• Avatar do usuário
#80289
A Constituição Federal de 1988, documento jurídico mais importante do país, prevê em seu artigo 6º, o direito a educação como inerente a todo cidadão. Todavia, essa prerrogativa não tem sido disseminada na prática quando observamos obstáculos como a pandemia do novo coronavírus que nos apresentou problemas maiores com a desigualdade social e a dificuldade de adequação dos jovens. Diante dessa perspectiva é necessária a análise direta desses causadores.

Em primeira análise, deve-se ressaltar a adversidade que alunos de redes públicas passaram com a estratégia adotada de ensino à distância, com muitos desses jovens não tendo condições de se manterem nesse método de ensino. Nesse sentido, a desigualdade é aparente com alguns tendo boas formas de estudo e diversas formas de acesso com plataformas digitais e tantos outros não tendo acesso ao básico que seriam computadores, internet e locais de estudo decentes. Segundo Eduardo Marinho, escritor e ativista social, “não há competição onde há desigualdade de condições. Há covardia!” Infelizmente, é evidente no Brasil as chances desemparelhadas que vão contra aos direitos indispensáveis ao ser humano.

Ademais, há a fragilidade psicológica como impulsionador de ansiedade, depressão e outras doenças mentais impactadas diretamente com a pandemia e seus rigorosos desafios. Em uma pesquisa realizada pela Fundação Carlos Chagas sobre os efeitos da suspensão das aulas presenciais, foi estimado que mais de metade dos alunos vivenciaram um aumento de transtornos como a ansiedade. São algumas das consequências que foram apontadas em um curto prazo e as sequelas de longo prazo devem ser averiguadas antecipadamente.

Necessita-se, portanto, de uma intervenção urgente do Estado para regularizar a desigualdade e a democratização de redes de computadores e internet de fácil acesso para os estudantes de baixa renda, com projetos que permitem auxílios financeiros e ao incentivo as doações de aparelhos tecnológicos não utilizados. Paralelamente, é imprescindível que haja uma conscientização nas escolas por meio de assistências psicológicas.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 160

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra bom domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro, com poucos desvios gramaticais e de convenções da escrita, ou seja, apresenta um texto com boa estrutura sintática, com poucos desvios de pontuação, de grafia e de emprego do registro exigido.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 120

Você atingiu aproximadamente 60% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema, mas limitados aos argumentos dos textos motivadores e pouco organizados, ou seja, os argumentos estão pouco articulados, além de relacionados de forma pouco consistente ao ponto de vista defendido.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 120

Você atingiu aproximadamente 60% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante articula de forma mediana as partes do texto com inadequações ou alguns desvios e apresenta repertório pouco diversificado de recursos coesivos.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 120

Você atingiu aproximadamente 60% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante elabora, de forma mediana, pouco consistente, proposta de intervenção relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto.

#80620
A Constituição Federal de 1988, documento jurídico mais importante do país, prevê em seu artigo 6º, o direito a à educação como inerente a todo cidadão. Todavia, essa prerrogativa não tem sido disseminada na prática quando observamos obstáculos [faltou vírgula] como a pandemia do novo coronavírus que nos apresentou problemas maiores com a desigualdade social e a dificuldade de adequação dos jovens ficou estranho... essa sua intro começa bem, mas fica nervosinha depois

sugestão: A Constituição Federal de 1988 prevê o direito à educação como inerente a todo cidadão. Todavia, essa prerrogativa não tem sido disseminada na prática ao se observar obstáculos, como a pandemia do novo coronavírus, a qual expôs problemas maiores, como a desigualdade social e a dificuldade de adaptação dos jovens. Diante dessa perspectiva, [lembe-se da vírgula!] é necessária a análise direta desses causadores.


Em primeira análise, deve-se ressaltar a adversidade que alunos de redes públicas passaram com a estratégia adotada de ensino à distância, com muitos desses jovens não tendo condições de se manterem nesse método de ensino [esse tópico frasal não ficou tão claro em relação à desigualdade social], seja mais direta. Nesse sentido, a desigualdade é aparente com alguns tendo boas formas de estudo e, além de diversas formas de acesso com plataformas digitais, e paralelismo e tantos outros não tendo acesso ao básico, os quais que (uso repetitivo da conjunção "que"" queísmo") seriam computadores, internet e locais de estudo decentes. [faltou conectivo]Segundo Eduardo Marinho, escritor e ativista social, “não há competição onde há desigualdade de condições. Há covardia!” Jamais coloque seu repertório no fim do parágrafo. Ele deve ser posto preferencialmente logo após o Tópico frasal para que você exponha a relação entre a tese (causa1) e o repertório, e então as consequências... para depois concluir o parágrafo[onde está o conectivo de conclusão?]Infelizmente, é evidente no Brasil as chances desemparelhadas que vão contra aos direitos indispensáveis ao ser humano.
Sugestão: Tópico Frasal (mais claro) + Repertório + Relação entre TF-Rep + Consequências + Conclusão

Ademais, há a fragilidade psicológica como impulsionador de ansiedade, depressão e outras doenças mentais impactadas diretamente com a pandemia e seus rigorosos desafios [novamente, o tópico frasal não parece tão claro quanto o exposto na introdução (causa2)]. [cadê o conectivo?] Em uma pesquisa realizada pela Fundação Carlos Chagas sobre os efeitos da suspensão das aulas presenciais, foi estimado que mais de metade dos alunos vivenciaram um aumento de transtornos como a ansiedade. Essas são algumas das consequências que foram apontadas em um curto prazo e as sequelas de longo prazo devem ser averiguadas antecipadamente. Onde está a conclusão?

Necessita-se, portanto, de uma intervenção urgente do 1.Estado (Especifique: Governo Federal, Ministério da Economia, Poder Executivo, Legislativo, Judiciário, etc....."Estado" é vago) 4.para regularizar a desigualdade e a democratização de redes de computadores e internet de fácil acesso para os estudantes de baixa renda,3. com projetos que permitem auxílios financeiros e ao incentivo as doações de aparelhos tecnológicos não utilizados. Paralelamente, é imprescindível que haja uma conscientização nas escolas por meio de assistências psicológicas.


A conclusão precisa de : 1.agente; 2.Ação; 3. Meio/modo; 4. Finalidade; 5. Detalhamento de um dos elementos anteriores.

Excelente redação amigo.

@eurodrigo poderia dar uma olhada?

Correção flash • Modelo ENEM […]

Correção flash • Modelo ENEM […]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM