Avatar do usuário
Por emillylouu
Quantidade de postagens
#130716
No filme "Pureza" de Renato Barbieri, a personagem Pureza Lopes Loyola, interpretada por Dira Paes, Pureza sai em busca de seu filho desaparecido e durante sua busca, descobre um sistema de trabalho ánalogo a escravidão e decide denunciar tais práticas. O filme nos mostra a realidade do trabalho escravo moderno. Sendo assim, medidas governamentais precisam ser tomadas para acabar com o desemprego da população e a falta de oportunidades. Além disso, educar e informar a população sobre seus direitos humanitários.
Primeiramente, o filósofo São Tomás de Aquino, acreditava que as pessoas devem ter os mesmos direitos e as mesmas oportunidades para uma vida melhor, o que carece da realidade que vivemos, onde ainda vemos práticas de trabalho ánalogo a escravidão. A falta de emprego e a ausência de oportunidades trabalhistas leva muitas famílias a decorrer a trabalhos em fazendas ou em outros Estados, muitas pessoas saem de suas casas em busca de uma vida melhor e acaba se deparando com precariedade salarial e péssimas condições de trabalho.
Ademais, muitas pessoas que buscam por trabalho, acabam por se colocar em um trabalho com condições precárias e muito disso se dá pela falta de informação e educação da população. A falta de formação e experiência também dificulta a encontrar um trabalho digno em um mercado de trabalho tão exigente como os dias de hoje. O trabalho escravo que já foi abolido, mas que ainda sim, as práticas ánalogo as a escravidão, que muito disso ocorre no campo e nas fazendas, em condições que mal se dá para viver.
Portanto, para a erradicação do trabalho escravo moderno, o governo estatal e instituições dos direitos humanos devem tomar ações para combater as irregularidades trabalhista, por meio de fiscalização e execução dos direitos, programas de formação acessível. A conscientização e a apoio da população é necessária para tomar coragem e denunciar práticas irregulares escravistas. Dito isso, as vítimas do trabalho escravo têm que ser apoiadas e resgatadas, e que tenham direito a um trabalho digno com boas condições, para que busquem o caminho para a liberdade.
NOTA GERAL (USUÁRIOS)
Sem
nota
Pontuar redação
NOTA AUTOMÁTICA (IA)
Sem
nota
Passe ilimitado
Comentários
Texto não corrigido.
COMPETÊNCIA 1: Demonstrar domínio da norma da língua escrita.
Texto não corrigido.
COMPETÊNCIA 2: Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.
Texto não corrigido.
COMPETÊNCIA 3: Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.
Texto não corrigido.
COMPETÊNCIA 4: Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.
Texto não corrigido.
COMPETÊNCIA 5: Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.
Texto não corrigido.
Similar Topics
Tópicos Estatísticas Última mensagem
0 Respostas 
212 Exibições
por Mayra121212
0 Respostas 
134 Exibições
por Mikaaaaaa
0 Respostas 
226 Exibições
por Carol25
0 Respostas 
173 Exibições
por gyosz
O trabalho escravo no Brasil contemporâneo
por BUTT212    - In: Outros temas
1 Respostas 
135 Exibições
por OlrenBeat
Trabalho escravo no Brasil: até quando?
por gabriel981    - In: Outros temas
0 Respostas 
66 Exibições
por gabriel981
Trabalho doméstico análogo ao escravo
por naybz    - In: Outros temas
0 Respostas 
75 Exibições
por naybz
Trabalho análogo ao escravo
por ryanods    - In: Outros temas
0 Respostas 
78 Exibições
por ryanods
O trabalho escravo no Brasil contemporâneo
por Bubblenana    - In: Outros temas
1 Respostas 
147 Exibições
por nathaliab22
0 Respostas 
44 Exibições
por gustavokw

Segundo o empresário estadunidense Steve Jobs: &qu[…]

O livro "Utopia", do escritor inglês Tho[…]

A lei seca foi implementada com o intuito de evita[…]

EXCLUIR REDAÇÃO!!!

Você poderia excluir a minha primeira redação de &[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!