Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação mais de uma vez = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos como: "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
#41716
Há 132 anos atrás, o Brasil foi o último país do continente americano a abolir a escravidão, jogando 1.500.000 de pessoas na sociedade sem nenhuma assistência, gerando uma herança histórica. Hoje 53% da população brasileira é negra, então na teoria os índices deveriam ser divididos proporcionalmente entre brancos e negros, mas isso está longe de acontecer.
Como exemplo dessa herança, foi instalado na sociedade o chamado “Racismo Estrutural”, que basicamente é o preconceito de etnia que já é instalado no ser humano naturalmente e até inconscientemente através de sua criação. Atualmente a cor da pele pode definir até mesmo seu tempo de vida. De 2004 a 2014 a taxa de homicídio de mulheres brancas caiu de 44% para 32,5%, já o de mulheres negras aumentou consideravelmente de 48% para 62%. Juntando os gêneros, essa realidade fica ainda pior, no Brasil 1 pessoa melânica é assassinada a cada 12 minutos e 7 em cada 10 mortos em operações policiais são negros.
A desigualdade salarial atual também mostra como esse acontecimento influência na vida dessas pessoas. Na contemporaneidade, segundo uma pesquisa do IBGE em 2019, a renda mensal de pessoas afrodescendentes equivalia a 55,8% da de pessoas brancas e analisando todos os quesitos que poderiam ser a razão dessa diferença, o único encontrado foi a discriminação da pele escura dos trabalhadores. Essa questão reflete diretamente na qualidade de vida desses indivíduos, hodiernamente 70% dos cidadãos que vivem em extrema pobreza são negros e 80% das pessoas mais ricas são brancas, 70% das pessoas de pele clara dispõem de uma máquina de lavar em casa enquanto 53,2% de casas chefiadas por negros não possuem, 51,3% dos negros não tem acesso a internet enquanto brancos apenas 38%, 39% das pessoas melânicas não contêm esgoto encanado em sua casa e 70% dos dependentes do SUS são afrodescendentes.
Analisando esses elementos é indubitável que a escravidão deixou diversos resquícios para trás, estando presente disfarçadamente na sociedade até os dias de hoje, então não se sabe se você leitor é branco ou negro, mas é inegável que esse fato define a sua vida.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

#41717
Há 132 anos atrás, o Brasil foi o último país do continente americano a abolir a escravidão, jogando 1.500.000 de pessoas na sociedade sem nenhuma assistência, gerando uma herança histórica. Hoje 53% da população brasileira é negra, então na teoria os índices deveriam ser divididos proporcionalmente entre brancos e negros, mas isso está longe de acontecer.
Como exemplo dessa herança, foi instalado na sociedade o chamado “Racismo Estrutural”, que basicamente é o preconceito de etnia que já é instalado no ser humano naturalmente e até inconscientemente através de sua criação. Atualmente a cor da pele pode definir até mesmo seu tempo de vida. De 2004 a 2014 a taxa de homicídio de mulheres brancas caiu de 44% para 32,5%, já o de mulheres negras aumentou consideravelmente de 48% para 62%. Juntando os gêneros, essa realidade fica ainda pior, no Brasil 1 pessoa melânica é assassinada a cada 12 minutos e 7 em cada 10 mortos em operações policiais são negros.
A desigualdade salarial atual também mostra como esse acontecimento influência na vida dessas pessoas. Na contemporaneidade, segundo uma pesquisa do IBGE em 2019, a renda mensal de pessoas afrodescendentes equivalia a 55,8% da de pessoas brancas e analisando todos os quesitos que poderiam ser a razão dessa diferença, o único encontrado foi a discriminação da pele escura dos trabalhadores. Essa questão reflete diretamente na qualidade de vida desses indivíduos, hodiernamente 70% dos cidadãos que vivem em extrema pobreza são negros e 80% das pessoas mais ricas são brancas, 70% das pessoas de pele clara dispõem de uma máquina de lavar em casa enquanto 53,2% de casas chefiadas por negros não possuem, 51,3% dos negros não tem acesso a internet enquanto brancos apenas 38%, 39% das pessoas melânicas não contêm esgoto encanado em sua casa e 70% dos dependentes do SUS são afrodescendentes.
Analisando esses elementos é indubitável que a escravidão deixou diversos resquícios para trás, estando presente disfarçadamente na sociedade até os dias de hoje, então não se sabe se você leitor é branco ou negro, mas é inegável que esse fato define a sua vida.
Desastres ambientais no Brasil

Uma das áreas mais afetadas por incên[…]

No poema “No meio do caminho”, o escri[…]

Desculpa a demora viu flor! Sua nota ficou 800! E[…]

Contextualização Apresenta&ccedi[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM