• Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
#84618
Em seu célebre poema “No meio do caminho”, o poeta Carlos Drummond de Andrade metaforizou os obstáculos da vida como sendo uma pedra intransponível. Ao sair da vertente literária, é plausível comparar, também, essa “rocha” ao exíguo reconhecimento da contribuição das mulheres nas ciências da saúde, o qual configura um árduo desafio a ser sanado no Brasil. É necessária, então, uma análise dos fatores que estimulam o revés: o ínfimo incentivo midiático e o frustrante legado histórico.

É crucial salientar, sobretudo, como a apatia da mídia intensifica o infortúnio. Diante disso, o sociólogo Pierre Bourdieu defendia que os mecanismos democráticos não devem se tornar em ferramentas opressoras. Observa-se, todavia, que os meios de comunicação revelam uma face opressora ao privilegiar o trabalho masculino nas ciências médicas em detrimento do labor feminino no mesmo ramo. Isso, por conseguinte, faz com que o tecido civil pouco reconheça a enorme contribuição femínea no âmbito salutífero. Assim, fica claro que a mídia atua como uma fracassada no que tange à resolução dessa crítica vicissitude.

Faz-se essencial acentuar, além disso, como as raízes historiais reforçam o empecilho. Para o sociólogo Sérgio Buarque de Holanda, o brasileiro carrega consigo fortes traços de seu passado. Sob essa lógica, pode-se afirmar que, por conta de uma histórica cultura machista, o Brasil tem demonstrado dificuldades em protagonizar e incentivar a integração feminil nas áreas médicas. Consequentemente, a população do país acaba por não reconhecer que tal segmento populacional é capaz de exacerbadamente contribuir para os avanços técnicos. Desse modo, é inadmissível que as mazelas pretéritas continuem a se perpetuar na sociedade contemporânea.

É indispensável, pois, frear os tonificadores da adversidade. Para tanto, cabe à mídia – instituição incumbida de facilitar a propagação de informação – considerar, por meio de televisões e rádios, a diversidade nas ciências da saúde com o intuito de que a coletividade saiba reconhecer o trabalho feminino nessa área. Ademais, o Estado deve desconstruir rótulos da herança historial quanto ao desincentivo do labor feminil nas esferas médicas. Feito isso, poder-se-á ver a nação absolvida dessa contrariedade.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra excelente domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro. Desvios gramaticais ou de convenções da escrita, neste nível, são aceitos somente como excepcionalidade e quando não caracterizam reincidência.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema proposto, de forma consistente e organizada, configurando autoria, ou seja, os argumentos selecionados estão organizados e relacionados de forma consistente com o ponto de vista defendido e com o tema proposto, configurando-se independência de pensamento e autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 190

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante articula bem as ideias, os argumentos, as partes do texto e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos, sem inadequações.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante elabora excelente proposta de intervenção, detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Trata-se de redação cuja proposta de intervenção seja muito bem elaborada, relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, abrangente e bem detalhada.

Invisibilidade na sociedade

O romance filosófico "Utopia", re[…]

Olá Hospedar , tudo bem? 😺👋🏻 &[…]

SKKSKDKDK JoaoPedro72 isso é uma obr[…]

Oie, vocês poderiam corrigir minha reda&cced[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM