• Avatar do usuário
#78377
A afirmação "o homem é um animal político",dita pelo filósofo clássico Aristóteles,vem se tornando uma falácia para o brasileiro no ínterim do cenário político. Por desmedidas criminalidades praticadas pelos ditos representantes do povo na história do país,os eleitores passam por uma crise de representatividade,abrindo mão de direitos e deveres com a expectativa de não se sentirem,diretamente,culpados.
Primeiramente,pontua-se as consequências destas criminalidades sob a vida da população. A corrupção praticada na esfera política baseia-se,com enfoque econômico e social,em desvios de verbas e arrecadações públicas que,a princípio,estariam destinadas a ações em prol da sociedade. Mesmo que muitos desses casos não venham a público,como o caso da "CPI do covid",convocada para apurar inquéritos sobre a gestão da saúde no país,o impacto dessas corrupções,por ora veladas,são sentidas nas estruturas sociais através da falta de melhorias,como projetos de infraestrutura e oportunidades sociais. Ademais,por consequência,essa situação gera uma insatisfação da qual os cidadãos,em grande maioria,não são ensinados a lidarem.
Segundamente,dessa forma,observa-se a intolerância a figura política no Brasil. Munidos de discursos e propostas conveniêntes,essa forma de política oferecida aos brasileiros desde a consolidação de sua democracia,não surte mais o mesmo efeito. Uma crise de representatividade assola os eleitores,que pela degradação da imagem do ofício,decorrente das propostas sem efeito e escândalos,acreditam não haver mais opções plausíveis no sistema eleitoral contemporâneo. Como resultado,por acreditarem estarem vendo somente "mais dos mesmos",as pessoas estão optando por não escolherem nenhum,como nas eleições presidênciais de 2018,onde,no segundo turno,votos brancos e nulos ultrapassaram a contagem de trinta por cento.
Depreende-se,portanto,a necessidade de um estímulo a estruturação de uma nova visão política. Logo,cabe as principais mídias televisivas,em conjunto com os jornais de destaque,através de programas televisivos e colunas jornalísticas,proporcionarem entrevistas e debates entre representantes políticos com maior frequência,não somente em épocas eleitorais,a fim de prover ao povo uma politização,somando conhecimento,segurança e incentivo para que possam reacender o interesse sobre essas questões,fundamentais ao homem.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

analfabetismo no Brasil

Oi, Iurymed , tudo certo? bora lá (lembran[…]

Título: Mais problemas O programa mais m&[…]

Jotaveh walace vanussa Isabelaassis

Como a arte pode ser inclusiva no Brasil? Ao menc[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM