Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação mais de uma vez = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos como: "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
#39683
No livro “1984” de George Orwell, é narrada a história de um Estado ditatorial, o qual proíbe a manifestação de pensamento de todos da sociedade, fazendo-os concordar e dizer apenas o que o governo vigente quer ouvir. Fora da ficção, é fato que no Brasil a liberdade de expressão já é garantida para todos, no entanto, muitos indivíduos se aproveitam dessa permissão para cometer atos de difamação por meio de discursos de ódio na internet. Logo, a falta de fiscalização incentiva, respectivamente, várias revoltas no âmbito virtual.

Primeiramente, pontua-se que, a falta de atenção com as publicações nos veículos de comunicativos é uma das principais causas da perpetuação de tal hostilidade. De acordo com o Matemático Thomas Hobbes, é dever do estado garantir o bem-estar da população. Todavia, a falta de punições para os sujeitos que publicam discursos de ódio nas redes sociais é uma prova que a ausência de fiscalização do Governo é um problema, pois muitos indivíduos aproveitam que têm total permissão para pronunciar suas ideias sem o risco de serem observados por alguém e, com isso, divulgam por meio de textos ou opiniões disfarçadas frases para denegrir e ferir a imagem de determinados cidadãos ou grupos de pessoas. Logo, sem uma mudança nesse cenário essa questão irá perpetuar.

Por conseguinte, a medida que os manifestos negativos são divulgados, as revoltas tornam-se mais frequentes. Segundo a Constituição Federal de 1988, todos os cidadãos têm direito a sua privacidade individual. No entanto, tal norma não garante uma fiscalização nas redes sociais e, por isso, vários sujeitos publicam artigos com o intuito de ferir a dignidade do próximo e, infelizmente, acabam gerando discussões na internet, pois ao verem que estão sendo atacados por outros usuários, as vítimas dessa injúria tentam resolver isso atacando de volta por meio de palavras e textos ofensivos também, e a medida que a discussão se intensifica, mais pessoas acabam entrando nesse ciclo de debate de “baixo calão”. Assim, a comodidade social vê-se ameaçada.

Portanto, faz-se necessária uma intervenção. Para isso, o Governo – principal entidade política do país – deve criar um projeto chamado “TôDeOlhoEmVocê", por meio do apoio do Poder Legislativo, a fim de fiscalizar todas as publicações das redes sociais e detectar qualquer frase que tenha como objetivo ferir ou denegrir a imagem de alguém, fazendo com que tais pubricantes sejam banidos e não voltem a divulgar mais nada. Dessa forma, serão minimizados os números de discursos de ódio na internet e, consequentemente, haverá um distanciamento ainda maior da realidade apresentada no livro "1984".



@Ashiley @Andree @Anna1 podem corrigir? Desde já agradeço.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 185

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra excelente domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro. Desvios gramaticais ou de convenções da escrita, neste nível, são aceitos somente como excepcionalidade e quando não caracterizam reincidência.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 195

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema proposto, de forma consistente e organizada, configurando autoria, ou seja, os argumentos selecionados estão organizados e relacionados de forma consistente com o ponto de vista defendido e com o tema proposto, configurando-se independência de pensamento e autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 195

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante articula bem as ideias, os argumentos, as partes do texto e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos, sem inadequações.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 195

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante elabora excelente proposta de intervenção, detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Trata-se de redação cuja proposta de intervenção seja muito bem elaborada, relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, abrangente e bem detalhada.

#39684
EduardoPedro escreveu:No livro “1984” de George Orwell, é narrada a história de um Estado ditatorial, o qual proíbe a manifestação de pensamento de todos da sociedade, fazendo-os concordar e dizer apenas o que o governo vigente quer ouvir. Fora da ficção, é fato que no Brasil a liberdade de expressão já é garantida para todos, no entanto, muitos indivíduos se aproveitam dessa permissão para cometer atos de difamação por meio de discursos de ódio na internet. Logo, a falta de fiscalização incentiva, respectivamente, várias revoltas no âmbito virtual.

Primeiramente, pontua-se que, a falta de atenção com as publicações nos veículos de comunicativos é uma das principais causas da perpetuação de tal hostilidade. De acordo com o Matemático Thomas Hobbes, é dever do estado garantir o bem-estar da população. Todavia, a falta de punições para os sujeitos que publicam discursos de ódio nas redes sociais é uma prova que a ausência de fiscalização do Governo é um problema, pois muitos indivíduos aproveitam que têm total permissão para pronunciar suas ideias sem o risco de serem observados por alguém e, com isso, divulgam por meio de textos ou opiniões disfarçadas frases para denegrir e ferir a imagem de determinados cidadãos ou grupos de pessoas. Logo, sem uma mudança nesse cenário essa questão irá perpetuar.

Por conseguinte, a medida que os manifestos negativos são divulgados, as revoltas tornam-se mais frequentes. Segundo a Constituição Federal de 1988, todos os cidadãos têm direito a sua privacidade individual. No entanto, tal norma não garante uma fiscalização nas redes sociais e, por isso, vários sujeitos publicam artigos com o intuito de ferir a dignidade do próximo e, infelizmente, acabam gerando discussões na internet, pois ao verem que estão sendo atacados por outros usuários, as vítimas dessa injúria tentam resolver isso atacando de volta por meio de palavras e textos ofensivos também, e a medida que a discussão se intensifica, mais pessoas acabam entrando nesse ciclo de debate de “baixo calão”. Assim, a comodidade social vê-se ameaçada.

Portanto, faz-se necessária uma intervenção. Para isso, o Governo – principal entidade política do país – deve criar um projeto chamado “TôDeOlhoEmVocê", por meio do apoio do Poder Legislativo, a fim de fiscalizar todas as publicações das redes sociais e detectar qualquer frase que tenha como objetivo ferir ou denegrir a imagem de alguém, fazendo com que tais pubricantes sejam banidos e não voltem a divulgar mais nada. Dessa forma, serão minimizados os números de discursos de ódio na internet e, consequentemente, haverá um distanciamento ainda maior da realidade apresentada no livro "1984".



@Ashiley @Andree @Anna1 podem corrigir? Desde já agradeço.
Hoje mesmo ou amanhã faço alguns comentários ;) .
#39685
EduardoPedro escreveu:No livro “1984” de George Orwell, é narrada a história de um Estado ditatorial, o qual proíbe a manifestação de pensamento de todos da sociedade, fazendo-os concordar e dizer apenas o que o governo vigente quer ouvir. Fora da ficção, é fato que no Brasil a liberdade de expressão já é garantida para todos, no entanto, muitos indivíduos se aproveitam dessa permissão para cometer atos de difamação por meio de discursos de ódio na internet. Logo, a falta de fiscalização incentiva, respectivamente, várias revoltas no âmbito virtual.

Primeiramente, pontua-se que, a falta de atenção com as publicações nos veículos de comunicativos é uma das principais causas da perpetuação de tal hostilidade. De acordo com o Matemático Thomas Hobbes, é dever do estado garantir o bem-estar da população. Todavia, a falta de punições para os sujeitos que publicam discursos de ódio nas redes sociais é uma prova que a ausência de fiscalização do Governo é um problema, pois muitos indivíduos aproveitam que têm total permissão para pronunciar suas ideias sem o risco de serem observados por alguém e, com isso, divulgam por meio de textos ou opiniões disfarçadas frases para denegrir e ferir a imagem de determinados cidadãos ou grupos de pessoas. Logo, sem uma mudança nesse cenário essa questão irá perpetuar.

Por conseguinte, a medida que os manifestos negativos são divulgados, as revoltas tornam-se mais frequentes. Segundo a Constituição Federal de 1988, todos os cidadãos têm direito a sua privacidade individual. No entanto, tal norma não garante uma fiscalização nas redes sociais e, por isso, vários sujeitos publicam artigos com o intuito de ferir a dignidade do próximo e, infelizmente, acabam gerando discussões na internet, pois ao verem que estão sendo atacados por outros usuários, as vítimas dessa injúria tentam resolver isso atacando de volta por meio de palavras e textos ofensivos também, e a medida que a discussão se intensifica, mais pessoas acabam entrando nesse ciclo de debate de “baixo calão”. Assim, a comodidade social vê-se ameaçada.

Portanto, faz-se necessária uma intervenção. Para isso, o Governo – principal entidade política do país – deve criar um projeto chamado “TôDeOlhoEmVocê", por meio do apoio do Poder Legislativo, a fim de fiscalizar todas as publicações das redes sociais e detectar qualquer frase que tenha como objetivo ferir ou denegrir a imagem de alguém, fazendo com que tais pubricantes sejam banidos e não voltem a divulgar mais nada. Dessa forma, serão minimizados os números de discursos de ódio na internet e, consequentemente, haverá um distanciamento ainda maior da realidade apresentada no livro "1984".



@Ashiley @Andree @Anna1 podem corrigir? Desde já agradeço.

Aí o "de" do D1 é desnecessário. Esqueci de tirar. E de por o "Estado" com inícial maiúscula.
#39689
@EduardoPedro

Erros
Correção dos erros
Comentários

Introdução
No livro “1984” de George Orwell, é narrada a história de um Estado ditatorial, o qual proíbe a manifestação de pensamento de todos da sociedade, fazendo-os concordar e dizer apenas o que o governo vigente quer ouvir. Fora da ficção, é fato que no Brasil a liberdade de expressão já é garantida para todos, no entanto, muitos indivíduos se aproveitam dessa permissão para cometer atos de difamação por meio de discursos de ódio na internet. Logo, a falta de fiscalização incentiva, respectivamente, várias revoltas no âmbito virtual.
Sua introdução contém repertório, problematização e tese muito bem feitos e organizados. Parabéns!

Desenvolvimento 1
Primeiramente, pontua-se que, a falta de atenção com as publicações nos veículos de comunicativos é uma das principais causas da perpetuação de tal hostilidade. De acordo com o Matemático Thomas Hobbes, é dever do eEstado garantir o bem-estar da população. Todavia, a falta de punições para os sujeitos que publicam discursos de ódio nas redes sociais é uma prova que a ausência de fiscalização do Governo é um problema, pois muitos indivíduos aproveitam que têm total permissão para pronunciar suas ideias sem o risco de serem observados por alguém e, com isso, divulgam por meio de textos ou opiniões disfarçadas frases para denegrir e ferir a imagem de determinados cidadãos ou grupos de pessoas. Logo, sem uma mudança nesse cenário essa questão irá perpetuar.
Muito bom desenvolvimento, ótima organização e argumentação muito persuasiva. Não tenho o que falar!

Desenvolvimento 2
Por conseguinte, a medida que os manifestos negativos são divulgados, as revoltas tornam-se mais frequentes. Segundo a Constituição Federal de 1988, todos os cidadãos têm direito a sua privacidade individual. No entanto, tal norma não garante uma fiscalização nas redes sociais e, por isso, vários sujeitos publicam artigos com o intuito de ferir a dignidade do próximo e, infelizmente, acabam gerando discussões na internet, pois ao verem que estão sendo atacados por outros usuários, as vítimas dessa injúria tentam resolver isso atacando de volta por meio de palavras e textos ofensivos também, e a medida que a discussão se intensifica, mais pessoas acabam entrando nesse ciclo de debate de “baixo calão”. Assim, a comodidade social vê-se ameaçada.
Ótimo desenvolvimento também, tudo organizado e uma argumentação maravilhosa.

Conclusão
Portanto, faz-se necessária uma intervenção. Para isso, o Governo (AGENTE) – principal entidade política do país – (DETALHAMENTO) deve criar um projeto chamado “TôDeOlhoEmVocê" (AÇÃO), por meio do apoio do Poder Legislativo (MEIO/MODO), a fim de fiscalizar todas as publicações das redes sociais e detectar qualquer frase que tenha como objetivo ferir ou denegrir a imagem de alguém, fazendo com que tais pubricantes sejam banidos e não voltem a divulgar mais nada (EFEITO/FINALIDADE). Dessa forma, serão minimizados os números de discursos de ódio na internet e, consequentemente, haverá um distanciamento ainda maior da realidade apresentada no livro "1984".
Sua proposta de intervenção está completa e muito bem elaborada. Contém todos os cinco elementos necessários... 200 na C5!

Seu texto está ótimo, muito bem feito e organizado. Mais uma redação incrível, então não tive muito o que falar. Bons estudos e parabéns!
#39718
Ashiley escreveu:governo
Além disso, teve a parte do "atacar de volta", que, acredito eu, pode gerar desconto de pontos por ser uma marca de oralidade.

Fora esses errinhos, tudo ótimo! Repertório, argumentação, proposta de intervenção, articulação das partes do texto... Tudo muito bem-feito!
#39786
@EduardoPedro, como seus textos são exemplares de nota mil e por isso mais fáceis de corrigir, darei uma olhada nele agora nesse fim de noite, vamos lá ? ;)

Tema: OS LIMITES DA LIBERDADE DE EXPRESSÃO NO BRASIL.

INTRODUÇÃO:
No livro “1984” de George Orwell, é narrada a história de um Estado ditatorial, o qual proíbe a manifestação de pensamento de todos da sociedade, fazendo-os concordar e dizer apenas o que o governo Governo vigente quer ouvir. Fora da ficção, é fato que no Brasil a liberdade de expressão já é garantida para todos, no entanto, muitos indivíduos se aproveitam dessa permissão para cometer atos de difamação por meio de discursos de ódio na internet. Logo, a falta de fiscalização incentiva, respectivamente, várias revoltas no âmbito virtual.

Comentários: Introdução perfeita, com todos os requisitos exigidos, parabéns demais!!

DESENVOLVIMENTO 1:
Primeiramente, pontua-se que, a falta de atenção [1] com as publicações nos veículos de comunicativos é uma das principais causas da perpetuação de tal hostilidade. De acordo com o Matemático Thomas Hobbes, é dever do estado garantir o bem-estar da população. Todavia, a falta de punições para os sujeitos que publicam discursos de ódio nas redes sociais é uma prova que a ausência de fiscalização do Governo é um problema, pois muitos indivíduos aproveitam que têm total permissão para pronunciar suas ideias sem o risco de serem observados por alguém e, com isso, divulgam por meio de textos ou opiniões disfarçadas frases para denegrir e ferir a imagem de determinados cidadãos ou grupos de pessoas. Logo, sem uma mudança nesse cenário essa questão irá perpetuar.

Comentários:
[1] queria só pontuar que seria legal se você tivesse dito de quem é essa falta de atenção, como você não diz fica confuso para o leitor saber se você está falando dos indivíduos ou de um agente de fiscalização mesmo.
Fora isso, excelente argumentação e organização.


DESENVOLVIMENTO 2:
Por conseguinte, a medida que os manifestos negativos são divulgados, as revoltas tornam-se mais frequentes. Segundo a Constituição Federal de 1988, todos os cidadãos têm direito a sua privacidade individual. No entanto, tal norma não garante uma fiscalização nas redes sociais e, por isso, vários sujeitos publicam artigos com o intuito de ferir a dignidade do próximo e, infelizmente, acabam gerando discussões na internet, pois ao verem que estão sendo atacados por outros usuários, as vítimas dessa injúria tentam resolver isso atacando de volta por meio de palavras e textos ofensivos também, e a medida que a discussão se intensifica, mais pessoas acabam entrando nesse ciclo de debate de “baixo calão”. Assim, a comodidade social vê-se ameaçada.

Comentários:
Excelente parágrafo novamente, não tenho oque pontuar.

PROPOSTA DE INTERVENÇÃO:
Portanto, faz-se necessária uma intervenção. Para isso, o Governo – principal entidade política do país – (AGENTE+DETALHAMENTO) deve criar um projeto chamado “TôDeOlhoEmVocê" (AÇÃO), por meio do apoio do Poder Legislativo (MEIO), a fim de fiscalizar todas as publicações das redes sociais e detectar qualquer frase que tenha como objetivo ferir ou denegrir a imagem de alguém, fazendo com que tais pubricantes publicantes sejam banidos e não voltem a divulgar mais nada (FINALIDADE). Dessa forma, serão minimizados os números de discursos de ódio na internet e, consequentemente, haverá um distanciamento ainda maior da realidade apresentada no livro "1984".

Comentários: Proposta completíssima, parabéns. Só senti falta de saber como seria essa detecção, seria por algum programa computadorizado? Mas de qualquer forma não anula sua proposta.

Comentários finais: Um excelente texto como sempre, bem organizado e argurmentivo, no entanto, atente-se a repetição desnecessária de alguns artigos e como marquei para você, em todos os seus parágrafos você repete a expressão "por meio de" muda isso aí ein haha, usa um "através de" "mediante a".

.Você disse que esqueceu algumas coisas como por inicial maiúscula e tudo mais, mas cuidado, no Enem, se esquecer não vai ter como reverter. Dessa forma, como foram mais de dois erros, não poderei fechar nos 200, mas como sou um bom camarada tirarei só 20 pontos da C1 porque foram mais erros de digitação mesmo. Mas dá próxima tente revisar com mais atenção :lol:

É isto, parabéns e qualquer dúvida é só falar aí.

Abraços.
Desigualdade social

No Hino Nacional do Brasil, é descrita uma […]

Durante a quarentena imposta pela pandemia de covi[…]

Violência Urbana

Em 1948 foi promulgada pela ONU, a Declaraç[…]

Ashiley , Tomara que sirva para concurso tamb&ea[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM