Por Rebeca2020bc
Tempo de Registro
#23589
A Constituição Federal de 1988 prevê a todo cidadão o direito à educação, segurança e saúde. Entretanto, no Brasil atual, é visto que na prática tal legislação não é efetuada em relação ao transtorno mental. Isso se deve a mudanças emocionais ou financeiras no cotidiano da vida das pessoas, ocasionando doenças como depressão. Nesse sentido cabe analisar causas, consequências e possível solução do problema da saúde mental.
Primeiramente, vale ressaltar que as crianças estão sendo expostas a telas de aparelhos eletrônicos muito cedo. Contudo, Freud explica que as experiências vividas na infância influenciam o comportamento da pessoa por toda vida. Dessa maneira, as crianças ficam limitadas ao contato com dispositivos eletrônicos, evitando relações interpessoais, desencadeando um adulto antissocial que não sabe lidar com as emoções e pelo fato de ser fechado não consegue se abrir com outros. Consequentemente, ocasiona um grande estresse mental e através de mudanças pode levar o indivíduo a desenvolver problemas sérios como depressão, e em alguns casos até o suicídio.
Outrossim, o médico Hebert freudenberg, em 1974, desenvolveu o conceito da síndrome de bournout, em que os principais afetados são os profissionais, que se envolve demais com trabalho ou são exonerados de seus cargos. Por conta disso, o desgaste mental se agrava devido à falta de emprego e sustento para a família. Apesar de não ser considerado uma doença pode trazer transtornos como a ansiedade e depressão. Logo, é de suma importância o cuidado com a saúde mental do trabalho.
Torna-se evidente, portanto, que a mídia por meio de programas deve intensificar a disseminação de informações sobre a depressão e o suicídio a fim de alertar a população sobre as consequências dessa doença. Além disso, cabe ao Ministério da saúde a contratação de profissionais na área em postos de atendimento público, de modo a atender todas as partes da sociedade com o intuito de diminuir os prejuízos causados pela depressão e o estresse mental. Dessa maneira, os regulamentos constitucionais não seriam restritos apenas na parte teórica, mas também na prática .
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Mylike Dá uma olhada na minha reda&ccedi[…]

Mylike Higorvaz Poderiam olhar minha reda&cce[…]

--

O romance filosófico "Utopia", re[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM