• Avatar do usuário
#76190
A pandemia de Covid-19 tem mudado o cotidiano dos brasileiros de modo súbito, criando a necessidade de uma quarentena para que o menor número de pessoas possível adoeça. Contudo, tal prerrogativa criou um contraste entre o físico e o emocional, visto que essa transição de rotina adoeceu a população mentalmente. Diante dessa perspectiva, a disseminação de notícias falsas e a descrença nos profissionais de saúde mental são aspectos que comprometem o bem-estar emocional.
Em primeira análise, aponta-se que o governo é responsável por espalhar informações falsas acerca do coronavírus. Assim, o Estado não se mostrou preocupado em relatar a verdade para a população, tendo propagado, por exemplo, o uso de remédios não confiáveis para cuidar do vírus. Esse quadro se relaciona com a crescente do burnout, um distúrbio em que cria-se exaustão mental adquirida no trabalho. Logo, 78% dos profissionais da saúde sofreram com os sintomas do burnout em 2020, devido aos grandes números de casos e mortes, assim explica o psiquiatra José Paulo Fiks. Infelizmente, essas grandes quantidades são efeitos das "fake news".
Ademais, é essencial apontar o ceticismo na psicologia como um problema. Nesse contexto, a descrença na terapia ser funcional é recorrente entre a população. As pessoas não estão cuidando das suas saúdes mentais, enquanto que uma situação de pandemia, onde o contato social precisa ser mínimo, conduz aos problemas emocionais, havendo, então, um desequilíbrio. Pode-se mencionar que a pesquisa do instituto Market Analysis mostrou que apenas 2% dos brasileiros escolhem a psicoterapia para resolver transtornos emocionais. Logo, é inadmissível que esse cenário continue a perdurar.
Depreende-se, portanto, a necessidade de combater tais obstáculos. Para isso, é crucial que o governo, através do Ministério da Saúde, disponibilize, nas mídias sociais, informações verdadeiras sobre os riscos do coronavírus e a importância de cuidar da saúde mental na pandemia, divulgando a terapia como melhor escolha, para que os brasileiros alertem-se. Só assim a população vai adquirir o conhecimento de cuidar da saúde, tanto física, quanto mental.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

A questão do lixo no Brasil

O filme "Wall-e" se passa em uma socieda[…]

geoca PODE CORRIGIR MINHA RED PFVR?

Segundo a Constituição Federal de 19[…]

Sob a perspectiva do aclamado documentário […]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM