Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação mais de uma vez = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos de "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
  • Avatar do usuário
#42871
De acordo com TSE um em cada cinco adolescentes de 16 e 17 anos tirou o título de eleitor em 2018. De maneira análoga, esse fato demonstra o quanto a participação do jovem na política é sem expressividade, o que é preocupante. Nesse sentido pode-se afirmar que a descrença e a falta de educação política agravam essa situação.
Em primeiro lugar, a juventude não acredita que pode trazer mudança em um cenário onde há tanta corrupção e escândalos. O próprio doutor em Ciências sociais Rudá Ricci confirma essa linha de pensamento em seu depoimento ao portal DeFato. Tal situação, é totalmente nociva tanto aos jovens, quanto ao futuro político brasileiro, já que nem na pandemia denúncias da PF sobre os desvios de verbas deixaram de ocorrer.
Ademais, a falta da educação prejudica o interesse no debate de jovens sobre questões governamentais, pois, ninguém discute sobre o que não conhece. Em fala, a cientista política Patrícia Teixeira diz que a educação política deve começar nas escolas, com professores capazes de lançar essas ideias. Em oposição, a desinformação estagna e pode trazer o retrocesso a uma sociedade gerando crises internas.
Portanto, para corrigir essa apática participação jovem na política, medidas precisam ser tomadas. Nesse âmbito, cabe ao Ministério da Educação promover maior acesso à informação, por meio de aulas de educação política e palestras de cidadania promovendo o engajamento estudantil, com a direção dos docentes e convidados especializados, informando a todos os ouvintes, o quanto a esfera política pode transformar a sociedade para melhor, e nela todos podem exercer seus potenciais como cidadãos da democracia brasileira. E nessa lógica, é verídica a fala de Mandela "A educação é a arma mais poderosa para mudar o mundo".



Obs: a redação foi transcrita de uma folha de caderno com 30 linhas.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 70

Você atingiu aproximadamente 40% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra domínio insuficiente da modalidade escrita formal da língua portuguesa, com muitos desvios gramaticais, de escolha de registro e de convenções da escrita. Seu texto apresenta estrutura sintática com certa organização, porém com muitos desvios morfossintáticos, de pontuação, de grafia ou de emprego do registro adequado ao tipo textual, que comprometem a compreensão das ideias.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 180

Você atingiu aproximadamente 90% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 130

Você atingiu aproximadamente 70% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema, de forma organizada, com indícios de autoria, ou seja, os argumentos, embora ainda possam ser previsíveis, estão organizados e relacionados de forma consistente ao ponto de vista defendido e ao tema proposto, e há indícios de autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 110

Você atingiu aproximadamente 60% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante articula de forma mediana as partes do texto com inadequações ou alguns desvios e apresenta repertório pouco diversificado de recursos coesivos.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 180

Você atingiu aproximadamente 90% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante elabora excelente proposta de intervenção, detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Trata-se de redação cuja proposta de intervenção seja muito bem elaborada, relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, abrangente e bem detalhada.

#46521
Introdução
De acordo com Tribunal Superior Eleitoral (TSE), [1]um em cada cinco adolescentes de 16 e 17 anos tirou o título de eleitor em 2018. De maneira análoga, esse fato demonstra o quanto a participação do jovem na política é sem expressividade, já que o voto é obrigatório para maiores de 18 anos, o que é preocupante no contexto sociopolítico brasileiro. Nesse sentido pode-se afirmar que a descrença e a falta de educação política agravam essa situação.

[1] Usa-se vírgula para separar oração adverbial conformativa deslocada.
Comentário: É necessário contextualizar a introdução para enriquecer a redação. Você utilizou um dado estatístico que poderia ser analisado com mais profundidade. Reescrever o texto é uma boa estratégia de prática textual, então não deixe de fazê-la.

Desenvolvimento 1
Em primeiro lugar, a juventude não acredita que pode trazer mudança em um cenário onde há tanta corrupção e escândalos. O próprio doutor em Ciências sociais Rudá Ricci confirma essa linha de pensamento em seu depoimento ao portal DeFato [2]. Tal situação, [3] é totalmente nociva tanto aos jovens, quanto ao futuro político brasileiro, já que nem na pandemia denúncias da Polícia Federal (PF) sobre os desvios de verbas deixaram de ocorrer.

[2] É necessário deixar explícito qual é a declaração cientista social Rudá Ricci. Você acha pertinente a citação desse cientista? Quando você cita alguém é porque compartilha, de alguma forma, com o que ele diz.
[3] Quem é o sujeito dessa oração? Assim, o uso da vírgula é proibido, pois separa o sujeito do verbo.


Comentário: Se você defende que a participação dos jovens na política deve-se à corrupção, podia ter explorado seu repertório. Procure por citações que possam contribuir para o seu texto, assim poderá argumentar na defesa de sua tese. Você já leu o livro "A revolução dos bichos", de George Orwell?


Desenvolvimento 2
Ademais, a falta da educação prejudica o interesse no debate de jovens sobre questões governamentais, pois, [4] ninguém discute sobre o que não conhece. Em fala, a cientista política Patrícia Teixeira [5] diz que a educação política deve começar nas escolas, com professores capazes de lançar essas ideias. Em oposição, a desinformação estagna e pode trazer o retrocesso a uma sociedade gerando crises internas.

[4] Atente-se para o uso da vírgula neste caso.
[5] Onde foi feita essa publicação?


Conclusão
Portanto, para corrigir essa apática participação jovem na política, medidas precisam ser tomadas. Nesse âmbito, cabe ao Ministério da Educação (Agente) promover maior acesso à informação (Ação), por meio de aulas de educação política e palestras (Meio) de cidadania promovendo o engajamento estudantil, com a direção dos docentes e convidados especializados (Detalhamento), informando a todos os ouvintes, [6] o quanto a esfera política pode transformar a sociedade, na qual todos podem exercer seus potenciais como cidadãos da democracia brasileira. E nessa lógica, é verídica a fala de Mandela: "A educação é a arma mais poderosa para mudar o mundo".

[6] Uso desnecessário de vírgula, pois quem informa, informa algo à alguém. Então não pode separar o verbo e seu complemento.
Comentário: Cuidado com o uso das vírgulas e a justaposição de orações. Quando você utiliza períodos longos, deve explorar os conectivos coesivos a fim de garantir a progressão coesiva. O projeto de intervenção pode surtir um efeito social, mas não apresenta todos os elementos exigidos.

O argumento é a arma mais poderoso para a sua redação, portanto não deixe de se posicionar e mostrar sua identidade no texto.

De forma geral, encontrei apenas um erro ortogr&aa[…]

A saúde mental dos brasileiros é ala[…]

De forma geral, argumentação excele[…]

Gabi02 Poderia dar uma olhada em minha reda&[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM