Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação mais de uma vez = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos de "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
  • Avatar do usuário
#57590
A violência contra a mulher é um problema que existe há muito tempo na sociedade brasileira. Com o surgimento da pandemia a rotina de milhões de pessoas foi mudada. Por conta das medidas protetivas contra a COVID-19 e a crise econômica predominante, as mulheres são obrigadas a passar mais tempo em casa, na maioria das vezes com o agressor, e sofrem pela vulnerabilidade econômica.
É importante pontuar, de início, a violência doméstica é a que mais gera vítimas do sexo feminino. De acordo com a Fiocruz, cerca de 90% dos casos o agressor foi o companheiro ou ex-companheiro. Esse dado evidencia a baixa eficiência, devido a falta de divulgação, durante o isolamento social, das ferramentas de auxílio à mulher, tais como a Delegacia de Atendimento à Mulher e a Lei Maria da Penha. Essas ferramentas são de suma importância, porém no cenário vigente suas ações não estão sendo eficazes para combater a ampliação das agressões no âmbito familiar.
Além disso, a pandemia do coronavírus causou uma enorme crise econômica que deixou muitos desempregados, principalmente as mulheres. Por isso, várias delas ficaram dependentes de seus companheiros. Esse fato somado ao estresse causado pelo confinamento geram mais discussões e desentendimentos e, consequentemente, a ofensa física e psicológica.
Portanto, para que os agressores junto com o isolamento social não cause ainda mais sofrimento, é necessário fornecer ajuda e divulgar as ferramentas de auxílio às mulheres. Cabe ao Ministério da Mulher juntamente com a mídia transmitir os tipos de assistência oferecidas às vítimas, como o atendimento por telefone, site para denúncias e delegacias especializadas. A divulgação pode ser feita por meio de publicações, vídeos e propagandas em redes sociais como o Facebook e o Instagram e também em canais de TV. Dessa forma, será possível disseminar ajuda à maioria das mulheres que necessitam de ajuda.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

A constituição federal de 1988, docu[…]

Para a pensadora Hannah Arendt, "a essê[…]

"Eu não trabalhava, eu não sabi[…]

gostei muito da sua redação, s&oacut[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM