Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos como "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
#54360
"É mais fácil desintegrar um átomo do que um preconceito", tal frase atribuída ao ilustre físico Albert Einstein está constantemente embricada à realidade brasileira no tocante aos diversos estigmas presentes na sociedade. Um deles é o preconceito linguístico, causado, geralmente, pelo choque de culturas entre regiões brasileiras e suas diferenças de escolaridade.
A priori, os diferentes sotaques regionais causam "espanto" aos não familiarizados. Visto que, no reality show Big Brother Brasil, focado no confinamento de diferentes pessoas do país inteiro, a participante nordestina Juliette Freire sofre com tal estigmatização ao utilizar gírias de sua região, "oxente" e "dodia", por exemplo. Logo, os demais participantes utilizam-se disso para tratá-la como diferente, o que, para além do programa, é comum dentro do corpo social brasileiro.
A posteriori, a diferença de escolarização é outro fator de agravo do impasse. Pois, isso gera uma polarização linguística que abre espaço para o surgimento do revés supracitado. Sendo que, torna-se possível citar o brilhante escritor brasileiro Patativa do Assaré, cujo aprendeu a ler e a escrever seus poemas de forma autodidata e, apesar de escrever palavras formalmente incorretas, transmite a mensagem com maestria. Nessa perspectiva, afere-se necessário debater a questão de que, escolaridade não define criatividade, inteligência, etc.
Por via dos fatos mencionados, constata-se que a contravenção carece de atenção governamental e popular. Logo, urge que o Governo Federal, por meio do Ministério da Cultura, elabore leis adicionais a Constituição Federal Brasileira de 1988 que proiba qualquer tipo de constrangimento ou preconceito para com as formas e sotaque da língua portuguesa, além de promover, através do Ministério da Educação, debates sobre o tema abordado, com o fito de diminuir o estigma associado as diferentes manifestações linguísticas-culturais. Só assim, o Brasil estará em andamento para minimizar a problemática citada por Albert Einstein.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Um claro exemplo da falta de empatia e da desumani[…]

Oi tudo bem! Eu avaliei a sua redaçã[…]

Valorização do idoso

De acordo com o sociólogo Émile Durk[…]

Bom dia, seu texto está muito bem desenvolv[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM