• Avatar do usuário
#46428
Um dos desafios da atualidade está relacionado com a dificuldade enfrentada por pessoas que são consideradas pobres ou extremamente pobres no Brasil durante a pandemia da covid-19. Nesse contexto, percebe-se que o País enfrenta um momento crítico, sendo que os mais prejudicados são famílias de baixa renda e que vivem com poucos recursos. Dessa maneira, políticas públicas são necessárias para o tema em questão.
Em primeiro lugar, vale ressaltar que a pandemia do coronavírus agravou o cenário de pobreza no país. Segundo o IBGE, é considerado em extrema pobreza quem dispõe de aproximadamente R$ 145,00 reais ao mês para sobreviver. Já os considerados pobres são aqueles que sobrevivem com no máximo R$ 436,00 reais ao mês. Nota-se que a desigualdade social é um dos fatores que influencia neste problema e tem relação direta com à falta de acesso a necessidades básicas, como: educação, saúde, esporte, cultura e o principal que é falta de oportunidade de emprego e trabalho. Por fim, é notório que a formulação de políticas de apoio e incentivo é primordial.
Por conseguinte, é mister destacar que existe um abismo entre as classes com maior e menor poder aquisitivo. De acordo com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), o Brasil é o sétimo país mais desigual do mundo, ficando apenas atrás de nações do continente africano. Assim, percebe-se que a miséria no Brasil atinge todos os estados brasileiros, mas principalmente o Norte e Nordeste do país, em especial a população sem instrução ou com formação fundamental incompleta, onde pessoas passam fome devido à seca e a falta de recursos. Por isso, é imprescindível um trabalho focado para este grupo no intuito de resolver este problema.
Portanto, medidas devem ser tomadas para combater esta questão. Logo, cabe ao Governo Federal, em parceria com o Ministério da Cidadania, criar programas sociais focados na inserção da população pobre no mercado de trabalho, por meio de incentivos governamentais. Tal ação deve proporcionar políticas públicas de moradia, alimentação adequada, orientação sobre os cuidados com a saúde, como também trabalho e profissionalização, a fim de garantir maneiras que as tirem da situação extrema de pobreza. Dessa forma, pode-se atingir resultados satisfatórios.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

#46432
Um dos desafios da atualidade está relacionado com a dificuldade enfrentada por pessoas que são consideradas pobres ou extremamente pobres no Brasil durante a pandemia da covid-19. Nesse contexto, percebe-se que o país enfrenta um momento crítico, sendo que os mais prejudicados são famílias de baixa renda e que vivem com poucos recursos. Dessa maneira, políticas públicas são necessárias para o tema em questão.
* Introdução padrão

Em primeiro lugar, vale ressaltar que a pandemia do corona vírus agravou o cenário de pobreza no país. Segundo o IBGE, é considerado em extrema pobreza quem dispõe de aproximadamente R$ 145,00 reais ao mês para sobreviver. [poderia ter juntado as orações] Já os considerados pobres são aqueles que sobrevivem com no máximo R$ 436,00 reais ao mês. [faltou conectivo] Nota-se que a desigualdade social é um dos fatores que influencia neste problema e tem relação direta com à [sem crase] falta de acesso a necessidades básicas, como: educação, saúde, esporte, cultura e o principal que é falta de oportunidade de emprego e trabalho. Por fim, é notório que a formulação de políticas de apoio e incentivo é primordial.

Por conseguinte, é mister destacar que existe um abismo entre as classes com maior e menor poder aquisitivo. De acordo com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), o Brasil é o sétimo país mais desigual do mundo, ficando apenas atrás de nações do continente africano. Assim, percebe-se que a miséria no Brasil atinge todos os estados brasileiros, mas principalmente o Norte e Nordeste do país, em especial a população sem instrução ou com formação fundamental incompleta, onde pessoas passam fome devido à seca e a falta de recursos. Por isso, é imprescindível um trabalho focado para este grupo no intuito de resolver este problema.
* Os desenvolvimentos estão na estrutura certa.
* Poucos erros: organização e conectivo, pontuação e crase


Portanto, medidas devem ser tomadas para combater esta questão. Logo, cabe ao Governo Federal, em parceria com o Ministério da Cidadania, criar programas sociais focados na inserção da população pobre no mercado de trabalho, por meio de incentivos governamentais. Tal ação deve proporcionar políticas públicas de moradia, alimentação adequada, orientação sobre os cuidados com a saúde, como também trabalho e profissionalização, a fim de garantir maneiras que as tirem da situação extrema de pobreza. Dessa forma, podem-se atingir resultados satisfatórios.
* Conclusão boa, trouxe um intervenção completa

Espero ter ajudado! ;)
Acredito que tiraria uma boa nota, mas não deixe de praticar!
Abuso sexual infantil

Boa noite, você escreve muito bem, mas recom[…]

Celular um amigo ou inimigo?

É notório que, na modernidade contem[…]

Invisibilidade e Registro civil

No romance filosófico "Utopia" cr[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM