• Avatar do usuário
#73931
Ensino ‘online’, do mesmo modo conhecido como ensino à distância, educação a distância (EAD), é uma modalidade de educação através do qual se efetua necessário o uso da tecnologia. Haja vista que, é justamente por demandar acesso à “internet” que de tal maneira é desafiador para o corpo social brasileiro. Em concordância com o TIC uma pesquisa realizada em 2019, do Centro Regional e Estudos para Desenvolvimento da Sociedade da Informação (CETIC) indícia que um quarto da população, ou seja, cerca de 30% dos lares no Brasil não possui acesso à ‘internet’. Dessa forma, isso ocorre, sobretudo, pela desigualdade social e infraestrutura tecnológica.
Portanto, torna-se evidente que a desigualdade social constitui-se em um dos principais fatores deste impasse. Por conseguinte, isso ocorre porque a demanda ao acesso tecnológico a camada mais desprovida vê-se privada de usufruir a tecnologia. Segundo o escritor e político brasileiro, Darcy Ribeiro, O Brasil, último país a acabar com a escravidão tem uma perversidade intrínseca na sua herança, que torna a nossa classe dominante enferma de desigualdade, de descaso. Visto que, é imprescindível que há raízes ideológicas que discernem nesta entrave.
Sendo assim, observa-se como a infraestrutura tecnológica impacta o ensino EAD nas redes públicas. De tal forma que, os alunos são sobrepostos a estruturas de extrema escassez nas escolas e no quadro atual de acesso à rede ‘internet’. Em conforme com a CG/BR — Comitê Gestor da Internet — apesar da redução em relação a 2018, o número de excluídos digitais no Brasil é de 47 milhões de brasileiros, que representam 26% da amostra da pesquisa TIC Domicílios em 2019. Desse modo, é válido ressaltar a suma essencialidade no investimento tecnológico no país. Posto que, a sociedade tem o direito ao acesso tecnológico.
Diante do exposto, percebe-se como a ausência tecnológica agrava este óbice no Brasil. Assim sendo, o Governo Federal, em parceria com o Ministério da Educação — órgão da administração Federal direta, tem como áreas de competência a política nacional de educação infantil e a geral — deve oferecer capacitação de auxílio tecnológico para os estudantes, por meio de verbas públicas para tornar menos desigual a rede educacional. Além disso, o investimento tecnológico deve ser revigorado por meio de parcerias com empresas tecnológicas — como a Stefanini It. Soultion — com a finalidade de melhorar o acesso. Assim, o ensino será mais justo e igualitário para que todos possam desfrutar dos benefícios da tecnologia.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

#74316
Ensino ‘online’, de mesmo modo conhecido como ensino à distância, educação a distância (EAD), (Parte desnecessária = redundância) é uma modalidade de educação através do qual se efetua necessário o uso da tecnologia. Haja vista que, é justamente por demandar acesso à “internet” que, de tal maneira, (isole entre vírgulas) é desafiador para o corpo social brasileiro. Em concordância com o TIC uma pesquisa realizada em 2019, (isole entre vírgulas) do Centro Regional e Estudos para Desenvolvimento da Sociedade da Informação (CETIC) indícia que um quarto da população, ou seja, cerca de 30% dos lares no Brasil não possui acesso à ‘internet’. Dessa forma, isso ocorre, sobretudo, pela desigualdade social e infraestrutura tecnológica.
Portanto, torna-se evidente que a desigualdade social (repetição de palavras) constitui-se em um dos principais fatores deste impasse. Por conseguinte, isso ocorre porque a demanda ao acesso tecnológico a camada mais desprovida vê-se privada de usufruir a tecnologia. Segundo o escritor e político brasileiro, Darcy Ribeiro, o Brasil, último país a acabar com a escravidão (vírgula) tem uma perversidade intrínseca na sua herança, que torna a nossa classe dominante enferma de desigualdade, de descaso. Visto que, (sem vírgula) é imprescindível que há raízes ideológicas que discernem nesta entrave.

Sendo assim, observa-se como a infraestrutura tecnológica impacta o ensino EAD nas redes públicas. De tal forma que, os alunos são sobrepostos a estruturas de extrema escassez nas escolas e no quadro atual de acesso à rede ‘internet’. Em conforme com a CG/BR — Comitê Gestor da Internet — apesar da redução em relação a 2018, o número de excluídos digitais no Brasil é de 47 milhões de brasileiros, que representam 26% da amostra da pesquisa TIC Domicílios em 2019. Desse modo, é válido ressaltar a suma essencialidade no investimento tecnológico no país. Posto que, ("Posto que" = "Porém", "Mas", "No entanto" a sociedade tem o direito ao acesso tecnológico.

Diante do exposto, percebe-se como a ausência tecnológica agrava este óbice no Brasil. Assim sendo, o Governo Federal, em parceria com o Ministério da Educação — órgão da administração Federal direta, tem como áreas de competência a política nacional de educação infantil e a geral — deve oferecer capacitação de auxílio tecnológico para os estudantes, por meio de verbas públicas para tornar menos desigual a rede educacional. Além disso, o investimento tecnológico deve ser revigorado por meio de parcerias com empresas tecnológicas — como a Stefanini It. Soultion — com a finalidade de melhorar o acesso. Assim, o ensino será mais justo e igualitário para que todos possam desfrutar dos benefícios da tecnologia.

Considerações finais:

-> O texto teve bons argumentos, porém foram pouco explorados
-> Comprometeu a coesão textual não utilizar conectivos referenciais (isso é, para situar o corretor, como "Primeiramente" no primeiro parágrafo de desenvolvimento; "Em segundo lugar" no D2
-> Não vi um corte claro entre introdução e começo do desenvolvimento
-> Estude conectivos
-> Estude vírgulas
-> A proposta de intervenção ficou boa

Nota:

C1: 160 (Vírgulas)
C2: 120
C3: 120
C4: 120 (Conectivos ruins)
C5: 200 (A proposta conteve todos elementos necessários)

Entretanto, não utilize minha correção como norte espere a de alguém mais experiente, pois sou zé-ninguém em RED.
Bons estudos :)

Anabia15 , PFVRR CORRIGE MINHA REDAÇ&Atild[…]

Olá, thayolivb . Aqui está a corre&[…]

https://projetoredacaonota1000.com.br/combate-ao-a[…]

GabrielFelix obg💕

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM