• Avatar do usuário
Avatar do usuário
Por Isabelaassis
Quantidade de postagens
#76531
Em julho de 2021, um caso mostrou ao Brasil os perigos das redes.Lucas, um garoto de apenas 14 anos cometeu suicídio após receber comentários de ódio em seu vídeo publicado na rede social “Tik Tok”. Apesar da Constituição Federal de 1988, documento jurídico mais importante do país, prever o direito à segurança como inerente a todos os cidadãos brasileiros, essa prerrogativa não tem se reverberado com ênfase, na prática, quando se observa os limites entre o público e o privado, vivendo em rede no século XXI. Diante dessa perspectiva, faz-se imperiosa a análise dos fatores que favorecem para que esse cenário continue a perdurar.
Em uma primeira análise, deve-se ressaltar a ausência de medidas o Poder Executivo para combater os crimes de ódio nas redes sociais, a falta de fiscalização e consequentemente punições, podem ocasionar traumas irreversíveis nas vítimas, além de doenças psicossomáticas, como depressão,ansiedade,transtornos compulsivos e em casos mais graves até suicídio. Essa conjuntura, vai contra as ideias do filósofo contratualista John Locke, que defende em sua teoria do “contrato social” que é dever do Estado garantir direitos indispensáveis, como segurança e saúde, teoria que claramente não tem sido aplicada no país.
Ademais, como afirmou Gilberto Dimenstein,em sua obra "Cidadão de papel", apesar de existirem leis que condenam o cyberbullying(crimes cometidos pela internet), a legislação não tem sido colocada em prática, colocando em risco a saúde mental dos usuários da internet, e estreitando cada vez mais os limites entre o público e o privado no século XXI. Logo, medidas devem ser tomadas para combater esse imbróglio.
Depreende-se, portanto, a necessidade de mudanças nesse cenário. Por conseguinte, o Poder Executivo deve potencializar a fiscalização das redes, banindo usuários que promoverem qualquer tipo de preconceito ou comentário odioso. Além disso, o Ministério da Segurança deve criar campanhas de conscientização, mostrando os perigos das redes, como evitá-los, e evidenciar instruções para o uso seguro de todos os usuários, a fim de evitar tragédias como a de Lucas. Assim, será possível a construção de uma sociedade permeada pela efetivação dos elementos elencados na Magna Carta.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

0
Avatar do usuário
Por Isabelaassis
Quantidade de postagens
#76839
Olá corretores, espero que estejam tendo um ótimo dia! Vocês podem dar uma olhada na minha redação? Desde já agradeço♡@maiconpgtu @geoca @hel0oooo @eurodrigo @Eubrooke
@emilly
0

A Constituição Federal de 1988, docu[…]

O filme Lorax, veinculado na planaforma da Netflix[…]

A revolução Industrial ocorrida na I[…]

Mylike , Olá, boa noite. Olá nov[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM