• Avatar do usuário
#67214
Na obra de origem australiana, “A Menina que Roubava Livros”, escrita por Markus Zusark, o telespectador é apresentado à história fictícia de uma jovem que, antes mesmo de saber ler, era apaixonada por livros, e encontrou neles uma maneira de fugir da triste realidade que se passava durante o período da Segunda Guerra Mundial, na Alemanha. Semelhante a ficção, infelizmente, a dificuldade do acesso aos livros didáticos é um problema no Brasil. Isso ocorre pelo alto custo de livros e a alienação tecnológica.

A realidade imposta pela economia brasileira frustra a expectativa de seus cidadãos de terem acesso a um livro pedagógico. Segundo um comentário lamentável de Paulo Guedes, atual Ministro da Economia, os livros poderiam ter seus preços aumentados na reforma tributária. Tristemente, é explicável que o Brasil se encontre em quarto lugar no ranking das nações com os preços de livros mais elevados. Portanto, é preciso tomar providências diante das obras literárias de alto custo, evitando prejuízos nas universidades brasileiras e limitando o ensino com livros inadequados para o aprendizado.

É inquestionável que a tecnologia tem evoluído bastante durante esses últimos anos, com muitas pessoas que preferem abrir mão de um livro e dedicar seu tempo para se modernizar pela internet. É eminente que o aplicativo “TikTok” é um grande sucesso entre as redes sociais, movendo milhares de pessoas a gravar e a assistir vídeos de gostos variados. Aplicativos como esse são altamente capazes de influenciar, principalmente, crianças que se sentem obrigadas a participar de “modas” imposta pela mídia. Muitas dessas crianças são distanciadas de livros didáticos por conta da alienação tecnológica, que alimenta a escassez de leitores e escritores no Brasil.

Logo, é de suma importância combater a dificuldade de acesso a livros didáticos no Brasil contemporâneo. Para isso, cabe ao Ministério da Economia diminuir o preço do papel, para que o Ministério da Educação possa disponibilizar livros de alta qualidade em escolas e bibliotecas e, além disso, criar anúncios nas redes sociais para viabilizar o rápido acesso em áreas estratégicas em cada região. A fim, então, de impedir que o alto custo de livros atrapalhe o aprendizado do corpo social, e trabalhar de forma que a tecnologia possa auxiliar nesse desafio, assim elevando o Brasil no ranking de hábitos de leitura e promovendo sua queda no ranking de livros com preços elevados.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

De acordo com a Primeira Lei de Newton, um corpo e[…]

Doação do coração

A série médica americana "Grey'[…]

Carinho sanguíneo

A série médica americana "Grey'[…]

Índio no Brasil

Hoje,na sociedade brasileira, as políticas […]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM