• Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
#76102
O Criança Esperança 2021 – programa solidário produzido pela TV Globo – trouxe a temática educação como foco, abordando sobre a situação de várias crianças e de adolescentes analfabetos no Brasil. Tal iniciativa periódica de arrecadação financeira e de divulgação, no entanto, por mais que benéfica, não é suficiente para mitigar essa mazela social, visto que a estrutura da base do ensino público no país é precária e os gestores federais não dão a devida importância a isso. Nesse viés, a inoperância estatal e a inércia midiática são desafios para a diminuição desse empecilho.

Diante disso, a disfunção da máquina governamental faz-se um obstáculo para tal atenuação. A esse respeito, o contratualista John Locke afirma que o Estado deve instalar a harmonia e a equidade no corpo civilizado. Porém, essa retórica não é efetivada no Brasil, uma vez que a desigualdade de renda é uma realidade na nação e afeta milhões de jovens – principalmente – da periferia, que não têm acesso ao ensino privado, o único de bom funcionamento. Nesse contexto, os chefes estatais, quando negligenciam o investimento substancial na estrutura das escolas públicas, favorecem a analfabetização da própria população, já que os alunos não absorvem os conteúdos, não possuem conforto na sala de aula e acabam, até mesmo, abdicando dos estudos, justamente por falta de incentivo.

Ademais, o silenciamento midiático contribui para essa agonia. José Saramago, nessa perspectiva, no livro “Ensaio Sobre a Cegueira”, de maneira análoga à distopia da obra, mostra que os problemas sociais não são devidamente expostos à conjuntura cívica. O cenário do abandono educacional, de fato, comprova essa análise, haja vista que, enquanto milhões de estudantes sacrificam a sua aprendizagem por falhas estruturais, a situação é pouco discutida na mídia – o que dificulta a sua minimização, já que deixa de atingir a massa popular e, desse modo, de ser combustível para movimentos de apoio. Por isso, é preciso divulgar e, por fim, entender a gravidade dos índices nacionais, como o do IBGE, o qual mostra que, pelo menos, um quarto dos casos da evasão em questão é devido ao trabalho infantil, por motivos de renda familiar insuficiente – um problema significativo. Logo, a negligência do governo e o silêncio dos veículos de informação corroboram o óbice.

Portanto, o analfabetismo precisa estar "sob holofotes", com o fito de ser atenuado. Para isso, a mídia nacional – sobretudo na internet -, aliada às Organizações Não Governamentais brasileiras dessa causa, deve criar a campanha #OAlfabetoÉDeTodos, por meio da filiação com os setores de propaganda do Twitter e do Instagram, buscando maior visibilidade nas plataformas. Esse movimento será um potente veículo de informações sobre a precariedade do ensino e, principalmente, o porta-voz para críticas e pressões direcionadas ao governo – a fim de obter, finalmente, uma atitude do tal e, claro, um desenlace eficiente da conturbação. O Criança Esperança, assim, não mais será uma das poucas - e ativas - tentativas de contorno dessa mazela.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra excelente domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro. Desvios gramaticais ou de convenções da escrita, neste nível, são aceitos somente como excepcionalidade e quando não caracterizam reincidência.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema proposto, de forma consistente e organizada, configurando autoria, ou seja, os argumentos selecionados estão organizados e relacionados de forma consistente com o ponto de vista defendido e com o tema proposto, configurando-se independência de pensamento e autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 196

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante articula bem as ideias, os argumentos, as partes do texto e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos, sem inadequações.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante elabora excelente proposta de intervenção, detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Trata-se de redação cuja proposta de intervenção seja muito bem elaborada, relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, abrangente e bem detalhada.

#76104
Olá, pessoal! Quanto tempo, não? Estou bem sumido, né? É, pois é. Reconheço. O vestibular está chegando e não tem sido fácil conciliar a rotina de estudos com a plataforma, kkkkkkk. Porém, apareci por aqui para enviar - depois de muito tempo - uma nova redação, com um tema bastante importante e, inclusive, cotado para a prova.
~ Recomendo a produção. :)

Caso algum usuário esteja disponível, eu gostaria de ler comentários pertinentes a respeito desse texto. Vou marcar algumas pessoas, mas sintam-se à vontade para opinar, beleza? ;)

@Gi69
@EmillyySilva
@maiconpgtu
@vitoriaca
@jheromagnoli

:mrgreen:
#76172
@eurodrigo, tudo bem!? Sumiu mesmo, kkkkk. Vou trazer minha análise, mas adianto que ainda estou aprendendo e se ver alguma falha comente, por favor.

💡》Correção modelo Enem
@gi69▶️@eurodrigo

😉SUGESTÃO
ERRO/PODERIA MELHORAR
CORREÇÃO

O Criança Esperança 2021 – programa solidário produzido pela TV Globo – trouxe a temática educação como foco, abordando sobre a situação de várias crianças e de adolescentes analfabetos no Brasil. Tal iniciativa periódica de arrecadação financeira e de divulgação, no entanto, por mais que benéfica, não é suficiente para mitigar essa mazela social, visto que a estrutura da base do ensino público no país é precária e os gestores federais não dão a devida importância a isso. Nesse viés, a inoperância estatal e a inércia midiática são desafios 😉[a serem combatidos] para 😉[que haja] a diminuição desse empecilho.

👩🏻‍🚀O final é só uma sugestão, visto que sua introdução está excelente. Parabéns!


Diante disso, a disfunção da máquina governamental faz-se um obstáculo para tal atenuação. A esse respeito, o contratualista John Locke afirma que o Estado deve instalar a harmonia e a equidade no corpo civilizado. 《COMENTÁRIO NO FINAL 》Porém, essa retórica não é efetivada no Brasil, uma vez que a desigualdade de renda é uma realidade na nação e afeta milhões de jovens principalmente da periferia, que não têm acesso ao ensino privado, o único de bom funcionamento. Nesse contexto, os chefes estatais, quando negligenciam o investimento substancial na estrutura das escolas públicas, favorecem a analfabetização da própria população, já que os alunos não absorvem os conteúdos, não possuem conforto na sala de aula e acabam, até mesmo, abdicando dos estudos, justamente por falta de incentivo.

SUGESTÃO:
Porém, essa retórica não é efetivada no Brasil, uma vez que a desigualdade de renda é uma realidade na nação e afeta milhões de jovensprincipalmente os da periferia , os quais não têm acesso ao ensino privado, o único de bom funcionamento.

Acredito que colocar principalmente entre travessões não é necessário.
O uso do "que" fica um pouco restritivo, na verdade, jovens da periferia não têm acesso à educação privada.


👩🏻‍🚀EXCELENTE!

Ademais, o silenciamento midiático contribui para 😉[perpetuação] essa agonia. José Saramago, nessa perspectiva, no livro “Ensaio Sobre a Cegueira”, de maneira análoga à distopia da obra, [AO MEU VER, ESSA PARTE ESTÁ ESTRANHA] mostra que os problemas sociais não são devidamente expostos à conjuntura cívica. O cenário do abandono educacional, de fato, comprova essa análise, haja vista que, enquanto milhões de estudantes sacrificam a sua aprendizagem por falhas estruturais, a situação é pouco discutida na mídia – o que dificulta a sua minimização, já que deixa de atingir a massa popular e, desse modo, de ser combustível para movimentos de apoio. Por isso, é preciso divulgar e, por fim, entender a gravidade dos índices nacionais, como o do IBGE, o qual mostra que, pelo menos, um quarto dos casos da evasão em questão é devido ao trabalho infantil, por motivos de renda familiar insuficiente – um problema significativo. Logo, a negligência do governo e o silêncio dos veículos de informação corroboram o óbice.

👩🏻‍🚀PARABÉNS! NÃO VI ERROS QUANTO À ESTRUTURA.


Portanto, o analfabetismo precisa estar "sob holofotes", com o fito de ser atenuado. Para isso, a mídia nacional – sobretudo na internet -, aliada às Organizações Não Governamentais brasileiras dessa causa, deve criar a campanha #OAlfabetoÉDeTodos, por meio da filiação com os setores de propaganda do Twitter e do Instagram, buscando maior visibilidade nas plataformas. Esse movimento será um potente veículo de informações sobre a precariedade do ensino e, principalmente, o porta-voz para críticas e pressões direcionadas ao governo – a fim de obter, finalmente, uma atitude do tal e, claro, [NÃO ACONSELHO ESCREVER "CLARO" DESSE JEITO] um desenlace eficiente da conturbação. O Criança Esperança, assim, não mais será uma das poucas - e ativas - tentativas de contorno dessa mazela.

👩🏻‍🚀SUA CONCLUSÃO ESTÁ PERFEITA E CONTEMPLA TODOS ELEMENTOS EXIGIDOS NA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO.

Fiz uma análise simples, pois estou sem tempo, mas espero ter ajudado. Você disserta muito bem!
#76197
Gi69 escreveu:O final é só uma sugestão, visto que sua introdução está excelente. Parabéns!
Boa sugestão! ;)
Gi69 escreveu:Acredito que colocar principalmente entre travessões não é necessário.
Necessário, de fato, não é. Entretanto, a estrutura não está errada, ok? Aliás, trazer advérbios desse tipo fortalece as marcações de autoria. O fato de estar entre vírgulas, sim, é facultativo - até entendo a sua preferência em não colocar -, mas, em alguns casos, corretores penalizam pela ausência. Fazer o quê, né? :?
Gi69 escreveu:O uso do "que" fica um pouco restritivo, na verdade, jovens da periferia não têm acesso à educação privada.
Alguns possuem, sabe? Por isso, não se deve generalizar o grupo. Nesse caso, o "que" pós vírgula foi utilizado para fazer essa demarcação. No mais, a sua sugestão é interessante, já que não deixa de estar certa. :D
Gi69 escreveu:[NÃO ACONSELHO ESCREVER "CLARO" DESSE JEITO]
É, não há muito o que discordar. Interjeições, normalmente, fazem parte da marca de escrita do autor. No caso, o sentido é de certeza.
Gi69 escreveu:de maneira análoga à distopia da obra, [AO MEU VER, ESSA PARTE ESTÁ ESTRANHA]
Parece ser algo meio louco, né? Kkkkkkk
Mas, na verdade, a obra traz uma distopia, de fato. É um mundo endêmico para/com a cegueira. Entendeu? :idea:

Valeu pelos comentários e sugestões, Gi! A respeito da argumentação, gostou? Tenho praticado novas formas de lidar com a C3 e, até agora, tem sido assertivo - espero que continue sendo. Ah, quando você fizer uma redação, caso queira, pode me marcar. ^^

Abração!
#76311
OLÁ Rodrigo! Tudo bem? Espero que seu dia esteja sendo incrível! 😸👋🏻

—Já notei que a Gi apareceu com uma ótima correção, concordo com muitos pontos que ela levantou, então só irei analisar algumas partes específicas. Lembrando que não sou uma corretora profissional e dependendo de quem corrigir o seu texto as análises serão bem diferentes. Espero ter ajudado! Um beijão!

/ ̄ ̄ ̄ ̄ ̄ ̄ ̄ ̄ ̄ ̄ ̄ ̄ ̄ ̄ ̄ ̄ ̄\

🦆 ⌕ 𖨂 Correção de EmiillySilva》▷
Redação ╳﹫Eurodrigo

Tema: "Os desafios para a diminuição do analfabetismo no Brasil."

👥⌕ 𖨂 ᵉˢˢᵃ ᶜᵒʳʳᵉᶜ̧ᵃ̃ᵒ ᵗᵉᵐ ᶜᵒᵐᵒ ᶠᶦⁿᵃˡᶦᵈᵃᵈᵉ ᵍᵘᶦᵃʳ ᵉ ᵃˡᵉʳᵗᵃʳ ᵒ ᵉˢᶜʳᶦᵗᵒʳ ᵈᵉ ˢᵉᵘˢ ᵈᵉˢˡᶦᶻᵉˢ ᵒᵘ ᵖᵒˢˢᶦ́ᵛᵉᶦˢ ᵉʳʳᵒˢ ᵈᵉ ᵃᶜᵒʳᵈᵒ ᶜᵒᵐ ᵒ ᵐᵒᵈᵉˡᵒ ᵈᵉ ʳᵉᵈᵃᶜ̧ᵃ̃ᵒ ᵉⁿᵉᵐ. ᵃᵖᵃʳᵗᶦʳ ᵈᶦˢˢᵒ ᵉ́ ᶦᵐᵖᵒʳᵗᵃⁿᵗᵉ ᵈᵉˢᵗᵃᶜᵃʳ ᵠᵘᵉ ⁿᵃ̃ᵒ ˢᵒᵘ ᵘᵐ ᵖʳᵒᶠᶦˢˢᶦᵒⁿᵃˡ ⁿᵃ ᵃ́ʳᵉᵃ, ᵉⁿᵗᵃ̃ᵒ ᵠᵘᵃˡᵠᵘᵉʳ ᵉᵠᵘᶦ́ᵛᵒᶜᵒ ᵈᵃ ᵐᶦⁿʰᵃ ᵖᵃʳᵗᵉ ᵇᵃˢᵗᵃ ᵐᵉ ᶦⁿᶠᵒʳᵐᵃʳ, ᵖᵒᶦˢ, ᶠᵃᶜ̧ᵒ ᵃᵖᵉⁿᵃˢ ᶜᵒᵐ ᶦⁿᵗᵘᶦᵗᵒ ᵈᵉ ᵃʲᵘᵈᵃʳ ᵒˢ ᵒᵘᵗʳᵒˢ
─────────────────
Competências
﹌﹌﹌﹌﹌﹌﹌﹌
『⚅』Trocar/repetição.
『⚀』Errado.
『⚃』Correto.
『⚂』Atenção/ modificação..
┄┈┄┈┄┈┄┈┄┈┄┈┄┈┄┈┄┈┄
[⚠️》 Perdão se alguma cor sair errada.]
┄┈┄┈┄┈┄┈┄┈┄┈┄┈┄┈┄┈┄
INTRODUÇÃO
┈┄┈┄┈┄┈┄┈┄┄┈┄┈┄┈┄┄╯

O Criança Esperança 2021 – programa solidário produzido pela TV Globo – trouxe a temática educação como foco, abordando sobre a situação de várias crianças e de adolescentes analfabetos no Brasil. Tal iniciativa periódica de arrecadação financeira e de divulgação, no entanto, por mais que benéfica, [💡》 "por mais que" trata-se de uma conjunção subordinativa adverbial concessiva, porque traz uma oração que expressa uma ideia contrária à da principal. Portanto, anteceder com "no entanto" é como utilizar dois elementos com sentido de conjunções adversativas, acredito que utilizar apenas um já seja o suficiente para realçar o sentido que procura] não é suficiente para mitigar essa mazela social, visto que a estrutura da base do ensino público no país é precária e os gestores federais não dão a devida importância a isso.『🅰️ Nesse viés, a inoperância estatal → ᵉˣᵖᵉᶜᵗᵃᵗⁱᵛᵃˢ ᵖᵃʳᵃ ᵒ ᵈᵉˢᵉⁿᵛᵒˡᵛⁱᵐᵉⁿᵗᵒ ⁰¹ e a inércia midiática → ᵉˣᵖᵉᶜᵗᵃᵗⁱᵛᵃˢ ᵖᵃʳᵃ ᵒ ᵈᵉˢᵉⁿᵛᵒˡᵛⁱᵐᵉⁿᵗᵒ ⁰² são desafios para a diminuição desse empecilho.『🅱️

┈┄┈┄┈┄┈┄┈┄┈┄┈┄┈┄┈┄┄╯
⌜ ✎⌝Muito bom!💪🏻😼👍🏼

✔)Contextualização『 Introdução com campanha
✔)problematização 『🅰️
✔)apresentação da tese 『🅱️
✔)citação breve dos dois argumentos.『01 e 02


- - - - - - - - - - -- - - - - - - - - - -- - - - - - - - - - -- - - -

⁰¹【 DESENVOLVIMENTO
╭┈┈┈┈┈┈┈┈┈╯
Diante disso, a disfunção da máquina governamental faz-se um obstáculo para tal atenuação. A esse respeito, o contratualista John Locke afirma que o Estado deve instalar a harmonia e a equidade no corpo civilizado. Porém, essa retórica não é efetivada no Brasil, uma vez que a desigualdade de renda é uma realidade ̶n̶a̶ ̶n̶a̶ç̶ã̶o̶ ̶e̶ ̶ ̶[💡》"que"》Você já revela ser uma retórica no Brasil, então, não há necessidade de ressaltar algo tão próximo e que já foi evidenciado antes] afeta milhões de jovens principalmente [🔎》em meu ponto de vista seria melhor utilizar o duplo travessão para isolar um conteúdo de frase que tenha o objetivo de explicar, bem como, conteúdo para o qual se quer dar destaque. Então, recomendo isolar esse marcador de opinião mediante vírgulas] da periferia, que não têm acesso ao ensino privado, o único de bom funcionamento. Nesse contexto, os chefes estatais, quando negligenciam o investimento substancial na estrutura das escolas públicas, favorecem a analfabetização da própria população, já que os alunos não absorvem os conteúdos, não possuem [💡》"por não possuírem"》 estabelecer causa (não possuírem conforto…) e consequência (analfabetismo) aqui seria um grande desfecho para explicar a forma que os chefes estatais favorecem o analfabetismo, por isso mudar um pouco a formação daquela parte seria benéfica]conforto na sala de aula e acabam [💡》"acabarem"], até mesmo, abdicando dos estudos, justamente por falta de incentivo.
.[⭐》fechamento do parágrafo concluído!]

╭──────────────────╯
⌜ ✎⌝ Muito bom, seu repertório foi simplesmente incrível, sustentou muito bem sua argumentação. Só fiz algumas modificações no final com a enumeração de causas e dei algumas dicas, mas no geral seu desenvolvimento está bem estruturado, sua escrita é sensacional.


- - - - - - - - - - -- - - - - - - - - - -- - - - - - - - - - -- - - -

╭──────────────╯

⁰² 【 DESENVOLVIMENTO
╰──────────────────╮
Ademais, o silenciamento midiático contribui para essa agonia. José Saramago, [❓》faltou alguma informação pessoal deste autor, para tornar seu texto ainda mais rico do que está] nessa perspectiva, no livro “Ensaio Sobre a Cegueira”, de maneira análoga à distopia da obra, mostra que os problemas sociais não são devidamente expostos à conjuntura cívica. O cenário do abandono educacional, de fato, comprova essa análise, haja vista que,[❌》possivel erro》 não isole essa expressão, pois ela dá um sentido explicativo para o que vem a seguir] enquanto milhões de estudantes sacrificam a sua aprendizagem por falhas estruturais, a situação é pouco discutida na mídia – o que dificulta a sua minimização, já que deixa de atingir a massa popular e, desse modo, de ser combustível para movimentos de apoio. Por isso, é preciso divulgar e, por fim, entender a gravidade dos índices nacionais, como o do IBGE [💡》O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica (IBGE)] , o qual mostra que, pelo menos, um quarto dos casos da evasão em questão é devido ao trabalho infantil, por motivos de renda familiar insuficiente – um problema significativo. Logo, a negligência do governo e o silêncio dos veículos de informação corroboram o óbice.
.[⭐》fechamento do parágrafo concluído!]


╭──────────────────╯
⌜ ✎⌝ esse desenvolvimento, ao meu ver, também está muito bom e sua organização é evidente. Parabéns!🥳

╰──────────────────╮

- - - - - - - - - -- - - - - - - - - - -- - - - - - - - - - -- - - -

╭──────────────╯

CONCLUSÃO
╰──────────────────╮
Portanto, o analfabetismo precisa estar "sob holofotes", com o fito de ser atenuado. Para isso, a mídia nacional – sobretudo na internet -, aliada às Organizações Não Governamentais brasileiras dessa causa, deve criar a campanha #OAlfabetoÉDeTodos, por meio da filiação com os setores de propaganda do Twitter e do Instagram, buscando maior visibilidade nas plataformas. Esse movimento será um potente veículo de informações sobre a precariedade do ensino e, principalmente, o porta-voz para críticas e pressões direcionadas ao governo – a fim de obter, finalmente, uma atitude do tal e, claro, um desenlace eficiente da conturbação. O Criança Esperança, assim, não mais será uma das poucas - e ativas - tentativas de contorno dessa mazela.

╭──────────────────╯
⌜ ✎⌝ Fez tudo muito bem, parabéns! Sua conclusão está completa e bem específica.

╭──────────────────╯

🔍proposta contém:
[✔]completa.

✅AGENTE. (Quem tomará providências)
✅AÇÃO. ( O modo, a forma que será feita)
✅OBJETIVO. ( O propósito após ser feita)
✅MEIO. (Por onde? Mídia? Escolas?...)
✅DETALHAMENTO.( Forma mais detalhada do meio, agente ou ação)


[🔥》"Continue! A força de vontade é o lema que conduz a nossa vida e nos faz navegar em busca de nossos sonhos."]

BOA SORTE E UM BEIJO NO CÉREBRO. 😚🧠

╭──────────────╯
#76331
EmillyySilva escreveu:"por mais que" trata-se de uma conjunção subordinativa adverbial concessiva, porque traz uma oração que expressa uma ideia contrária à da principal. Portanto, anteceder com "no entanto" é como utilizar dois elementos com sentido de conjunções adversativas, acredito que utilizar apenas um já seja o suficiente para realçar o sentido que procura]
Boa sugestão. Eu quis enfatizar a ideia de, primeiramente, adversidade - via operador - e, após, de benefício parcial, por meio do recurso utilizado. No caso, eu poderia ter simplificado, como você mencionou. Seria uma boa. ;)
EmillyySilva escreveu:Você já revela ser uma retórica no Brasil, então, não há necessidade de ressaltar algo tão próximo e que já foi evidenciado antes
Nesse caso, vi a necessidade de fazer essa retomada. O que ocorre é a amplitude de "realidade", percebe? O analfabetismo é uma realidade global e, nesse conjunto, o Brasil está incluso. Por isso, quis trazer, de novo, a ideia do enfoque nacional.
EmillyySilva escreveu:em meu ponto de vista seria melhor utilizar o duplo travessão para isolar um conteúdo de frase que tenha o objetivo de explicar, bem como, conteúdo para o qual se quer dar destaque. Então, recomendo isolar esse marcador de opinião mediante vírgulas
Não há muito o que comentar. Isso seria uma marca de escrita do autor. Nesse caso, eu não quis tornar a repetir a vírgula e optei por outro mecanismo.
EmillyySilva escreveu:estabelecer causa (não possuírem conforto…) e consequência (analfabetismo) aqui seria um grande desfecho para explicar a forma que os chefes estatais favorecem o analfabetismo, por isso mudar um pouco a formação daquela parte seria benéfica
Gostei da sugestão. O sentido da tese, em si, não iria mudar, mas seria uma maneira mais argumentativa de finalizar. Interessante. :lol:
EmillyySilva escreveu:faltou alguma informação pessoal deste autor, para tornar seu texto ainda mais rico do que está
O nome do autor e o título da obra já legitimam o repertório. Eu recomendo que traga informações extras apenas quando sobrar espaço, visto que, realmente, não é necessário. Cuidado para não ocupar demais o seu parágrafo com recursos não pontuáveis, ok? É uma dica. :!:
EmillyySilva escreveu:possivel erro》 não isole essa expressão, pois ela dá um sentido explicativo para o que vem a seguir
Nesse caso, seria uma adverbial temporal, não explicativa. Logo, para manter a coesão, sim, é preciso dessa bendita vírgula. :?
EmillyySilva escreveu:O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica (IBGE)
Órgãos muito conhecidos não necessitam da nomenclatura completa, porém, eu sempre busco colocar. Não sei o que me deu nesse texto, mas acabei esquecendo. Não questiono a sua colocação, também opto por nomear da maneira sugerida por ti. :D

Valeu, Emily! Gostei das suas sugestões e colocações. Espero que todos nós atinjamos as nossas metas nesse ENEM, sobretudo na redação, não é? Hehe! Um abração! :D
#76404
eurodrigo escreveu:
EmillyySilva escreveu:"por mais que" trata-se de uma conjunção subordinativa adverbial concessiva, porque traz uma oração que expressa uma ideia contrária à da principal. Portanto, anteceder com "no entanto" é como utilizar dois elementos com sentido de conjunções adversativas, acredito que utilizar apenas um já seja o suficiente para realçar o sentido que procura]
Boa sugestão. Eu quis enfatizar a ideia de, primeiramente, adversidade - via operador - e, após, de benefício parcial, por meio do recurso utilizado. No caso, eu poderia ter simplificado, como você mencionou. Seria uma boa. ;)
EmillyySilva escreveu:Você já revela ser uma retórica no Brasil, então, não há necessidade de ressaltar algo tão próximo e que já foi evidenciado antes
Nesse caso, vi a necessidade de fazer essa retomada. O que ocorre é a amplitude de "realidade", percebe? O analfabetismo é uma realidade global e, nesse conjunto, o Brasil está incluso. Por isso, quis trazer, de novo, a ideia do enfoque nacional.
EmillyySilva escreveu:em meu ponto de vista seria melhor utilizar o duplo travessão para isolar um conteúdo de frase que tenha o objetivo de explicar, bem como, conteúdo para o qual se quer dar destaque. Então, recomendo isolar esse marcador de opinião mediante vírgulas
Não há muito o que comentar. Isso seria uma marca de escrita do autor. Nesse caso, eu não quis tornar a repetir a vírgula e optei por outro mecanismo.
EmillyySilva escreveu:estabelecer causa (não possuírem conforto…) e consequência (analfabetismo) aqui seria um grande desfecho para explicar a forma que os chefes estatais favorecem o analfabetismo, por isso mudar um pouco a formação daquela parte seria benéfica
Gostei da sugestão. O sentido da tese, em si, não iria mudar, mas seria uma maneira mais argumentativa de finalizar. Interessante. :lol:
EmillyySilva escreveu:faltou alguma informação pessoal deste autor, para tornar seu texto ainda mais rico do que está
O nome do autor e o título da obra já legitimam o repertório. Eu recomendo que traga informações extras apenas quando sobrar espaço, visto que, realmente, não é necessário. Cuidado para não ocupar demais o seu parágrafo com recursos não pontuáveis, ok? É uma dica. :!:
EmillyySilva escreveu:possivel erro》 não isole essa expressão, pois ela dá um sentido explicativo para o que vem a seguir
Nesse caso, seria uma adverbial temporal, não explicativa. Logo, para manter a coesão, sim, é preciso dessa bendita vírgula. :?
EmillyySilva escreveu:O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica (IBGE)
Órgãos muito conhecidos não necessitam da nomenclatura completa, porém, eu sempre busco colocar. Não sei o que me deu nesse texto, mas acabei esquecendo. Não questiono a sua colocação, também opto por nomear da maneira sugerida por ti. :D

Valeu, Emily! Gostei das suas sugestões e colocações. Espero que todos nós atinjamos as nossas metas nesse ENEM, sobretudo na redação, não é? Hehe! Um abração! :D
Bom dia, tudo bem? 😼👍🏼 @eurodrigo

— com certeza os esforços de todos estão fazendo muita diferença, por isso espero que as nossas metas ultrapassem o esperado! (Kkk aquelas) Quando precisar basta me marcar, sou um pouco desorganizada mas sempre tento ajudar o máximo que conseguir. Obrigado pelas dicas também, até a próxima!

Athesui maiconpgtu anaclaradll jheromagn[…]

O artigo 6º da constituição fed[…]

O romance "Lolita " de 1955,escrito pelo[…]

Limites do humor

Atualmente, o tema limitës do humor é […]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM