• Avatar do usuário
#17470
A superlotação nos presídios brasileiros é um problema que não é muito recente no país, pois da década de 90 até hoje, houve um aumento de 300% em relação às prisões, sendo a maioria delas pelo crime de tráfico, fato esse que transformou nosso sistema carcerário no 3° mais populoso do mundo, com quase 800.000 presos, ficando atrás apenas dos EUA e da China. Fatores como o aumento da violência, a falta de assistência jurídica aos mais necessitados e a ausência de uma repressão necessária ao crime contribuem substancialmente para esse paradigma.
É notório o crescimento elevado da violência que se dá, predominantemente, nas periferias e nas regiões mais pobres como o Nordeste, devido ao inchaço que houve nesses lugares que cresceram sem o devido preparo e sem o saneamento suficiente. A consequência disso é a prisão de pessoas sem o mínimo de condições para constituir um advogado e seria nesse ponto, em tese, que entraria a assistência jurídica oferecida pelo Estado, mas acontece que, em várias cidades do país, não há defensores públicos suficientes para todo o cárcere necessitado e, por isso, sem a devida assistência para peticionar um pedido de liberdade ao juiz, o que, por vezes, seria concedido por ser um crime de menor potencial ofensivo, o preso acaba ficando por mais tempo que o necessário na cadeia.
A falta de uma repressão mais rígida ao crime , através de leis eficazes, é outra causa, visto que tais normas jurídicas não saem do "papel", ocasionando o cometimento de crimes sem temor nenhum por parte dos criminosos, que têm a certeza da impunidade e sabem que suas prisões (quando ocorrem) durarão pouquíssimo tempo, se comparadas com o tempo em que deveriam cumprir. Em consequência disso, vemos o número de presos reincidentes aumentar a cada dia.
Destarte, o que é preciso ser feito é o investimento do Estado em políticas públicas preventivas para controlar a violência, diminuindo, assim, o número de presos, como a implementação da educação criminal nas escolas já no começo do discernimento das crianças, começando pela raiz. O aumento do efetivo da segurança pública que previne o crime, como o da Polícia Militar, e a ampliação também do efetivo da Defensoria Pública, pelo menos, nas áreas mais necessitadas, para prestar a assistência necessária, ambos através de concursos públicos. E investir em políticas públicas repressivas, como o endurecimento das leis e enfraquecimento de algumas mais benéficas aos criminosos ou até mesmo a abolição destas, como o livramento condicional, progressões de regime,entre outras que, inclusive, com a aprovação do projeto anticrime já se tornou realidade, e já é um grande passo para sanarmos essa problemática.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

#20434
Correção da sua redação
Usuário(a): @GilPaulo

Introdução - Gramática e coesão:
A superlotação nos presídios brasileiros é um problema que não é muito recente no país, pois da década de 90 até hoje, desde a década de 90, quando houve um aumento de 300% em relação às das prisões, sendo a maioria delas pelo crime de tráfico, fato esse que transformou nosso (evite a primeira pessoa do plural) sistema carcerário no 3° mais populoso do mundo, com quase 800.000 presos, ficando (evite gerúndios em excesso) atrás apenas dos EUA Estados Unidos e da China (frase muito longa). Fatores como o aumento da violência, a falta de assistência jurídica aos mais necessitados e a ausência de uma repressão necessária ao crime contribuem substancialmente para esse paradigma.

Legenda:
confuso para mim
correção ou sugestão
desnecessário ou redundante
erro ou "melhorável"
mandou bem
observação
repetição

Introdução - Estrutura e argumentação:
A superlotação nos presídios brasileiros é um problema que não é muito recente no país, pois da década de 90 até hoje, houve um aumento de 300% em relação às prisões, sendo a maioria delas pelo crime de tráfico, fato esse que transformou nosso sistema carcerário no 3° mais populoso do mundo, com quase 800.000 presos, ficando atrás apenas dos EUA e da China (1). Fatores como o aumento da violência, a falta de assistência jurídica aos mais necessitados e a ausência de uma repressão necessária ao crime contribuem substancialmente para esse paradigma (2).

Legenda:
confuso para mim
erro
mandou bem
(x): observação

Observações:
(1) Há um excesso de exposição de informações.
(2) Há três argumentos centrais para serem desenvolvidos em dois parágrafos de desenvolvimento, o que indica uma falha no cumprimento do projeto de texto. Cada um deve ter apenas uma ideia-núcleo.

Comentários gerais: introdução mediana, com alguns problemas.
#20438
Correção da sua redação
Usuário(a): @GilPaulo

Desenvolvimento - Gramática e coesão:
(faltou um conectivo aqui) É notório o crescimento elevado da violência que se dá, predominantemente, nas periferias e nas regiões mais pobres como o Nordeste, devido ao inchaço que houve nesses lugares que cresceram sem o devido preparo e sem o saneamento suficiente. A consequência disso é a prisão de pessoas sem o mínimo de condições para constituir um advogado. e seria nesse ponto, em. Em tese, que entraria a elas deveriam ter assistência jurídica oferecida pelo Estado, mas acontece que, em várias cidades do país, não há defensores públicos suficientes o suficiente para todo o cárcere necessitado e, por isso, sem a devida assistência para peticionar um pedido de liberdade ao juiz, - o que, por vezes, seria concedido por ser um crime de menor potencial ofensivo, - o preso acaba ficando por mais tempo que o necessário na cadeia.
(faltou um conectivo aqui) A falta de uma repressão mais rígida ao crime, através por meio de leis eficazes, é outra causa do problema, visto que tais normas jurídicas não saem do "papel" (coloquialidade), ocasionando o cometimento de crimes sem temor nenhum por parte dos criminosos, que têm a certeza da impunidade e sabem que suas prisões ( - quando ocorrem) - durarão duram (não mude o tempo verbal) pouquíssimo pouco tempo, se comparadas com o tempo em que deveriam cumprir. Em consequência disso, vemos (evite a primeira pessoa do plural) o número de presos reincidentes aumentar a cada dia.

Legenda:
confuso para mim
correção ou sugestão
desnecessário ou redundante
erro ou "melhorável"
mandou bem
observação
repetição

Desenvolvimento - Estrutura e argumentação:
É notório o crescimento elevado da violência que se dá, predominantemente, nas periferias e nas regiões mais pobres como o Nordeste, devido ao inchaço que houve nesses lugares que cresceram sem o devido preparo e sem o saneamento suficiente. A consequência disso é a prisão de pessoas sem o mínimo de condições para constituir um advogado e seria nesse ponto, em tese, que entraria a assistência jurídica oferecida pelo Estado, mas acontece que, em várias cidades do país, não há defensores públicos suficientes para todo o cárcere necessitado e, por isso, sem a devida assistência para peticionar um pedido de liberdade ao juiz, o que, por vezes, seria concedido por ser um crime de menor potencial ofensivo, o preso acaba ficando por mais tempo que o necessário na cadeia (1).
A falta de uma repressão mais rígida ao crime , através de leis eficazes, é outra causa, visto que tais normas jurídicas não saem do "papel", ocasionando o cometimento de crimes sem temor nenhum por parte dos criminosos, que têm a certeza da impunidade e sabem que suas prisões (quando ocorrem) durarão pouquíssimo tempo, se comparadas com o tempo em que deveriam cumprir. Em consequência disso, vemos o número de presos reincidentes aumentar a cada dia (2).

Legenda:
confuso para mim
erro
mandou bem
(x): observação

Observações:
(1) e (2) O que te levou a todas essas conclusões?

Comentários gerais: desenvolvimento fraco, pois faltou embasamento à argumentação.
#20451
Correção da sua redação
Usuário(a): @GilPaulo

Conclusão - Gramática e coesão:


Legenda:
confuso para mim
correção ou sugestão
desnecessário ou redundante
erro ou "melhorável"
mandou bem
observação
repetição

Conclusão - Estrutura e argumentação:


Legenda:
confuso para mim
erro
mandou bem
(x): observação

Observações:
(1) e (2) O que te levou a todas essas conclusões?

Comentários gerais: desenvolvimento fraco, pois faltou embasamento à argumentação.
Felipe082 escreveu:Correção da sua redação
Usuário(a): @GilPaulo

Introdução - Gramática e coesão:
A superlotação nos presídios brasileiros é um problema que não é muito recente no país, pois da década de 90 até hoje, desde a década de 90, quando houve um aumento de 300% em relação às das prisões, sendo a maioria delas pelo crime de tráfico, fato esse que transformou nosso (evite a primeira pessoa do plural) sistema carcerário no 3° mais populoso do mundo, com quase 800.000 presos, ficando (evite gerúndios em excesso) atrás apenas dos EUA Estados Unidos e da China (frase muito longa). Fatores como o aumento da violência, a falta de assistência jurídica aos mais necessitados e a ausência de uma repressão necessária ao crime contribuem substancialmente para esse paradigma.

Legenda:
confuso para mim
correção ou sugestão
desnecessário ou redundante
erro ou "melhorável"
mandou bem
observação
repetição

Introdução - Estrutura e argumentação:
A superlotação nos presídios brasileiros é um problema que não é muito recente no país, pois da década de 90 até hoje, houve um aumento de 300% em relação às prisões, sendo a maioria delas pelo crime de tráfico, fato esse que transformou nosso sistema carcerário no 3° mais populoso do mundo, com quase 800.000 presos, ficando atrás apenas dos EUA e da China (1). Fatores como o aumento da violência, a falta de assistência jurídica aos mais necessitados e a ausência de uma repressão necessária ao crime contribuem substancialmente para esse paradigma (2).

Legenda:
confuso para mim
erro
mandou bem
(x): observação

Observações:
(1) Há um excesso de exposição de informações.
(2) Há três argumentos centrais para serem desenvolvidos em dois parágrafos de desenvolvimento, o que indica uma falha no cumprimento do projeto de texto. Cada um deve ter apenas uma ideia-núcleo.

Comentários gerais: introdução mediana, com alguns problemas.
#20458
Correção da sua redação
Usuário(a): @GilPaulo

Conclusão - Gramática e coesão:
Destarte, o que é preciso ser feito é o investimento do o Estado deve investir em políticas públicas preventivas - como a implementação da educação criminal nas escolas já no começo do discernimento das crianças - para controlar a violência, diminuindo, assim, o número de presos, como a implementação da educação criminal nas escolas já no começo do discernimento das crianças, começando pela raiz. O aumento do efetivo da segurança pública que previne o crime, como o (por mais que não fosse sua intenção, é como se a expressão "o crime" estivesse subentendida aqui) da Polícia Militar, e a ampliação também do efetivo da Defensoria Pública, pelo menos, nas áreas mais necessitadas, para prestar a assistência necessária, ambos através por intermédio de concursos públicos. E (não fragmente a frase assim) investir em políticas públicas repressivas, como o endurecimento das leis e enfraquecimento de algumas mais benéficas aos criminosos ou até mesmo a abolição destas, como o livramento condicional, progressões de regime, entre outras, o que, inclusive, com a aprovação do projeto anticrime, já se tornou realidade, e é um grande passo para sanarmos (evite a primeira pessoa do plural) essa problemática.

Legenda:
confuso para mim
correção ou sugestão
desnecessário ou redundante
erro ou "melhorável"
mandou bem
observação
repetição

Conclusão - Estrutura e argumentação:
Destarte, o que é preciso ser feito é o investimento do Estado em políticas públicas preventivas para controlar a violência, diminuindo, assim, o número de presos, como a implementação da educação criminal (1) nas escolas já no começo do discernimento das crianças, começando pela raiz. O aumento do efetivo da segurança pública que previne o crime, como o da Polícia Militar, e a ampliação também do efetivo da Defensoria Pública, pelo menos, nas áreas mais necessitadas, para prestar a assistência necessária, ambos através de concursos públicos (2). E investir em políticas públicas repressivas, como o endurecimento das leis e enfraquecimento de algumas mais benéficas aos criminosos ou até mesmo a abolição destas (3), como o livramento condicional, progressões de regime,entre outras que, inclusive, com a aprovação do projeto anticrime já se tornou realidade, e já é um grande passo para sanarmos essa problemática. (4)

Legenda:
confuso para mim
erro
mandou bem
(x): observação

Observações:
(1) Educação criminal para crianças pequenas? Isso é um tanto absurdo!
(2) Confuso.
(3) Cuidado para não desrespeitar a Constituição.
(4) Nenhuma das proposta tem os cinco elementos - ação, agente, meio ou modo, finalidade e detalhamento - de forma clara.

Comentários gerais: conclusão insatisfatória, com propostas incompletas.

Nos dias atuais pelo menos no Brasil, o háb[…]

Segundo dados estatísticos do IBGE, idosos […]

Evasão escolar

Olá! Li sua redação e ela f[…]

Redação- invisibilidade e registro c[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM