• Avatar do usuário
#83045
De acordo com o portal R7, o Brasil, atualmente, possui mais de 2,5 milhões de pessoas
sem registro de nascimento. Nesse sentido, a invisibilidade no tocante ao registro civil é um
fato lamentável da sociedade brasileira, que usurpa a garantia de acesso à cidadania no
país. Além disso, o problema é condicionado e agravado pela desigualdade social e pela
inércia do Estado. Visando superar o presente percalço, vale discutir e aprofundar-se no
tema em questão.
Diante desse cenário, cabe realçar a desigualdade social como responsável direta da falta
de cidadania de parte dos brasileiros. Em síntese, a desigualdade social no Brasil tem
raízes antigas, datadas desde o século XIX, quando foi aprovada a Lei de Terras, uma lei
que facilitou a concentração fundiária e, por consequência, foi geradora primária da
estratificação por capital no país. Na atual perspectiva, a desigualdade social age de forma
negativa no que tange ao acesso de direitos, pois, ao isolar comunidades da rede de
amparo pública, cria um cenário onde os indivíduos pertencentes a elas não conseguem
interagir com os órgãos estatais de registro civil; seja por falta de transportes, por
isolamento social e geográfico ou por desconhecimento básico educacional.
Consequentemente, ao analisar tamanhos obstáculos, fica evidente que a população da
faixa da extrema pobreza é a mais prejudicada, pois ela engloba todas as dificuldades
mencionadas, e, paralelamente, ao ser excluída do acesso à cidadania, fica ainda mais
vulnerável e isolada socialmente.
Outrossim, é necessário discutir a inércia do poder público como cofator da problemática.
Por exemplo, de acordo com John M. Keynes, renomado economista americano, o Estado
deve adotar um modelo de bem-estar social, que ampare e proteja seus cidadãos.
Entretanto, no Brasil, o modelo defendido por Keynes mostra-se com falhas na prática.
Essas falhas ficam evidentes quando quase 3 milhões de brasileiros carecem de certidão de
nascimento, quando a expansão de unidades de cartório e registros, no interior do país, não
acompanha o ritmo de crescimento das cidades e quando o governo não investe
suficientemente na publicidade como meio de esclarecer a população carente. Por
conseguinte, tais atos amplificam o número de casos de “pessoas invisíveis”, ou seja,
pessoas sem o mínimo de documentação identitária nacional.
Portanto, o Ministério da Cidadania deve aumentar o número de cartórios e difundir
profissionais da área nas comunidades interioranas, para que registrem e legalizem a
cidadania da população necessitada. Essa ação deverá vir por meio de uma Proposta de
Emenda à Constituição que autorize o aumento da verba federal para esses fins,
argumentando que o país sofre uma calamidade social. Dessa forma, com a execução das
medidas relatadas, pode-se aspirar que a nação supere os tristes dados divulgados pelo
R7.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 180

Você atingiu aproximadamente 90% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra excelente domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro. Desvios gramaticais ou de convenções da escrita, neste nível, são aceitos somente como excepcionalidade e quando não caracterizam reincidência.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 160

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente e apresenta bom domínio do texto dissertativo-argumentativo, com proposição, argumentação e conclusão. Embora ainda possa apresentar alguns problemas no desenvolvimento das ideias, o tema, em seu texto, é bem desenvolvido, com indícios de autoria e certa distância do senso comum demonstrando bom domínio do tipo textual exigido.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 140

Você atingiu aproximadamente 70% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema, de forma organizada, com indícios de autoria, ou seja, os argumentos, embora ainda possam ser previsíveis, estão organizados e relacionados de forma consistente ao ponto de vista defendido e ao tema proposto, e há indícios de autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 180

Você atingiu aproximadamente 90% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante articula bem as ideias, os argumentos, as partes do texto e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos, sem inadequações.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 180

Você atingiu aproximadamente 90% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante elabora excelente proposta de intervenção, detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Trata-se de redação cuja proposta de intervenção seja muito bem elaborada, relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, abrangente e bem detalhada.

#83062
De acordo com o portal R7, o Brasil, atualmente, possui mais de 2,5 milhões de pessoas sem registro de nascimento. Nesse sentido, a invisibilidade no tocante ao registro civil é um fato lamentável da sociedade brasileira, que usurpa a garantia de acesso à cidadania no país. Além disso, o problema é condicionado e agravado pela desigualdade social e pela inércia do Estado. Visando superar o presente percalço, vale discutir e aprofundar-se no
tema em questão.

Introdução: em primeiro lugar, sua intro está boa, não tenho muito que falar dela, você contextualizou previamente o tema e, logo apresentou a tese. Por aqui, tudo okay ao me ver. 😁

Diante desse cenário, cabe realçar a desigualdade social como responsável direta da falta de cidadania de parte dos brasileiros. Em síntese, a desigualdade social no Brasil tem raízes antigas, datadas desde o século XIX, quando foi aprovada a Lei de Terras, uma lei que facilitou a concentração fundiária e, por consequência, foi geradora primária da estratificação por capital no país. Na atual perspectiva, a desigualdade social age de forma negativa no que tange ao acesso de direitos, pois, ao isolar comunidades da rede de amparo pública, cria um cenário onde os indivíduos pertencentes a elas não conseguem interagir com os órgãos estatais de registro civil; seja por falta de transportes, por isolamento social e geográfico ou por desconhecimento básico educacional. Consequentemente, ao analisar tamanhos obstáculos, fica evidente que a população da faixa da extrema pobreza é a mais prejudicada, pois ela engloba todas as dificuldades mencionadas, e, paralelamente, ao ser excluída do acesso à cidadania, fica ainda mais vulnerável e isolada socialmente.

Desenvolvimento 1: Nossa! Acredito que esse desenvolvimento está muito longo, não acha? Coube todo numa folha de 30 linhas? Enfim, não está ruim, na verdade está bem relevante, porém, como disse, está muito longo, você tem que ser objetivo e coerente, de forma simples, no seu desenvolvimento, tem que ter pelo menos 8 ou 9 linhas.

Outrossim, é necessário discutir a inércia do poder público como cofator da problemática. De acordo com John M. Keynes, renomado economista americano, o Estado deve adotar um modelo de bem-estar social, que ampare e proteja seus cidadãos. Entretanto, no Brasil, o modelo defendido por Keynes mostra-se com falhas na prática. Na sequência, essas falhas ficam evidentes quando quase 3 milhões de brasileiros carecem de certidão de nascimento, quando a expansão de unidades de cartório e registros, no interior do país, não acompanha o ritmo de crescimento das cidades e quando o governo não investe suficientemente na publicidade como meio de esclarecer a população carente. Por conseguinte, tais atos amplificam o número de casos de “pessoas invisíveis”, ou seja, pessoas sem o mínimo de documentação identitária nacional.


Desenvolvimento 2: Nesse desenvolvimento, você demonstrou conhecimento sobre o tema, no anterior também, só que acho que estava longo demais. Na parte em vermelho, percebi que você não estruturou bem, é como se a concordância entre as palavras estivesse forçada demais, acho que você deveria ter sido mais objetivo, sem muito informação e direto ao ponto de forma simples.

Portanto, o Ministério da Cidadania deve aumentar o número de cartórios e difundir profissionais da área nas comunidades interioranas, para que registrem e legalizem a cidadania da população necessitada. Essa ação deverá vir por meio de uma Proposta de Emenda à Constituição que autorize o aumento da verba federal para esses fins, argumentando que o país sofre uma calamidade social. Dessa forma, com a execução das medidas relatadas, pode-se aspirar que a nação supere os tristes dados divulgados pelo R7.

Conclusão: a conclusão está bem relevante, você trouxe uma proposta para que o problema seja resolvido, de acordo ao seu ponto de vista e, logo finalizou a finalidade, com intuito de que o problema seja minimizado.

Resumindo, sua redação está boa, você trouxe dados para reforçar seu argumento, muito importante para enriquecer sua redação e, apresentou uma proposta para que problema seja resolvido pelos órgãos responsáveis, no entanto, achei um pouquinho longa, fora isso, está genial. 😁
#83098
Eu acredito que você corrigiu minha redação usando como modelo redações simples e diretas.
Daí desenvolveu a complexidade da minha linguagem como desvio. Porém, a argumentação complexa não implica em menor nota. Um professor de redação avaliou a minha como 920. Enfim, eu compreendo. Os modelos que circulam na internet tendem a ser simples, com algo em torno de 2200-2300 caracteres. A minha possui quase 2900.
Redação ENEM 2021

chicao KarllaViit EuDavila Eumesmaoxi Ped[…]

Olá, alguém poderia corrigir? 😊 @An[…]

Na novela Avenida Brasil, é visto um exempl[…]

Você poderia dar uma nota para minha reda&cc[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM