#82620
Segundo o educador Paulo Freire, ninguém educa ninguém, os homens se educam entre si pelo intermédio do mundo. Nesse sentido, o Brasil, infelizmente, possui um grande número de indivíduos sem nenhum tipo de registro civil, para fundamentação de suas cidadanias, o que é um problema eminente. Assim, deve se debater o papel do estado na manutenção educacional para a formação do cidadão e a falta de meios para o acesso aos direitos civis pelas pessoas.
Em primeiro lugar, é importante destacar que a constituição de 1988 torna, como direito gratuito, o registro de nascimento para cada indivíduo nascido em território nacional. Contudo, a lacuna na educação, óbice enfrentada a longo tempo pela sociedade brasileira, e inviabiliza a população de ter conhecimento a essa garantia fundamental para o sedimento de várias funções exercidas por um cidadão, entre elas a possibilidade de votar, a obtenção de uma carteira de trabalho e, principalmente, a certidão de nascimento, o documento primário. Dessa forma pensamento de Freire não possui validade no contexto brasileiro, uma vez que o estado peca na manutenção educacional para o saber sobre os direitos civis ao povo, em especial os mais pobres, os mais afetados.
Ademais, inexistência de meios para o cadastro populacional, como cartórios, acentua ainda mais o problema. Diante disso, uma pesquisa feita pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) só na região nordeste do país mais de 800 mil pessoas não detém a certidão de nascimento, impossibilitando o reconhecimento civil desses indivíduos para as instituições públicas conto com isso mas o buraco no acesso à educação, essa situação se mantém persistente para nação.
Portanto medidas para a obtenção da cidadania pelos mais pobres devem ser tomadas, sendo de extrema importância que os direitos civis sejam levados aos milhões de brasileiros, inexistentes para o Estado. Para isso, o Governo, da União do Ministério da Educação com o Ministério da Cidadania, criar um projeto que vise construir escolas e cartórios em lugares afetados pela falta dessas instituições, ao mesmo tempo que se divulgue no âmbito escolar a importância da cidadania e suas funções, para que finalmente a população mais pobre consiga o reconhecimento de ser cidadão. Só assim, o Brasil irá diminuir essa problemática que enfrenta.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

"O mais escandaloso dos escândalos &eac[…]

Redação ENEM 2021

Na obra utopia do escritor inglês Thomas Mor[…]

"O mais escandaloso dos escândalos &eac[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM