• Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
#91015
Já faz um bom tempo que fiz essa redação e fiquei com uma dúvida: ficou muito expositiva? Acho que exagerei um pouquinho... e sim, coube em 30 linhas.

Thomas Hobbes, filósofo britânico, defendeu que os seres humanos são maus por natureza. Por conta disso, eles não sabem viver em sociedade e necessitam do Estado para ditar as normas de convivência, bem como para garantir seus bem-estares. Lamentavelmente, no Brasil, observa-se que a falta de respeito entre as pessoas no trânsito – decorrente da malevolência humana - não é freada pelas leis, posto que estas são insuficientes. Nesse sentido, reverter esse quadro é essencial para que haja harmonia no referido espaço.
///
Mormente, vale pontuar que a falta de empatia nos modais de transporte corrobora a violência nele. Nesse contexto, observa-se que os condutores de veículos, muitas vezes, não respeitam os pedestres, já que, com atos imprudentes, como dirigir bêbado ou checar notificações no celular, colocam ambos em risco, além de, não raramente, brigarem entre si por banalidades, por exemplo, por causa de uma vaga de estacionamento. Concomitantemente, os caminhantes cruzam as ruas desrespeitando os semáforos ou as faixas de segurança. Essa conjuntura caótica é retratada por Leandro Carnal, no livro "Todos Contra Todos: o ódio nosso de cada dia", no qual ele afirma que os brasileiros, muitas vezes, não refletem acerca de suas ações, as quais são pautadas no ódio, além de culparem umas as outros pelos efeitos negativos de suas ações, no caso do trânsito, acidentes e mortes. Em suma, as rodovias, ruas e estradas tornam-se ambientes hostis em decorrência da falta de bom senso social, o que é inaceitável.
///
Além disso, a insuficiência legislativa alicerça o problema. Esse fato se dá haja vista que o direito constitucional à segurança da população não é garantido pelo poder público, já que há a falta de, por exemplo, uma maior fiscalização do cumprimento das leis do trânsito - definidas pelo Código de Trânsito Brasileiro - por policiais e agentes contratados pelas prefeituras municipais. Em virtude disso, percebe-se não só a falta de disciplina nos modais de transporte, como também a motivação da supramencionada conduta imprudente dos cidadãos neles. Assim, é lícito apontar que o poder público faz deles locais propícios para o avanço da violência, o que revela um descomprometimento com a consolidação do bem-estar social, crucial aspecto defendido por Hobbes.
///
Portanto, as Polícias Civil e Rodoviária - responsáveis pela segurança dos cidadãos - devem garantir a ordem no trânsito, mediante a vigilância dele, a aplicação de multas e, em casos mais graves, o rendimento de infratores, a fim de fazer com que as leis sejam cumpridas por todos. Também, as prefeituras de cada município devem contratar agentes do trânsito para garantir a ordem nele. Outrossim, campanhas, cujo intuito é incentivar a boa conduta das pessoas no local em pauta, são essenciais.

@JoaoPedro72 @Mylike @bylari @Felipe082, se alguém puder ler e dizer se eu dei uma exagerada, agradeço... não precisa de comentários longos e nem pressa, viu? Obrigadaaaaa <3

Estudar é como cavar um túnel com uma colher de chá; é preciso paciência e persistência.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra excelente domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro. Desvios gramaticais ou de convenções da escrita, neste nível, são aceitos somente como excepcionalidade e quando não caracterizam reincidência.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 173

Você atingiu aproximadamente 90% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema proposto, de forma consistente e organizada, configurando autoria, ou seja, os argumentos selecionados estão organizados e relacionados de forma consistente com o ponto de vista defendido e com o tema proposto, configurando-se independência de pensamento e autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante articula bem as ideias, os argumentos, as partes do texto e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos, sem inadequações.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 187

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante elabora excelente proposta de intervenção, detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Trata-se de redação cuja proposta de intervenção seja muito bem elaborada, relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, abrangente e bem detalhada.

0
#0
Oi, @Gi69! Ótima redação! Faço apenas algumas ressalvas em relação à C3, além de pequenas objeções quanto à C1 e à C4.

Vou começar pela C3.

:arrow: Na introdução, a relação entre o repertório e a problematização não ficou suficientemente forte.
:arrow: Ao apresentar os núcleos argumentativos que serão abordados no desenvolvimento, você cita a "malevolência humana", mas essa ideia não é retomada explicitamente. Isso é uma falha no projeto de texto.
:arrow: No D1, há uma longa exposição baseada no senso comum. É preciso reduzir a quantidade de informações e fundamentá-las de forma mais sólida.
:arrow: Ainda no D1, o repertório apareceu tardiamente e não cumpriu seu papel de sustentar a argumentação.
:arrow: Na terceira frase do D2, há uma repetição - a meu ver - pouco estratégica de ideias. Isso é uma falha na progressão temática.
:arrow: Na conclusão, faltou retomar um repertório após a proposta de intervenção. Sem esse recurso, não há, no parágrafo, um "senso de completude" (opinião pessoal).

Agora, vou falar sobre a C1 e sobre a C4.

:arrow: Não sei se "seus bem-estares" é um desvio, mas é, no mínimo, uma expressão estranha. Prefira "seu bem-estar".
:arrow: O conectivo "mormente" indica prioridade e, por isso, não é a melhor opção para iniciar o D1.
:arrow: "Essa conjuntura caótica é retratada por Leandro Carnal, no Karnal no livro 'Todos Contra Todos contra todos: o ódio nosso de cada dia'" => O adjunto adverbial não foi deslocado, logo a vírgula é desnecessária. Além disso, segundo a Jana Rabelo, a primeira inicial é a única que deve ser maiúscula em títulos de obras.
:arrow: As expressões "muitas vezes" e "além de" foram repetidas no D1.
:arrow: O operador argumentativo "já que" foi utilizado em ambos os parágrafos de desenvolvimento.
:arrow: A referência explícita a algo que que foi dito anteriormente - como em "supramencionada" - é uma estratégia pobre de coesão (opinião pessoal).
:arrow: O pronome relativo "o que" foi utilizado no fechamento de ambos os parágrafos de desenvolvimento.
:arrow: "Também, as As prefeituras de cada município devem, também, contratar agentes do trânsito para garantir a ordem nele" => Não há a obrigatoriedade de colocar o elemento coesivo no início do período. Nesse caso, o "também" fica muito mais elegante depois do verbo (opinião pessoal).
:arrow: "Outrossim, campanhas, cujo campanhas cujo intuito é seja incentivar a boa conduta das pessoas no local em pauta, são pauta são essenciais" => As vírgulas dão um caráter explicativo à oração isolada por elas. Está errado? Acredito que não. No entanto, a não utilização das vírgulas - também gramaticalmente correta - é, nesse caso, muito mais coerente com a ideia que se pretende transmitir, pois faz com que a oração assuma a função de especificar a palavra "campanhas" (opinião pessoal).
:arrow: Expressões como "no local em pauta" - e outras semelhantes que apareceram em diversos momentos do texto - não são elementos coesivos recomendáveis (opinião pessoal).

Fale comigo anonimamente: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIp ... A/viewform
1
#91045
Oi, @Gi69! Ótima redação! Faço apenas algumas ressalvas em relação à C3, além de pequenas objeções quanto à C1 e à C4.

Vou começar pela C3.

:arrow: Na introdução, a relação entre o repertório e a problematização não ficou suficientemente forte.
:arrow: Ao apresentar os núcleos argumentativos que serão abordados no desenvolvimento, você cita a "malevolência humana", mas essa ideia não é retomada explicitamente. Isso é uma falha no projeto de texto.
:arrow: No D1, há uma longa exposição baseada no senso comum. É preciso reduzir a quantidade de informações e fundamentá-las de forma mais sólida.
:arrow: Ainda no D1, o repertório apareceu tardiamente e não cumpriu seu papel de sustentar a argumentação.
:arrow: Na terceira frase do D2, há uma repetição - a meu ver - pouco estratégica de ideias. Isso é uma falha na progressão temática.
:arrow: Na conclusão, faltou retomar um repertório após a proposta de intervenção. Sem esse recurso, não há, no parágrafo, um "senso de completude" (opinião pessoal).

Agora, vou falar sobre a C1 e sobre a C4.

:arrow: Não sei se "seus bem-estares" é um desvio, mas é, no mínimo, uma expressão estranha. Prefira "seu bem-estar".
:arrow: O conectivo "mormente" indica prioridade e, por isso, não é a melhor opção para iniciar o D1.
:arrow: "Essa conjuntura caótica é retratada por Leandro Carnal, no Karnal no livro 'Todos Contra Todos contra todos: o ódio nosso de cada dia'" => O adjunto adverbial não foi deslocado, logo a vírgula é desnecessária. Além disso, segundo a Jana Rabelo, a primeira inicial é a única que deve ser maiúscula em títulos de obras.
:arrow: As expressões "muitas vezes" e "além de" foram repetidas no D1.
:arrow: O operador argumentativo "já que" foi utilizado em ambos os parágrafos de desenvolvimento.
:arrow: A referência explícita a algo que que foi dito anteriormente - como em "supramencionada" - é uma estratégia pobre de coesão (opinião pessoal).
:arrow: O pronome relativo "o que" foi utilizado no fechamento de ambos os parágrafos de desenvolvimento.
:arrow: "Também, as As prefeituras de cada município devem, também, contratar agentes do trânsito para garantir a ordem nele" => Não há a obrigatoriedade de colocar o elemento coesivo no início do período. Nesse caso, o "também" fica muito mais elegante depois do verbo (opinião pessoal).
:arrow: "Outrossim, campanhas, cujo campanhas cujo intuito é seja incentivar a boa conduta das pessoas no local em pauta, são pauta são essenciais" => As vírgulas dão um caráter explicativo à oração isolada por elas. Está errado? Acredito que não. No entanto, a não utilização das vírgulas - também gramaticalmente correta - é, nesse caso, muito mais coerente com a ideia que se pretende transmitir, pois faz com que a oração assuma a função de especificar a palavra "campanhas" (opinião pessoal).
:arrow: Expressões como "no local em pauta" - e outras semelhantes que apareceram em diversos momentos do texto - não são elementos coesivos recomendáveis (opinião pessoal).

Fale comigo anonimamente: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIp ... A/viewform
1
#91051
Muito obrigada, @Felipe082, eu notei que não consegui dizer o que queria depois que terminei esse texto e nem percebi que tinha feito essas repetições :cry:
Ah, "bem-estares" por mais estranho que pareça, existe.
Por que não pode repetir o "o que" nos dois fechamentos do desenvolvimento?

Estudar é como cavar um túnel com uma colher de chá; é preciso paciência e persistência.
1
#91052
Imagina! :D

:arrow: Ainda que a palavra "bem-estares" exista, não a considero uma escolha lexical apropriada nesse caso. Sinta-se à vontade, porém, para discordar da minha análise.
Por exemplo: "O governo deve garantir a felicidade dos cidadãos". Embora a frase se refira a vários indivíduos, a palavra "felicidade" permanece no singular, porque o conceito de "felicidade" é único e se aplica a todos. Não há, nesse contexto, múltiplas felicidades. O raciocínio é o mesmo no que tange à noção de bem-estar.
:arrow: A repetição do pronome relativo "o que" - principalmente em situações semelhantes - demonstra que o seu repertório de elementos coesivos poderia ser mais diversificado.

Fale comigo anonimamente: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIp ... A/viewform
0
Similar Topics
Tópicos Estatísticas Última mensagem
0 Respostas 
16 Exibições
por RenanBrabox
3 Respostas 
3146 Exibições
por Isabela0272
0 Respostas 
106 Exibições
por chagas22
0 Respostas 
83 Exibições
por JoaoPedro123
0 Respostas 
159 Exibições
por Netinhopires
0 Respostas 
187 Exibições
por maria1980
0 Respostas 
161 Exibições
por Thaila
A violência no trânsito do Brasil
por Ana9    - In: Outros temas
0 Respostas 
110 Exibições
por Ana9
2 Respostas 
164 Exibições
por suzanaad
Violência no trânsito.
por Mari8900    - In: Outros temas
0 Respostas 
44 Exibições
por Mari8900

Na Escócia, país da Grã-Breta[…]

A água é uma questão que vem […]

Os desafios para a atenuação dos efe[…]

1 bez

bom dia, R. li seu texto e minhas observaç[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM