Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação mais de uma vez = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos de "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
#53003
A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira


A violência contra a mulher transcorreu durante anos concretizando a figura do papel feminino em alvo de vulnerabilidade. Isto se deve ao fato que de que, historicamente, a violência de genero encontra origens em uma cultura patriarcal.  Sob o ponto de vista dos Direitos Humanos, violência não alcança somente um patamar físico, mas também psicológico, implicando, assim, inúmeros casos concretos onde a mulher é vítima de ameaças ou ofensas verbais. Com isso, verifica-se que a mulher psicologicamente abalada por uma violência doméstica encontra dificuldades na inclusão social, no mercado de trabalho e até mesmo empecilhos de convivência social, acarretando, assim, um mal que retorna para o seio familiar, comprometendo, dessa forma, o papel familiar da mulher que necessita de apoio pós traumas. 
Após décadas, ainda que a mulher tenha ganhado um espaço forte na sociedade com vistas a supervalorização em políticas públicas e inserção no mercado de trabalho, pode-se constatar que tal violência não alcança somente vias públicas, mas também os lares, onde mora a culpa, ameaças e o medo de realizar denuncias. Assim, vale destacar que a violência de gênero está presente em todos os lugares. 
Entretanto, o poder Estatal vem tomando medidas para solucionar a questão em tela. Inicialmente podemos destacar a legislação brasileira que trata da Lei Maria da Penha desde 2006 e o feminicídio de 2015 como ferramentas disponíveis e acessíveis a todas as pessoas com o fim de punir violências domesticas contra a mulher. Ocorre que a legislação juntamente com medidas de proteção que vem sendo adotadas como meio de combate estão abaixo do nível do esperado de eficácia em comparação aos delitos contra a mulher que acontecem diariamente. Lembrando que a mulher, muitas das vezes, não tem o necessário conhecimento de seus direitos no ordenamento jurídico e a sociedade segue o mesmo raciocínio.
Ante o exposto, percebe-se que o Estado, como principal interventor, deve se valer de um canal midiático a fim de que o conhecimento acerca das leis que norteiam medidas de combate a violência contra a mulher se tornam assuntos prevalecedores em ambientes públicos e privados, além disso, é de suma importância que o Estado empenhe a segurança pública a criar um setor inerente ao assunto em tela para que as medidas de prevenção a esse tipo de violência se concretizem junto a sociedade.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Felipe082 , Nossa, muiiiiito obrigado, juro vc &[…]

  A leitura no Brasil infelizmente não[…]

A realidade de muitos jovens brasileiros nos dias […]

Ao contrário do que se reverbera na Constit[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM