Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação mais de uma vez = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos de "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
#45482
Embora a constituição federal de 1988 assegure o acesso à saúde como direito de todos os cidadãos, percebe-se que, na atual realidade brasileira, não há o cumprimento dessa garantia, principalmente no que diz respeito à telemedicina. Isso acontece devido às deficiências do SUS e a falta de acesso à internet.

É relevante abordar, primeiramente, que o Sistema Único de Saúde carece de muita infraestrutura. Hobiernamente, ocupando a nona posição na economia mundial, seria racional acreditar que o sistema de saúde brasileiro é eficaz. Contudo, a realidade é justamente o contrário, e o resultado disso é refletido na dificuldade para implementação da telemedicina no Brasil. Segundo o economista e diplomata brasileiro, Roberto Campos, o país, ao se preocupar demais com gastos desnecessários, deixa de exercer suas principais funções. Assim, entende-se que o estado - ao tentar realizar cargos dispensáveis - gera carências estruturais no SUS, dificultando, dessa forma, a realização de atendimentos em ambientes virtuais.

Faz-se mister, ainda, salientar a falta de acesso à Internet por grande parte dos brasileiros como impulsionador da problemática. De acordo com pesquisa realizada pelo IBGE, cerca de 25% dos brasileiros não utiliza a rede mundial - resultado da enorme desigualdade econômica entre os cidadãos. Nota-se que para uma eficaz implementação da telessaúde, é fundamental que os quase 50 milhões de brasileiros que não podem usufruir da 'web', adquiram esse acesso.

Infere-se, portanto, que ainda há entraves para a democratização da telemedicina no Brasil. Dessa maneira urge que o Ministério da Economia deve priorizar a alocação de recursos orçamentários nos setores fundamentais, como a saúde, permitindo a criação da infraestrutura necessária para a realização de atendimentos virtuais à pacientes, a fim de possibilitar uma eficaz telessaúde no país. Além disso, cabe ao poder executivo a adoção de medidas que visem a democratização do acesso à Internet. Feito isso, o Brasil poderá superar os desafios para a implementação da telemedicina.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 160

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra bom domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro, com poucos desvios gramaticais e de convenções da escrita, ou seja, apresenta um texto com boa estrutura sintática, com poucos desvios de pontuação, de grafia e de emprego do registro exigido.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 160

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente e apresenta bom domínio do texto dissertativo-argumentativo, com proposição, argumentação e conclusão. Embora ainda possa apresentar alguns problemas no desenvolvimento das ideias, o tema, em seu texto, é bem desenvolvido, com indícios de autoria e certa distância do senso comum demonstrando bom domínio do tipo textual exigido.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 120

Você atingiu aproximadamente 60% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema, mas limitados aos argumentos dos textos motivadores e pouco organizados, ou seja, os argumentos estão pouco articulados, além de relacionados de forma pouco consistente ao ponto de vista defendido.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante articula bem as ideias, os argumentos, as partes do texto e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos, sem inadequações.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 160

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante elabora bem proposta de intervenção relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, articulada e abrangente, ainda que sem suficiente detalhamento.

#45487
DavidBRBut escreveu:@Geralcinoj poderia revisar está redação, se possível? Agradeço desde já.
Posso sim! Trarei alguns comentários amanhã se possível.
#45523
Contextualização
Apresentação do tema
Tese
Tópico Frasal
Dados
Argumentação
Arrematação da Tese
Arrematação de tese na conclusão
Elementos da proposta de intervenção
Frase de efeito
Termos coesivos
Comentários

Embora a constituição federal de 1988 assegure o acesso à saúde como direito de todos os cidadãos, percebe-se que, na atual realidade brasileira, não há o cumprimento dessa garantia, principalmente no que diz respeito à telemedicina. Isso acontece devido às deficiências do SUS( Abra a sigla) e a falta de acesso à internet.( Nessa introdução noto sua apresentação do tema e tese, mas falta a contextualização.)

É relevante abordar, primeiramente, que o Sistema Único de Saúde carece de muita infraestrutura. Hobiernamente, ocupando a nona posição na economia mundial, seria racional acreditar que o sistema de saúde brasileiro é eficaz. Contudo, a realidade é justamente o contrário, e o resultado disso é refletido na dificuldade para implementação da telemedicina no Brasil. Segundo o economista e diplomata brasileiro, Roberto Campos, o país, ao se preocupar demais com gastos desnecessários, deixa de exercer suas principais funções. Assim, entende-se que o estado - ao tentar realizar cargos dispensáveis - gera carências estruturais no SUS, dificultando, dessa forma, a realização de atendimentos em ambientes virtuais.
( Nesse desenvolvimento você poderia ter trabalhado mais sua argumentação, está um poruco delimitada!)

Faz-se mister, ainda, salientar a falta de acesso à Internet por grande parte dos brasileiros como impulsionador da problemática. De acordo com pesquisa realizada pelo IBGE, cerca de 25% dos brasileiros não utiliza a rede mundial - resultado da enorme desigualdade econômica entre os cidadãos. Nota-se que para uma eficaz implementação da telessaúde, é fundamental que os quase 50 milhões de brasileiros que não podem usufruir da 'web', adquiram esse acesso.( Nesse desenvolvimento vejo todos os tópicos, mas falta a argumentação. É necessário haver uma abordagem do tema aqui!)

Infere-se, portanto, que ainda há entraves para a democratização da telemedicina no Brasil. Dessa maneira urge que o Ministério da Economia( Agente) deve priorizar a alocação de recursos orçamentários nos setores fundamentais( Ação), como a saúde, permitindo a criação da infraestrutura necessária para a realização de atendimentos virtuais à pacientes,( Detalhamento) a fim de possibilitar uma eficaz telessaúde no país.( Finalidade) Além disso, cabe ao poder executivo ( Poder Executivo)( Agente)a adoção de medidas que visem a democratização do acesso à Internet.( Ação) Feito isso, o Brasil poderá superar os desafios para a implementação da telemedicina.( Sua proposta está incompleta! Falta na primeira o Meio da proposta!)[/i

Sua redação não é ruim, mas carece de apsectos relevantes. Estude argurmentação, contextualização e proposta de intervenção.
No mais, é só!
:D
#45550
CORREÇÃO DA GRAMÁTICA (X)

Embora a constituição federal de 1988 assegure o acesso à saúde como direito de todos os cidadãos, percebe-se que, na atual realidade brasileira, não há o cumprimento dessa garantia, principalmente no que diz respeito à telemedicina. Isso acontece devido às deficiências do SUS e a falta de acesso à internet.

É relevante abordar, primeiramente, que o Sistema Único de Saúde carece de muita infraestrutura. Hodiernamente, ocupando a nona posição na economia mundial, seria racional acreditar que o sistema de saúde brasileiro é eficaz. Contudo, a realidade é justamente o contrário,(1) e o resultado disso é refletido na dificuldade para implementação da telemedicina no Brasil. Segundo o economista e diplomata brasileiro, Roberto Campos, o país, ao se preocupar demais com gastos desnecessários, deixa de exercer suas principais funções. Assim, entende-se que o estado - ao tentar realizar cargos dispensáveis - gera carências estruturais no SUS, dificultando(2), dessa forma, a realização de atendimentos em ambientes virtuais.

Faz-se mister, ainda, salientar a falta de acesso à Internet por grande parte dos brasileiros como impulsionador da problemática. De acordo com pesquisa realizada pelo IBGE, cerca de 25% dos brasileiros não utilizam a rede mundial - resultado da enorme desigualdade econômica entre os cidadãos. Nota-se que para uma eficaz implementação da telessaúde, é fundamental que os quase 50 milhões de brasileiros que não podem usufruir da 'web', adquiram esse acesso.

Infere-se, portanto, que ainda há entraves para a democratização da telemedicina no Brasil. Dessa maneira,(5) urge que o Ministério da Economia deve priorizar a alocação de recursos orçamentários nos setores fundamentais, como a saúde, permitindo a criação da infraestrutura necessária para a realização de atendimentos virtuais aos(6) pacientes, a fim de possibilitar uma eficaz telessaúde no país. Além disso, cabe ao poder executivo a adoção de medidas que visem a democratização do acesso à Internet. Feito isso, o Brasil poderá superar os desafios para a implementação da telemedicina.

Observações:
(1)-Evite vírgula antes da conjunção aditiva "e", porque só existe um caso para o seu uso e ainda é facultativo. No seu caso tem o pronome contraído (disso), então acho que não está errado.
(2)-Evite o gerundismo. O ideal é optar pelo pronome relativo. Ex.: ...o que dificulta, dessa forma, ...
(3)-Não utilize termos como "muito", "pouco" na redação pois são bastantes relativos e não são o ideal para a argumentação.
(4)-Eu estou corrigindo a gramática do seu texto, mas como está bastante visível, a argumentação do seu texto está bastante embrionária. Cite as consequências que isso acarreta. Apresente exemplos. Argumente!
(5)-Adjunto precisa estar isolado por vírgulas, nesse caso.
(6)-Paciente é um substantivo masculino.

De acordo com a Constituição Federal[…]

Na novela "O tempo não para", &ea[…]

KelvinLucas BrendaAdnerb pvictor20 Allissom[…]

Na obra "Utopia", do escritor inglê[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM