro à gaiola, isto é, o estudante à falta de autonomia intelectual.
Diante desses aspectos, percebe-se que ainda há inegáveis desafios que impedem que a arte – do desenho de Paweł à canção de Pitty – deixe de ser um triste retrato da educação do Brasil. Para reverter essa situação, o Ministério da Educação, órgão responsável pela gestão do sistema de ensino do país, deve, por meio de verbas cedidas pelo Tribunal de Contas da União (TCU), planejar e implementar uma reforma estrutural que remodele não somente os métodos de ensino, mas também as regras de conduta. No âmbito pedagógico, serão aplicadas dinâmicas interativas, como a rotação por estações de aprendizagem; no disciplinar, serão realizadas assembleias para que professores e alunos discutam, em conjunto, a pertinência das normas propostas. Com essas medidas, as escolas encorajarão a reflexão autônoma, de modo que os estudantes tornar-se-ão pássaros livres, conforme idealizou Rubem Alves.

Fale comigo anonimamente: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIp ... A/viewform
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 193

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra excelente domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro. Desvios gramaticais ou de convenções da escrita, neste nível, são aceitos somente como excepcionalidade e quando não caracterizam reincidência.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 196

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 185

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema proposto, de forma consistente e organizada, configurando autoria, ou seja, os argumentos selecionados estão organizados e relacionados de forma consistente com o ponto de vista defendido e com o tema proposto, configurando-se independência de pensamento e autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 196

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante articula bem as ideias, os argumentos, as partes do texto e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos, sem inadequações.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 193

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante elabora excelente proposta de intervenção, detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Trata-se de redação cuja proposta de intervenção seja muito bem elaborada, relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, abrangente e bem detalhada.

1
#0
Olá, @Felipe082! Pelo que vi, o pessoal criou, com razão, uma grande expectativa sobre essa redação, esperando até um possível 1000 da minha parte. Digo, desde já, que ela está muito bem escrita, mas, ainda assim, trago alguns contrapontos que podem te ajudar a lapidar algumas peças fora dos seus respectivos moldes. Vou ser breve.

Não vejo significativos problemas sintáticos nem gramaticais, faço apenas duas observações. A primeira é quanto ao uso da expressão "a essa/a esse" com o objetivo de substituir (ou encurtar) a "a respeito de/sobre tal": não é gramaticalmente correta, no caso da regência do substantivo "viés", haja vista que temos perspectivas sobre algo ou a respeito de algo, e não a algo.

O uso do ponto e vírgula na linha 20 também não é adequado, visto que você não deixou claro que a estrutura sintática tem um progresso indefinido (o que se marca pelo uso da vírgula - ou do ponto e vírgula - sem finalização de listagem por conjunção aditiva). Nessa situação, o mais correto seria utilizar alguma conjunção de adição.

Fora isso, uma observação a respeito do uso do advérbio "também" na linha 9 do texto: você não está adicionando um novo universo ou objeto de discurso. O ensino é o foco de análise em todo seu parágrafo, o que torna a coesão por adição inadequada nesse caso.

Deixo essas dicas quanto à C1 e à C4! :)

Sobre a tese, a argumentação e a sua devida sustentação:
  • Na introdução, você não marca a sua opinião de maneira suficientemente satisfatória. Note que, no possível momento de atribuição de ponto de vista (por sua parte), é utilizada uma perspectiva observada pelo Rubem Alves, e não necessariamente pelo autor da dissertação-argumentativa. É importante lembrar que se entende, como tese, afirmações críticas, indicativas ou imperativas, as quais não foram bem salientadas nesse parágrafo, configurando um problema de C3.
  • Tenho algumas perguntas sobre o conteúdo do seu segundo parágrafo: o que é exatamente escutar apaticamente? É preciso escrever? Criticar? Falar? A forma de absorção do conteúdo é um problema a partir de quê? O que é estudar de maneira autônoma? Como entender que escutar o professor e não aplicar um estudo autônomo (?) implica um problema? Todos os professores possuem esse tipo de didática que (não suficientemente sustentada) você afirma ser inadequada? Modalize.
  • Agora, sobre o seu próximo desenvolvimento: qual é (e como entender) o problema de se ter um ambiente, nas escolas, semelhante ao das fábricas? O ambiente das fábricas provoca o quê? A repetição do trabalho, a organização das cadeiras em fileiras e a divisão rígida de turnos se relacionam de que maneira à falta de autonomia intelectual? Aliás, esses aspectos mitigam a individualidade dos alunos? De que modo? Realmente, você teve boas ideias, mas não conseguiu sustentá-las. Na minha opinião, pelo menos, não ficou evidente.
Conclusão muito bacana e bem articulada. :D

Essas observações eu não teço a qualquer um, hein? Espero que sejam úteis. Sucesso, Felipe! :mrgreen:

Não quebre o fluxo. Repasse conhecimento. Corrija uma redação. :D
5
#90521
Todos temos o conhecimento de que o agronegócio é um dos fatores principais para o crescimento econômico de um determinado país, mas também esse sistema econômico “lucrativo” possui seus pontos negativos em relação aos impactos ambientais.
Com sua vasta e abundância biodiversidade, o Brasil vem elevando seu PIB (Produto Interno Bruto) cerca de 9,37% ano passado (2021) e a previsão para este ano é até 5% de acordo com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), no entanto o desflorestamento, as mudanças climáticas e algumas outras alterações no ecossistêmicas já é calculável desde então.
A priori, o desflorestamento abrange a maior parte dos resultados prejudiciais, onde afeta a fauna, com a extinção de espécies e a flora, com o desmatamento, erosão, queimadas, etc. Isto posto, resulta a falta de alimentos, produtos comerciais, má qualidade do ar, aquecimento global, entre outros.
Ademais é esperado que a produtividade agrícola interfira nas mudanças climáticas nos próximos 30 anos, conforme a apuração feito por especialistas das Universidades Federais de Minas Gerais e Viçosa que causa a intensificação do efeito estufa, diminuição de chuva e aumento de casos como, asma, doenças pulmonares e câncer na saúde da população.
Em fim, para a mitigação dos impactos ambientais causados pelo aumento do agronegócio é preciso que o IBAMA, ONU, e algumas confederações como a CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil) invistam na educação, com projetos de incentivo a preservação, visto que de acordo com Nelson Mandela “A educação é a arma mais poderosa que você pode usar para mudar o mundo”, além da fiscalização de leis já existentes com a implementação de agentes preparados e adequados para essa ação.
0
#90574
Olá, @Felipe082! Pelo que vi, o pessoal criou, com razão, uma grande expectativa sobre essa redação, esperando até um possível 1000 da minha parte. Digo, desde já, que ela está muito bem escrita, mas, ainda assim, trago alguns contrapontos que podem te ajudar a lapidar algumas peças fora dos seus respectivos moldes. Vou ser breve.

Não vejo significativos problemas sintáticos nem gramaticais, faço apenas duas observações. A primeira é quanto ao uso da expressão "a essa/a esse" com o objetivo de substituir (ou encurtar) a "a respeito de/sobre tal": não é gramaticalmente correta, no caso da regência do substantivo "viés", haja vista que temos perspectivas sobre algo ou a respeito de algo, e não a algo.

O uso do ponto e vírgula na linha 20 também não é adequado, visto que você não deixou claro que a estrutura sintática tem um progresso indefinido (o que se marca pelo uso da vírgula - ou do ponto e vírgula - sem finalização de listagem por conjunção aditiva). Nessa situação, o mais correto seria utilizar alguma conjunção de adição.

Fora isso, uma observação a respeito do uso do advérbio "também" na linha 9 do texto: você não está adicionando um novo universo ou objeto de discurso. O ensino é o foco de análise em todo seu parágrafo, o que torna a coesão por adição inadequada nesse caso.

Deixo essas dicas quanto à C1 e à C4! :)

Sobre a tese, a argumentação e a sua devida sustentação:
  • Na introdução, você não marca a sua opinião de maneira suficientemente satisfatória. Note que, no possível momento de atribuição de ponto de vista (por sua parte), é utilizada uma perspectiva observada pelo Rubem Alves, e não necessariamente pelo autor da dissertação-argumentativa. É importante lembrar que se entende, como tese, afirmações críticas, indicativas ou imperativas, as quais não foram bem salientadas nesse parágrafo, configurando um problema de C3.
  • Tenho algumas perguntas sobre o conteúdo do seu segundo parágrafo: o que é exatamente escutar apaticamente? É preciso escrever? Criticar? Falar? A forma de absorção do conteúdo é um problema a partir de quê? O que é estudar de maneira autônoma? Como entender que escutar o professor e não aplicar um estudo autônomo (?) implica um problema? Todos os professores possuem esse tipo de didática que (não suficientemente sustentada) você afirma ser inadequada? Modalize.
  • Agora, sobre o seu próximo desenvolvimento: qual é (e como entender) o problema de se ter um ambiente, nas escolas, semelhante ao das fábricas? O ambiente das fábricas provoca o quê? A repetição do trabalho, a organização das cadeiras em fileiras e a divisão rígida de turnos se relacionam de que maneira à falta de autonomia intelectual? Aliás, esses aspectos mitigam a individualidade dos alunos? De que modo? Realmente, você teve boas ideias, mas não conseguiu sustentá-las. Na minha opinião, pelo menos, não ficou evidente.
Conclusão muito bacana e bem articulada. :D

Essas observações eu não teço a qualquer um, hein? Espero que sejam úteis. Sucesso, Felipe! :mrgreen:

Não quebre o fluxo. Repasse conhecimento. Corrija uma redação. :D
5
#91154
Em meus humildes conhecimentos, sua redação está perfeita @Felipe082
O único "defeito" que encontrei na C1, foi nesse trecho da sua conclusão:
"Diante desses aspectos, percebe-se que ainda há inegáveis desafios que impedem que a arte – do desenho de Paweł à canção de Pitty – deixe de ser um triste retrato da educação do Brasil"
Reparei que você usa os travessões para detalhar alguma informação do texto, o que achei muito interessante e ajuda a "despoluir" como muitas vírgulas. Porém, nessa parte que você fez rez a referência em detelhar a arte, você incluiu também a canção, acabou sendo dois núcleos que não precisavam dos travessões. Não acho que você perderia ponto por isso. Parabéns pela redação :D, poderia olhar a minha que acabei de postar? Vou lhe mencionar lá.
2
Similar Topics
Tópicos Estatísticas Última mensagem
Sistema educacional Brasileiro
por Mat662    - In: Outros temas
0 Respostas 
119 Exibições
por Mat662
0 Respostas 
78 Exibições
por Adria17
0 Respostas 
198 Exibições
por Mariatavares
2 Respostas 
77 Exibições
por Isabela05
Sistema educacional no Brasil
por Livia2021    - In: Outros temas
0 Respostas 
74 Exibições
por Livia2021
0 Respostas 
141 Exibições
por Livia32
3 Respostas 
348 Exibições
por Lala09
1 Respostas 
212 Exibições
por madusc
Sistema Educacional no Brasil
por Lenney    - In: Outros temas
0 Respostas 
33 Exibições
por Lenney
Desafios do sistema carcerário brasileiro
por Lopesx    - In: Outros temas
0 Respostas 
84 Exibições
por Lopesx

Na Escócia, país da Grã-Breta[…]

A água é uma questão que vem […]

Os desafios para a atenuação dos efe[…]

1 bez

bom dia, R. li seu texto e minhas observaç[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM