• Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
#84465
Em seu poema “No meio do caminho”, o notável poeta Carlos Drummond de Andrade metaforizou os árduos obstáculos da vida como sendo uma pedra intransponível. Fora da literatura, é plausível comparar, também, essa rocha à exígua educação financeira, a qual fomenta um devastador desafio no Brasil. Assim, com o fito de combater essa ponderosa problemática, urge, antes de tudo, uma análise das suas íntimas tonificadoras: a lacuna educacional e a inoperância estatal.

É elementar salientar, a priori, como a indolência escolar intensifica o infortúnio. A título de exemplo, o célebre pedagogo Paulo Freire defendia que o método de ensino é bancário, ou seja, pouco encoraja o pensamento indagador. Por esse motivo, substancial parcela das corporações pedagógicas, à medida que seguem essa retrógada metodologia, não buscam elucidar a criticidade dos discentes quanto à importância do desenvolvimento econômico, o que forma indivíduos sem a educação e conhecimento financeiro necessário para promover o bem-estar monetário, o que, consequentemente, estimula um nefasto e futuro quadro de endividamento. Nesse sentido, é ilógico que a escola tenha alto poder formador e, simultaneamente, é apática no que tange à resolução dessa crítica vicissitude.

Faz-se medular acentuar, a posteriori, como o fracasso governamental reforça o revés. Logo, a Constituição Federal, promulgada em 1988, garante o acesso à educação de qualidade. A efetivação desse preceito, entretanto, se trata de um cenário longínquo, dado que as autoridades não investem, por meio dos cofres públicos, em políticas públicas que instruam a população no que diz respeito à correta administração pecuniária, o que, por conseguinte, amplia o consumo exacerbado de produtos supérfluos. Desse modo, é paradoxal que, num país cuja bandeira exprima “progresso”, o imbróglio seja secundarizado pelas competências.

É indispensável, pois, frear os estimulantes da adversidade. Para tanto, o Ministério da Educação deve, mediante uma alteração na BNCC, introduzir uma disciplina voltada à educação financeira, com a finalidade de promover a salubridade monetária da população. Essa matéria, ainda, afetará as aulas de filosofia e sociologia e será complementada através de minicursos, palestras e rodas de debate. Ademais, o governo federal deve criar políticas públicas que irão promover a correta administração do dinheiro por parte da coletividade. Feito isso, poder-se-á ver a nação absolvida desse contratempo.

O impossível era impossível, até que alguém tentou e conseguiu.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 192

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra excelente domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro. Desvios gramaticais ou de convenções da escrita, neste nível, são aceitos somente como excepcionalidade e quando não caracterizam reincidência.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema proposto, de forma consistente e organizada, configurando autoria, ou seja, os argumentos selecionados estão organizados e relacionados de forma consistente com o ponto de vista defendido e com o tema proposto, configurando-se independência de pensamento e autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 192

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante articula bem as ideias, os argumentos, as partes do texto e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos, sem inadequações.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante elabora excelente proposta de intervenção, detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Trata-se de redação cuja proposta de intervenção seja muito bem elaborada, relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, abrangente e bem detalhada.

0
#84486
Olá, tudo bem!? Espero que de 0 à 10, você esteja 1000! 💪🏻😺 ( kkkk que trocadilho ruim, meu deus! me desculpe por isso.)

╔═══════════════════╗
💡》 🅡🅔🅓🅐🅒🅐🅞 🅓🅞 🅔🅝🅔🅜 🏷
════════════════════
▪️Pontos observados em sua redação:

introdução:
⚠️》Acredito que ao utilizar a palavra "rocha" metaforicamente, deve se explicar as aspas para tirar de seu sentido literal.


— primeiro desenvolvimento:
❌》A palavra "retrógada"》 deveria ser "retrógrada" com "R". (Talvez erro de digitação)
⁉️》No final "Nesse sentido, é ilógico que a escola tenha alto poder formador e, simultaneamente, é apática no que tange à resolução dessa crítica vicissitude."》creio que ao invés de "é apática", deveria ser "seja apática".
—Segundo desenvolvimento:
✅》 tudo incrível aqui!
—Conclusão:
💡》 quando cita a "BNCC" recomendo que escreva assim》 " [...] Educação deve, mediante uma alteração na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) [...]"
════════════════════
—Parabéns Jão, como sempre dando o seu melhor nas redações e impressionando a todos com sua escrita, continue assim que o 1000 chega no Enem!
════════════════════
0
#84487
EmillyySilva escreveu:Olá, tudo bem!? Espero que de 0 à 10, você esteja 1000! 💪🏻😺 ( kkkk que trocadilho ruim, meu deus! me desculpe por isso.)

╔═══════════════════╗
💡》 🅡🅔🅓🅐🅒🅐🅞 🅓🅞 🅔🅝🅔🅜 🏷
════════════════════
▪️Pontos observados em sua redação:

introdução:
⚠️》Acredito que ao utilizar a palavra "rocha" metaforicamente, deve se explicar as aspas para tirar de seu sentido literal.


— primeiro desenvolvimento:
❌》A palavra "retrógada"》 deveria ser "retrógrada" com "R". (Talvez erro de digitação)
⁉️》No final "Nesse sentido, é ilógico que a escola tenha alto poder formador e, simultaneamente, é apática no que tange à resolução dessa crítica vicissitude."》creio que ao invés de "é apática", deveria ser "seja apática".
—Segundo desenvolvimento:
✅》 tudo incrível aqui!
—Conclusão:
💡》 quando cita a "BNCC" recomendo que escreva assim》 " [...] Educação deve, mediante uma alteração na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) [...]"
════════════════════
—Parabéns Jão, como sempre dando o seu melhor nas redações e impressionando a todos com sua escrita, continue assim que o 1000 chega no Enem!
════════════════════
Tudo bem comigo sim, e com você?

Muito obrigado pela correção! Vou me atentar a esses erros. Obrigado novamente! :D

O impossível era impossível, até que alguém tentou e conseguiu.
0
#84514
Correção dirigida • Modelo ENEM

Usuário: @JoaoPedro72

Em seu poema “No meio do caminho”, o notável poeta Carlos Drummond de Andrade metaforizou os árduos obstáculos da vida como sendo uma pedra intransponível. Fora da literatura, é plausível comparar, também, essa rocha à exígua educação financeira, a qual fomenta um devastador desafio no Brasil. (1) Assim, com o fito de combater essa ponderosa problemática (2), urge, antes de tudo, uma análise das suas íntimas (3) tonificadoras: a lacuna educacional e a inoperância estatal diante do seu posicionamento e dos efeitos do panorama discutido. (4)

(1) C3 • Objeção argumentativa (1) = Projeto de texto - Entendo que você quis, provavelmente, simplificar a introdução a fim de aumentar o espaço destinado aos desenvolvimentos, porém, nesse caso, a sua tese não está clara. Note que, na introdução, você apresenta uma boa estratégia de abertura, no entanto não deixa claro a problematização do problema a ser solucionado em si. A educação financeira é exígua (escassa), certo, mas qual é o problema disso? A tese introdutória define o que você vai defender ao longo do texto, ou seja, precisa ser clara. Sugestão: um devastador desafio no Brasil, já que, por ser pouco valorizada pelo governo e pela sociedade, deixa de formar cidadãos economicamente conscientes - gerando consumo e dívidas exacerbados.
(2) Nesse caso, surge a dúvida: que problemática é essa? Entende, então, o porquê da importância da tese na introdução antes do projeto dos argumentos de cada desenvolvimento? ;)
(3) C1 • Desvio de escolha vocabular (1) = Escola lexical imprecisa - A palavra "íntimas", nesse contexto, gerou uma breve fuga semântica. Imagino que, pelo jeito que escreve, goste de ter um inventário vocabular "inovador", mas, sério, cuidado! Isso pode acabar te prejudicando na hora H da prova quando professores interpretarem o seu vocabulário de outra forma. Nesse caso, por exemplo, íntimo vem de intimidade, que, também, relaciona-se à noção de particularidade - o que não faz muito sentido, né? Afinal, essas "tonificadoras" não são particulares desse problema em específico. De qualquer forma, por ser um emprego um pouco metafórico, seria interessante que aparecesse entre aspas, mesmo em sentido de "profundo" ou algo do tipo, o que, acredito, foi a sua intenção de uso. :!:
(4) Boa introdução! :D

É elementar salientar, a priori, como a indolência escolar intensifica o infortúnio. A título de exemplo, o célebre pedagogo Paulo Freire defendia que o método de ensino é bancário, ou seja, pouco encoraja o pensamento indagador. Por esse motivo, substancial parcela das corporações pedagógicas, à medida que seguem essa retrógada metodologia, não buscam elucidar a criticidade dos discentes quanto à importância do desenvolvimento econômico, o que forma indivíduos sem a educação e (5) conhecimento financeiro necessário para promover o bem-estar monetário, o que (6), consequentemente, estimula um nefasto e futuro quadro de endividamento. Nesse sentido, é ilógico que a escola tenha alto poder formador e, simultaneamente, é (7) apática no que tange à resolução dessa crítica vicissitude. (8)

(5) C1 • Desvio gramatical (2) = Paralelismo sintático - Mantenha, sempre, o paralelismo sintático das suas orações. Correto: sem a educação e o conhecimento...
(6) C4 • Repetição desnecessária (1) = Repetição de recursos coesivos - Evite, ao máximo, repetir recursos de coesão dentro do mesmo parágrafo. Há muitas ferramentas disponíveis para efetuar esse tipo de relação, por isso, não se deve repetir. Correção: [...] o bem-estar monetário, estimulando, consequentemente, um nefasto...
(5) C1 • Desvio gramatical (3) = Concordância - Perceba que, nesse período, você não manteve a concordância do verbo "ser" na oração. Note: é ilógico que a escola tenha... e é? Concorda que essa construção não está correta? Correto: [...] é ilógico que a escola tenha alto poder formador e, simultaneamente, seja apática...
(8) Bom desenvolvimento! A argumentação, bem como a estrutura textual do parágrafo, está bem fundamentada e bem elaborada também. Parabéns! :mrgreen:

Faz-se medular (9) acentuar, a posteriori, como o fracasso governamental reforça o revés. Logo (10), a Constituição Federal, promulgada em 1988, garante o acesso à educação de qualidade. A efetivação desse preceito, entretanto, se trata (11) de um cenário longínquo, dado que as autoridades não investem, por meio dos cofres públicos, em políticas públicas (12) que instruam a população no que diz respeito à correta administração pecuniária, o que, por conseguinte, amplia o consumo exacerbado de produtos supérfluos. Desse modo, é paradoxal que, num país cuja bandeira exprima “progresso”, o imbróglio seja secundarizado pelas competências (13). (14)

(9) C1 • Desvio de escolha vocabular (4) = Escola lexical imprecisa - O mesmo problema pontuado no tópico 3. Nesse caso, ainda mais, existem dois pontos a se destacarem. O termo "medular", no sentido que foi usado, foge - totalmente - da sua semântica habitual, o que torna imprescindível o uso das aspas para enfatizar essa situação. Porém, mesmo com aspas, esse termo não é a melhor opção. Cuidado, João! De verdade. O Redação do ENEM não é um teste para selecionar os melhores vocabulários, mas, sim, os melhores argumentos e desenvolvimento de ideias. Termos como esse, simplesmente, podem transformar o seu texto em uma múltipla via de interpretações que acabam entrando em conflito com a sua intenção de uso. O resultado? Nível 4 na C5. E você não deseja isso, né? Correção: basta substituir por "urgente", "fundamental", "necessário", "imperioso", bem como outros.
(10) C4 • Coesão inadequada (1) = Escolha imprecisa de conectivo - O mecanismo coesivo "logo" faz relação à conclusão de algum raciocínio. Nesse caso, você está iniciando um raciocínio a partir de uma linha argumentativa, ou seja, não é indicado o uso de um conectivo de conclusão, concorda? Cuidado com isso! Antes de aplicar a coesão, verifique se ela faz sentido para o que você deseja discorrer.Correção: Substituir o "Logo" por "Nesse sentido"
(11) C1 • Desvio gramatical (5) = Colocação pronominal - Atente-se ao uso correto da próclise, bem como da ênclise! Nesse caso, o pronome deve aparecer após o verbo. Correto: [...], trata-se...
(12) C4 • Repetição desnecessária (2) = Repetição próxima de substantivos - Sugestão: Substituir "políticas públicas" por "políticas sociais"
(13) C1 • Desvio de escolha vocabular (6) = Escola lexical imprecisa - Entendi a sua intenção, mas o correto é relacionar a ação aos competentes estatais, e não às suas competências, já que essas são direcionadas a eles, não ao país. Correto: Substituir "pelas competências" por "pelos competentes estatais"
(14) Ótimo desenvolvimento! :mrgreen:

É indispensável, pois (15), frear os estimulantes da adversidade. Para tanto, o Ministério da Educação (16) deve, mediante uma alteração na BNCC (17), introduzir uma disciplina voltada à educação financeira (18), (19) com a finalidade de promover a salubridade monetária da população (20). Essa matéria (21), ainda, afetará as aulas de filosofia e sociologia e será complementada através (22) de minicursos, palestras e rodas de debate. (23) Ademais, o governo federal deve criar políticas públicas que irão promover a correta administração do dinheiro por parte da coletividade. (24) Feito isso, poder-se-á ver a nação absolvida desse contratempo. (25)

(15) Ótimo uso do "pois" conclusivo. Boa! :)
(16) Agente 1 - OK!
(17) Meio 1 - OK! / Cuidado! Aqui, temos um possível desvio de registro. No ENEM, isso não é tão cobrado, mas, sim, alguns corretores encaram como um problema o uso de siglas sem, antes, apresentar o nome completo (junto a tal) do que está sendo citado. Atenção, então, certo? :!:
(18) Ação 1 - OK!
(19) C1 • Desvio gramatical (7) = Vírgula - Você não deve, a não ser que haja a necessidade de intercalar elementos sintáticos, anteceder, por meio de vírgulas, orações subordinadas adverbiais finais. Fica a dica! Correto: [...] voltada à educação financeira com a finalidade...
(20) Finalidade 1 - OK!
(21) C1 • Desvio de escolha vocabular (8) = Escolha lexical imprecisa - Sei que, sim, tornou-se um vício de linguagem, mas "matéria" não é sinônimo de "disciplina", ok? Por isso, cuidado com algumas escolhas lexicais que parecem corretas, entretanto, na verdade, não são. Correto: Você pode referenciar a introdução da disciplina, não repetindo o termo, mas mantendo o sentido da oração. Nesse caso, que tal "Essa adição no currículo escolar..."?
(22) C1 • Desvio de escolha vocabular (9) = Escolha lexical imprecisa - Mais uma vez, há, aqui, um vício de linguagem sendo aplicado na redação. Lembre-se, João: "através" não tem qualquer relação com a semântica de instrumento, meio ou modo, mas, sim, com a de atravessar no sentido literal. Correto: substitua o "através" por "via"
(23) Detalhamento 1 - OK!
(24) Proposta 2 (incompleta, mas funcional) relativa ao argumento 2 - OK!
(25) Conclusão excelente! Parabéns! :lol:

Avaliação:
C1 (160)
Cuidado! A quantidade de desvios e de falhas pode reduzir a C1 ao nível 3 (120). Mas, na minha opinião, os problemas encontrados não comprometem a fluidez do seu texto.
C2 (200)
C3 (200)
Não reduzi ao nível 4 a C3 porque, acredito eu, os seus desenvolvimentos explicaram bem o rumo da problemática, no entanto é preciso, sim, atentar-se a isso. :!:
C4 (160)
C5 (200)

Quer alcançar os 900+ na redação? CLIQUE AQUI!

Uma boa redação não depende de inteligência, depende de estratégia! ;)
0
#84515
Desde já, perdão por eu não conseguir corrigir dessa forma todas as suas redações. Correções dirigidas como essa demandam muito tempo. Espero que possa aproveitar a minha análise e melhorar cada vez mais, evitando os erros bobos, João! :D

Parabéns pelo texto e bons estudos! :mrgreen:

Quer alcançar os 900+ na redação? CLIQUE AQUI!

Uma boa redação não depende de inteligência, depende de estratégia! ;)
0

O ex-presidente Michel temer durante sua gest&atil[…]

Prudência&Sofisticação

samarahbp anasilva1 Anna1

bom dia, Marina li seu texto e minhas observa&cce[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM