Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação mais de uma vez = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos de "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
#50197
TEMA: CRIPTOMOEDAS E OS IMPACTOS NA ECONOMIA



No século XX, durante o governo de Itamar Franco, ocorreu a implantação da primeira moeda não física brasileira, a Unidade Real de Valor (URV), a qual foi elaborada para conter a hiperinflação e possibilitar o êxito do Plano Real. De maneira análoga, as criptomoedas demonstram potencial econômico igualmente promissor, dado que sua funcionalidade permite autonomia e rentabilidade, sendo capaz de substituir as notas convencionais em um futuro próximo. Nesse contexto, a adesão dessa ferramenta digital viabiliza a remodelação da estrutura financeira, contudo, a falibilidade educacional impede sua ampla aceitação, o que resulta manutenção de um panorama problemático.

Em primeira análise, cabe pontuar que os instrumentos de câmbio virtual proporcionam maior segurança e menor centralidade monetária. De acordo com o economista Klaus Schawb, a Revolução Técnico- Científico- Informacional representa um período de transformação inovadora do meio de realização das atividades cotidianos. Sob esse viés, é possível constatar a proposição do alemão nas mudanças no mecanismo cambial advinda da ascensão de cédulas do ciberespaço — como o Bitcoin e o Litecoin —, as quais são caracterizadas por oferecer a execução de transições eletrônicas transparentes, altamente protegidas e emancipatórias aos usuários. Com efeito, as operações se tornam independentes de uma autoridade central e, com o estabelecimento da não interferência humana, há a diminuta ocorrência de falhas e ações corruptivas. Perante isso, entende-se o quanto esse recurso é vantajoso.

Em segunda análise, vale ressaltar, entretanto, que a dinâmica pedagógica assumida no país dificulta o reconhecimento da utilidade e funcionamento das cifras computacionais. Desse modo, segundo o sociólogo Edgar Morin, é fundamental o ato de educar para complexidade, o que compreende a união de diferentes instâncias do conhecimento e habilidades. À vista disso, em razão da não adoção desse preceito, o padrão de ensino nacional consiste na focalização em saberes pragmáticos categorizados em ciências sociais, exatas e naturais e, portanto, a instrução acerca da economia e seus procedimentos não é integralizada à base curricular dos indivíduos. Por conseguinte, sem esse preparo, a elucidação sobre a finalidade das criptomoedas se torna complexa, determinando um baixo volume de transições através dessa via cambial entre os brasileiros, além das ínfimas noções de controle de finanças. Assim sendo, apreende-se o entrave causados por esse déficit.

Em suma, é mister que medidas sejam tomadas para reverter as adversidades a respeito das moedas virtuais. Dessarte, urge que o Ministério da Educação inclua a matéria de educação financeira na grade básica acadêmica, a qual deve ser orientada, especificamente, desde o início da formação escolar e reiterada intensamente no ensino médio e superior — estágio de inserção ativa no âmbito econômico —, por meio da reforma no cerce do modelo didático atuante, a fim de que a população usufrua das benesses progressistas indicas por Schawb.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 167

Você atingiu aproximadamente 90% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra excelente domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro. Desvios gramaticais ou de convenções da escrita, neste nível, são aceitos somente como excepcionalidade e quando não caracterizam reincidência.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 167

Você atingiu aproximadamente 90% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 160

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema, de forma organizada, com indícios de autoria, ou seja, os argumentos, embora ainda possam ser previsíveis, estão organizados e relacionados de forma consistente ao ponto de vista defendido e ao tema proposto, e há indícios de autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 167

Você atingiu aproximadamente 90% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante articula bem as ideias, os argumentos, as partes do texto e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos, sem inadequações.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 153

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante elabora bem proposta de intervenção relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, articulada e abrangente, ainda que sem suficiente detalhamento.

#50329
Gostei muito da sua redação, a relação do ponto de vista com os repertórios foi muito bem organizada. Contudo, você não deixou claro, para o corretor, na introdução, o ponto de vista a ser retomado no desenvolvimento A conclusão está completa, mas sugiro que você apresente no mínimo duas propostas incluindo dois agentes.
#50330
Oiê! Aqui está sua correção. Se tiver algum erro na sua avaliação pode me avisar que eu corrijo!

Introdução

No século XX, durante o governo de Itamar Franco, ocorreu a implantação da primeira moeda não física brasileira, a Unidade Real de Valor (URV), a qual foi elaborada para conter a hiperinflação e possibilitar o êxito do Plano Real. De maneira análoga, as criptomoedas demonstram potencial econômico igualmente promissor, dado que sua funcionalidade permite autonomia e rentabilidade, sendo capaz de substituir as notas convencionais em um futuro próximo. Nesse contexto, a adesão dessa ferramenta digital viabiliza a remodelação da estrutura financeira, contudo, a falibilidade educacional impede sua ampla aceitação, o que resulta manutenção de um panorama problemático.

Sua introdução é ótima! Preciso até elogiar sua argumentação e o domínio excelente da língua formal, parabéns! Acho que não tenho nenhuma crítica aqui.

Desenvolvimento I

Em primeira análise, cabe pontuar que os instrumentos de câmbio virtual proporcionam maior segurança e menor centralidade monetária. De acordo com o economista Klaus Schawb, a Revolução Técnico- Científico- Informacional representa um período de transformação inovadora do meio de realização das atividades cotidianos. Sob esse viés, é possível constatar a proposição do alemão nas mudanças no mecanismo cambial advinda da ascensão de cédulas do ciberespaço — como o Bitcoin e o Litecoin —, as quais são caracterizadas por oferecer a execução de transições eletrônicas transparentes, altamente protegidas e emancipatórias aos usuários. Com efeito, as operações se tornam independentes de uma autoridade central e, com o estabelecimento da não interferência humana, há a diminuta ocorrência de falhas e ações corruptivas. Perante isso, entende-se o quanto esse recurso é vantajoso.

Também não tenho nada a criticar aqui, você possui ótima argumentação com relações de causa/consequência e defende seu ponto de vista de forma organizada e consistente.

Desenvolvimento II

Em segunda análise, vale ressaltar, entretanto, que a dinâmica pedagógica assumida no país dificulta o reconhecimento da utilidade e funcionamento das cifras computacionais. Desse modo, segundo o sociólogo Edgar Morin, é fundamental o ato de educar para complexidade, o que compreende a união de diferentes instâncias do conhecimento e habilidades. À vista disso, em razão da não adoção desse preceito, o padrão de ensino nacional consiste na focalização em saberes pragmáticos categorizados em ciências sociais, exatas e naturais e, portanto, a instrução acerca da economia e seus procedimentos não é integralizada à base curricular dos indivíduos. Por conseguinte, sem esse preparo, a elucidação sobre a finalidade das criptomoedas se torna complexa, determinando um baixo volume de transições através dessa via cambial entre os brasileiros, além das ínfimas noções de controle de finanças. Assim sendo, apreende-se o entrave causados por esse déficit.

Só tenho o que te elogiar aqui. Bom repertório, sabe se aprofundar na argumentação e articula muito bem as partes do texto.

Conclusão

Em suma, é mister que medidas sejam tomadas para reverter as adversidades a respeito das moedas virtuais. Destarte*, urge que o Ministério da Educação (agente) inclua a matéria de educação financeira na grade básica acadêmica (ação), a qual deve ser orientada, especificamente, desde o início da formação escolar e reiterada intensamente no ensino médio e superior — estágio de inserção ativa no âmbito econômico —, por meio da (meio/modo) reforma no cerce do modelo didático atuante, a fim de que (finalidade) a população usufrua das benesses progressistas indicas(?) por Schawb.

Ótima proposta de intervenção, mas faltou o detalhamento. Além disso, recomendo que, ao final da conclusão, você volte a referência que citou na introdução, para garantir a coerência. Não é necessariamente uma regra, só uma dica mesmo :)

No geral, sua redação é ótima, bem estruturada, excelente conhecimento da língua portuguesa (só consegui identificar dois erros) e excepcional domínio argumentativo. Só não irei te dar nota máxima porque ficou faltando o detalhamento na sua proposta. Ademais, continue assim :)
#50351
@joanavitoria, '' a qual deve ser orientada, especificamente, desde o início da formação escolar e reiterada intensamente no ensino médio e superior — estágio de inserção ativa no âmbito econômico —'' não é detalhamento?

Obrigada por corrigir <3
#50352
@ADRAIOLIVER, '' a adesão dessa ferramenta digital viabiliza a remodelação da estrutura financeira (Argumento do D1), contudo, a falibilidade educacional impede sua ampla aceitação (Argumento do D2)'' foi isso que não ficou claro? ://

Obrigada por corrigir <3
#50365
Tente repetir no desenvolvimento a sua tese, isso deixa sua redação mais clara e coesa. Pois no primeiro paragrafo do desenvolvimento, apesar de você ter argumentado defendendo o ponto de vista da sua tese, você não a reafirmou, ou seja, é bom sempre repetir pra ficar mais evidente. Só uma dica, mas tá excelente!
#50399
@ADRAIOLIVER, entendi! eu deveria ter reafirmado que as criptomoedas demonstram potencial econômico promissor, dado que sua funcionalidade permite autonomia e rentabilidade. eu falei sobre a autonomia quando coloquei ''emancipatórias'' no D1, mas não falei sobre a reafirmei a rentabilidade... poderia ter encaixado em '' Com efeito, as operações se tornam independentes de uma autoridade central e, com o estabelecimento da não interferência humana, há a diminuta ocorrência de falhas, ações corruptivas e (lucrativas)'' aí ficaria ok né?

Controladoria-Geral da União: tem como de[…]

50 Dúvidas do Português Esclarecidas:[…]

A obra de Graciliano Ramos Vidas Secas lanç[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM