• Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
#74183
" O cidadão invisível" trata da desvalorização de alguns indivíduos na sociedade brasileira. De fato, a crítica de Dimenstein é verificada nos desafios para combater crimes virtuais, que são muitas vezes deixados de ser notado pela população por se considerados banais por parte da sociedade. Nesse sentido, observa-se um delicado problema que tem como causas a falta de denúncia é a má influência midiática.

Dessa forma, em primeira análise, a falta de denúncia é um desafio presente na problemática. Djamila Ribeiro explica que é preciso tirar uma situação da invisibilidade para que soluções sejam promovidas. No entanto, a um silenciamento instaurado na questão dos desafios para combater esses crimes, visto que pouco se fala sobre a importância da denúncia nas mídias de massa, gerando muitas vítimas de extorsão, calúnias, perseguição e até mesmo crianças reféns de pedofilia. Logo, urge tirar essa situação da invisibilidade para atuar sobre ela como defende a pensadora.

Em paralelo, a má influência midiática é um entrave no que tange ao problema. O filósofo francês Satre defende que cabe ao ser humano escolher o seu modo de agir, pois seria livre e responsável. Tal constatação é nítida no desafio para amenizar esses delitos, uma vez que parte da população é influenciada de forma negativa a prática atitudes inadequadas nas redes sociais, por exemplo, muitos jovens são levados a acessar sites pornográficos o que leva a problemas de saúde precoce. Assim, inverte a lógica é urgente.

Portanto, é indispensável interver sobre a questão. Para isso, o Poder Público deve investir no levantamento de uma campanha nas redes sociais para que a população tome conhecimento sobre as leis que existem e a denúncia seja feita, por meio da destinação de verbas, com a finalidade de reverter esse cenário de desordem no mundo virtual. Tal ação pode, ainda ser divulgada na mídia de massa para que as pessoas possam identificar quando ocorre um crime na internet. Paralelamente, é preciso intervir sobre a má influência midiática presente no problema. Dessa maneira, o Brasil poderá ter menos "cidadãos de papel" como defende Dimenstein.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 120

Você atingiu aproximadamente 60% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra domínio mediano da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro, com alguns desvios gramaticais e de convenções da escrita, ou seja, apresenta um texto com estrutura sintática mediana para o grau de escolaridade exigido, porém com alguns desvios morfossintáticos, de pontuação, de grafia ou de emprego do registro adequado ao tipo textual.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 160

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema, de forma organizada, com indícios de autoria, ou seja, os argumentos, embora ainda possam ser previsíveis, estão organizados e relacionados de forma consistente ao ponto de vista defendido e ao tema proposto, e há indícios de autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 160

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante articula as partes do texto com poucas inadequações e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante elabora excelente proposta de intervenção, detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Trata-se de redação cuja proposta de intervenção seja muito bem elaborada, relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, abrangente e bem detalhada.

#74474
Oi, Yunic. Tudo bom? Irei analisar seu texto.

O cidadão invisível" trata da desvalorização de alguns indivíduos na sociedade brasileira. De fato, a crítica de Dimenstein é verificada nos desafios para combater crimes virtuais, que são muitas vezes deixados de ser notado pela população por se (serem) considerados banais por parte da sociedade. Nesse sentido, observa-se um delicado problema que tem como causas a falta de denúncia é a má influência midiática.

Substitua essa parte marcada em azul por: "que muitas vezes não são notados pela população".
O correto seria "serem", pois deve concordar com "crimes virtuais".

Dessa forma, em primeira análise, a falta de denúncia é um desafio presente na problemática. Djamila Ribeiro explica que é preciso tirar uma situação da invisibilidade para que soluções sejam promovidas. No entanto, a (há) um silenciamento instaurado na questão dos desafios para combater esses crimes, visto que pouco se fala sobre a importância da denúncia nas mídias de massa, gerando muitas vítimas de extorsão, calúnias, perseguição e até mesmo crianças reféns de pedofilia. Logo, urge tirar essa situação da invisibilidade para atuar sobre ela como defende a pensadora.

O correto seria "há", no sentido de existir.

Em paralelo, a má influência midiática é um entrave no que tange ao problema. O filósofo francês Satre defende que cabe ao ser humano escolher o seu modo de agir, pois seria livre e responsável. Tal constatação é nítida no desafio para amenizar esses delitos, uma vez que parte da população é influenciada de forma negativa a prática (praticar) atitudes inadequadas nas redes sociais, por exemplo, muitos jovens são levados a acessar sites pornográficos, o que leva a problemas de saúde precoce. Assim, inverte (inverter) a lógica é urgente.

Nesse caso, o correto seria "praticar". Prática, com acentuação gráfica, pode ser um substantivo ou um adjetivo e praticar, sem acentuação gráfica, é uma forma verbal.
O correto seria "inverter".

Portanto, é indispensável interver (intervir) sobre a questão. Para isso, o Poder Público deve investir no levantamento de uma campanha nas redes sociais para que a população tome conhecimento sobre as leis que existem e a denúncia seja feita, por meio da destinação de verbas, com a finalidade de reverter esse cenário de desordem no mundo virtual. Tal ação pode, ainda ser divulgada na mídia de massa para que as pessoas possam identificar quando ocorre um crime na internet. Paralelamente, é preciso intervir sobre a má influência midiática presente no problema. Dessa maneira, o Brasil poderá ter menos "cidadãos de papel" como defende Dimenstein.

Tudo certinho na conclusão.

Dicas: cuidado ao conjugar o verbo. Recomendo que estude concordância verbal. E continue estudando e fazendo redações.
#74475
Cleverson escreveu:Oi, Yunic. Tudo bom? Irei analisar seu texto.

O cidadão invisível" trata da desvalorização de alguns indivíduos na sociedade brasileira. De fato, a crítica de Dimenstein é verificada nos desafios para combater crimes virtuais, que são muitas vezes deixados de ser notado pela população por se (serem) considerados banais por parte da sociedade. Nesse sentido, observa-se um delicado problema que tem como causas a falta de denúncia é a má influência midiática.

Substitua essa parte marcada em azul por: "que muitas vezes não são notados pela população".
O correto seria "serem", pois deve concordar com "crimes virtuais".

Dessa forma, em primeira análise, a falta de denúncia é um desafio presente na problemática. Djamila Ribeiro explica que é preciso tirar uma situação da invisibilidade para que soluções sejam promovidas. No entanto, a (há) um silenciamento instaurado na questão dos desafios para combater esses crimes, visto que pouco se fala sobre a importância da denúncia nas mídias de massa, gerando muitas vítimas de extorsão, calúnias, perseguição e até mesmo crianças reféns de pedofilia. Logo, urge tirar essa situação da invisibilidade para atuar sobre ela como defende a pensadora.

O correto seria "há", no sentido de existir.

Em paralelo, a má influência midiática é um entrave no que tange ao problema. O filósofo francês Satre defende que cabe ao ser humano escolher o seu modo de agir, pois seria livre e responsável. Tal constatação é nítida no desafio para amenizar esses delitos, uma vez que parte da população é influenciada de forma negativa a prática (praticar) atitudes inadequadas nas redes sociais, por exemplo, muitos jovens são levados a acessar sites pornográficos, o que leva a problemas de saúde precoce. Assim, inverte (inverter) a lógica é urgente.

Nesse caso, o correto seria "praticar". Prática, com acentuação gráfica, pode ser um substantivo ou um adjetivo e praticar, sem acentuação gráfica, é uma forma verbal.
O correto seria "inverter".

Portanto, é indispensável interver (intervir) sobre a questão. Para isso, o Poder Público deve investir no levantamento de uma campanha nas redes sociais para que a população tome conhecimento sobre as leis que existem e a denúncia seja feita, por meio da destinação de verbas, com a finalidade de reverter esse cenário de desordem no mundo virtual. Tal ação pode, ainda ser divulgada na mídia de massa para que as pessoas possam identificar quando ocorre um crime na internet. Paralelamente, é preciso intervir sobre a má influência midiática presente no problema. Dessa maneira, o Brasil poderá ter menos "cidadãos de papel" como defende Dimenstein.

Tudo certinho na conclusão.

Dicas: cuidado ao conjugar o verbo. Recomendo que estude concordância verbal. E continue estudando e fazendo redações.
Já ia esquecendo de comentar sobre outra coisa kkkkk. Aprofunde mais um pouquinho seus argumentos. Leia redações nota mil de edições anteriores do ENEM, observando como a argumentação foi construída e desenvolvida.

Embora a Declaração Universal dos Di[…]

Olá, Bia. A sua redação n&at[…]

eurodrigo anasilva1 Bia2201 3m1ly Gi6[…]

eurodrigo Obrigado pela avaliaçã[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM