• Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
#64392
O filme "Radioactive", de 2021, conta a história de Marie Curie, a primeira mulher a ganhar um Prêmio Nobel na história - ganhando um de física e um de química -, na qual narra a trajetória de como ela se tornou uma cientista renomada e fez grandes contribuições para a ciência, tendo que lidar e encarar o sexismo presente na área acadêmica. De forma paralela, infelizmente, o machismo se mantém presente na sociedade, visto a desigualdade de gênero notada em diversos campos e o seu crescente debate nos meios de comunicação. Isso ocorre devido a falta de direitos e liberdade para as mulheres, tal qual a acometida no mercado de trabalho, através da disparidade salarial entre sexos e através da visão de superioridade masculina. Esse cenário põem em discussão uma problemática histórica e estrutural que representa um desafio a ser enfrentado e discutido por toda a sociedade.

Em primeiro lugar, destaca-se a diferença salarial dos homens para as mulheres. Segundo o Fórum Econômico Mundial, de 2016, o Brasil é um dos maiores países com desigualdade salarial entre gêneros, ocupando a posição 129ª entre 144 países. Assim, é evidente o julgamento da sociedade fundamentada no machismo, uma vez que impõem limitações e estereótipos na mulher, no intuito de reduzirem sua capacidade pessoal e tomarem o seus direitos. Ainda, percebe-se a falta de políticas públicas no amparo à causa, o que inviabiliza equiparar a condição financeira da mulher com a do homem.

Além disso, outro fator que atrasa o acesso a esses direitos para a mulher é a deturpada visão histórica de inferioridade feminina. Para a filósofa e mãe do feminismo, Simone de Beauvoir, em seu livro "O segundo sexo", a mulher é vista como um "não-homem" pela sociedade, se referindo a ideia de ser colocada como a antítese do homem, onde impõe um papel a ela e sugerem uma incapacidade feminina. Assim, sob esse viés, a mulher quando nasce passa a ser criada e educada para ser o oposto do homem, sendo destinada à papeis como servir, procriar, cuidar dos afazeres domésticos e dos filhos, o que a priva de direitos como o acesso ao trabalho e salários justos. Portanto, essa ideia é ainda visível na sociedade, logo o desejo de equiparar e dar oportunidades de forma justa para homens e mulheres se torna distante da realidade.

Dessa forma, é necessário que medidas sejam tomadas para alcançar a igualdade de gênero na sociedade. Assim, cabe ao Estado, através do Poder Legislativo, criar leis que equiparam o salário da mulher ao do homem e realizar a fiscalização no âmbito empresarial, a fim de dar condições mais justas no mercado de trabalho e fazer com que a sociedade discuta sobre novas formas de igualar a condição da mulher para com a do homem e assegurar direitos à elas. Assim, um novo passo será tomado ao alcance de oportunidades, direitos e respeito perante à mulher, e casos de desigualdade entre gênero e machismo como o relatado no filme poderão ser ultrapassados.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 140

Você atingiu aproximadamente 70% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra bom domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro, com poucos desvios gramaticais e de convenções da escrita, ou seja, apresenta um texto com boa estrutura sintática, com poucos desvios de pontuação, de grafia e de emprego do registro exigido.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 180

Você atingiu aproximadamente 90% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 140

Você atingiu aproximadamente 70% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema, de forma organizada, com indícios de autoria, ou seja, os argumentos, embora ainda possam ser previsíveis, estão organizados e relacionados de forma consistente ao ponto de vista defendido e ao tema proposto, e há indícios de autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 160

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante articula as partes do texto com poucas inadequações e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante elabora excelente proposta de intervenção, detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Trata-se de redação cuja proposta de intervenção seja muito bem elaborada, relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, abrangente e bem detalhada.

#64731
O filme "Radioactive", de 2021, conta a história de Marie Curie, a primeira mulher a ganhar um Prêmio Nobel na história - ganhando um de física e um de química -(você não precisava abrir um espaço para falar sobre os prêmios, poderia apenas ser "...a primeira mulher a ganhar um Prêmio Nobel de física e de química" desse forma eliminaria a repetição de palavras ao longo da frase ), na qual narra a trajetória de como ela se tornou uma cientista renomada e fez grandes contribuições para a ciência, tendo que lidar e encarar o sexismo (sexíssimo) presente na área acadêmica. De forma paralela, infelizmente, o machismo se mantém presente na sociedade, visto a desigualdade de gênero notada em diversos campos e o seu crescente debate nos meios de comunicação. Isso ocorre devido a falta de direitos e liberdade para as mulheres, tal qual a acometida no mercado de trabalho, através da disparidade salarial entre sexos e através da visão de superioridade masculina. Esse cenário põem em discussão uma problemática histórica e estrutural que representa um desafio a ser enfrentado e discutido por toda a sociedade.

Em primeiro lugar, destaca-se a diferença salarial dos homens para as mulheres. Segundo o Fórum Econômico Mundial, de 2016, o Brasil é um dos maiores países com desigualdade salarial entre gêneros, ocupando a posição 129ª entre 144 países. Assim, é evidente o julgamento da sociedade fundamentada no machismo, uma vez que impõem limitações e estereótipos na mulher, no intuito de reduzirem sua capacidade pessoal e tomarem o seus (os seus/ o seu) direitos. Ainda, percebe-se a falta de políticas públicas no amparo à causa, o que inviabiliza equiparar a condição financeira da mulher com a do homem.

Além disso, outro fator que atrasa o acesso a esses direitos para a mulher é a deturpada visão histórica de inferioridade feminina. Para a filósofa e mãe do feminismo, Simone de Beauvoir, em seu livro "O segundo sexo", a mulher é vista como um "não-homem" pela sociedade, se referindo a ideia de ser colocada como a antítese do homem, onde impõe um papel a ela e sugerem uma incapacidade feminina. Assim, sob esse viés, a mulher quando nasce, passa a ser criada e educada para ser o oposto do homem, sendo destinada à papeis (a papeis, não precisa da crase.) como servir, procriar, cuidar dos afazeres domésticos e dos filhos, o que a priva de direitos como o acesso ao trabalho e salários justos. Portanto, essa ideia é ainda visível na sociedade, logo o desejo de equiparar e dar oportunidades de forma justa para homens e mulheres se torna distante da realidade.

Dessa forma, é necessário (pode ser considerado uma expressão prolixa, você pode modificar para: "deve") que medidas sejam tomadas para alcançar a igualdade de gênero na sociedade. Assim, cabe ao Estado, através do Poder Legislativo, criar leis que equiparam o salário da mulher ao do homem e realizar a fiscalização no âmbito empresarial, a fim de dar condições mais justas no mercado de trabalho e fazer com que a sociedade discuta sobre novas formas de igualar a condição da mulher para com a do homem e assegurar direitos à elas. Assim, um novo passo será tomado ao alcance de oportunidades, direitos e respeito perante à mulher, e casos de desigualdade entre gênero e machismo como o relatado no filme poderão ser ultrapassados

Tente ser mais objetiva, principalmente na introdução. Depois de falar sobre o filme, tente deixar as próximas frases mais fluidas, mais conectadas com o que foi citado antes. Apesar disso, as ultimas linhas da sua conclusão fechou a redação muito bem, voltando a citar o filme e conectando o inicio com o fim (foi realmente bom ler essa parte :D )
#64867
Allanaa escreveu:O filme "Radioactive", de 2021, conta a história de Marie Curie, a primeira mulher a ganhar um Prêmio Nobel na história - ganhando um de física e um de química -(você não precisava abrir um espaço para falar sobre os prêmios, poderia apenas ser "...a primeira mulher a ganhar um Prêmio Nobel de física e de química" desse forma eliminaria a repetição de palavras ao longo da frase ), na qual narra a trajetória de como ela se tornou uma cientista renomada e fez grandes contribuições para a ciência, tendo que lidar e encarar o sexismo (sexíssimo) presente na área acadêmica. De forma paralela, infelizmente, o machismo se mantém presente na sociedade, visto a desigualdade de gênero notada em diversos campos e o seu crescente debate nos meios de comunicação. Isso ocorre devido a falta de direitos e liberdade para as mulheres, tal qual a acometida no mercado de trabalho, através da disparidade salarial entre sexos e através da visão de superioridade masculina. Esse cenário põem em discussão uma problemática histórica e estrutural que representa um desafio a ser enfrentado e discutido por toda a sociedade.

Em primeiro lugar, destaca-se a diferença salarial dos homens para as mulheres. Segundo o Fórum Econômico Mundial, de 2016, o Brasil é um dos maiores países com desigualdade salarial entre gêneros, ocupando a posição 129ª entre 144 países. Assim, é evidente o julgamento da sociedade fundamentada no machismo, uma vez que impõem limitações e estereótipos na mulher, no intuito de reduzirem sua capacidade pessoal e tomarem o seus (os seus/ o seu) direitos. Ainda, percebe-se a falta de políticas públicas no amparo à causa, o que inviabiliza equiparar a condição financeira da mulher com a do homem.

Além disso, outro fator que atrasa o acesso a esses direitos para a mulher é a deturpada visão histórica de inferioridade feminina. Para a filósofa e mãe do feminismo, Simone de Beauvoir, em seu livro "O segundo sexo", a mulher é vista como um "não-homem" pela sociedade, se referindo a ideia de ser colocada como a antítese do homem, onde impõe um papel a ela e sugerem uma incapacidade feminina. Assim, sob esse viés, a mulher quando nasce, passa a ser criada e educada para ser o oposto do homem, sendo destinada à papeis (a papeis, não precisa da crase.) como servir, procriar, cuidar dos afazeres domésticos e dos filhos, o que a priva de direitos como o acesso ao trabalho e salários justos. Portanto, essa ideia é ainda visível na sociedade, logo o desejo de equiparar e dar oportunidades de forma justa para homens e mulheres se torna distante da realidade.

Dessa forma, é necessário (pode ser considerado uma expressão prolixa, você pode modificar para: "deve") que medidas sejam tomadas para alcançar a igualdade de gênero na sociedade. Assim, cabe ao Estado, através do Poder Legislativo, criar leis que equiparam o salário da mulher ao do homem e realizar a fiscalização no âmbito empresarial, a fim de dar condições mais justas no mercado de trabalho e fazer com que a sociedade discuta sobre novas formas de igualar a condição da mulher para com a do homem e assegurar direitos à elas. Assim, um novo passo será tomado ao alcance de oportunidades, direitos e respeito perante à mulher, e casos de desigualdade entre gênero e machismo como o relatado no filme poderão ser ultrapassados

Tente ser mais objetiva, principalmente na introdução. Depois de falar sobre o filme, tente deixar as próximas frases mais fluidas, mais conectadas com o que foi citado antes. Apesar disso, as ultimas linhas da sua conclusão fechou a redação muito bem, voltando a citar o filme e conectando o inicio com o fim (foi realmente bom ler essa parte :D )
Obrigada pela explicação, me ajudou bastante à enxergar quais foram os erros. Ficarei mais atenta quanto aos detalhes e dicas que vc deu, especialmente na questão de ser prolixa, eu realmente reparei isso em alguns trechos do meu texto e devo melhorar quanto a isso, além de ter mais atenção na gramática. Quanto à palavra "sexismo" que está na introdução, não vejo erro, pois pelo o que eu pesquisei a palavra "sexíssimo" que vc colocou como correta tem sentido diferente do sexismo/machismo que eu queria indicar. Fora isso, agradeço a contribuição e os pontos positivos salientados, se precisar de correção em futuras redações, pode me marcar! ;) :)
Doença mental

Deivid16 , Gi69

“A essência dos direitos humanos &eac[…]

vitoriaca , tá bom anjo❤

Iurymed , ei!! Claro! Posso sim. Em breve, ok[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM