• Avatar do usuário
Avatar do usuário
Por Mavisecond
#66463
Título: comer para viver e não para extravasar.
O filme americano ``O mínimo para viver ́ ́, retrata a jornada de uma jovem com anorexia e sua luta para vencer a doença. Não distante da realidade presente no filme, hoje na sociedade brasileira, existem pessoas sofrendo com distúrbios alimentares, que leva ou a magreza excessiva ou ao ganho de peso excessivo. Sendo assim, fica claro, que o debate a respeito desta problemática e seus principais fatores é necessário.
Em primeiro lugar, um dos fatores que leva a obesidade ou a magreza excessiva, está relacionado com distúrbios emocionais e hábitos alimentares não saudáveis, assim como a falta de exercício. Segundo o chefe do Serviço de Cirurgia Bariátrica e Metabólica do Hospital São Lucas da PUCRS, “Hoje, 80% das pessoas que chegam à obesidade têm algum distúrbio emocional, e acabam compensando na comida. A ansiedade está presente na vida da gente, mas é possível controlar e tratar”. Nesse viés, é evidente, que as emoções precisam ser tratadas de um modo profissional, pois estas podem gerar a impulsividade, e consequentemente o comer descontrolado. E, em outros casos, a impulsividade, pode gerar a culpa após a ingestão exagerada de alimentos, que leva também a indução ao vômito e o desenvolvimento de doenças, como a anorexia e a bulimia.
Em segundo lugar, outro fator importante, é a falta de exercícios físicos e hábitos alimentares ruins. De acordo com a pesquisa realizada pelo Vigitel, a prática de algum exercício físico aumentou 25,7% no Brasil, o que é algo muito bom, uma vez que ajudam na melhor da flexibilidade, força muscular, fortalecimento de ossos e articulações e melhora o metabolismo, acelerando na perda de peso. Além da prática de atividades físicas, liberam endorfina e serotonina, que são neurotransmissores, que dão a sensação de prazer e bem-estar.
Por conseguinte, fica claro, que a obesidade, assim como, a anorexia e outras doenças relacionadas a distúrbios alimentares, precisam ser tratados com mais seriedade. Sendo assim, o Ministério da Saúde junto com hospitais poderiam criar campanhas e disponibilizarem profissionais capacitados, como psicólogos, para fazerem palestras, como intuito de ajudar na melhora do emocional das pessoas, para que elas consigam extravasar seus sentimentos da maneira correta e não descontarem na comida. Ademais, movimentos que incentivem a prática de atividades físicas podem ser criados, tanto pelas mídias sociais quanto por ONGs, para que assim doenças referentes a alimentação possam ser combatidas e as pessoas possam ter uma qualidade de vida melhor.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

LeighTeabing JoaoPedro72 Higorvaz EuDavil[…]

JoaoPedro72 Higorvaz geoca obrigada pelas co[…]

Pessoal, podem me ajudar corrigindo e pontuando? A[…]

Aqui está a minha análise da sua red[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM