Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação mais de uma vez = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos como: "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
  • Avatar do usuário
#41633
Valorize a Vida

Ao examinar os dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), verifica-se que o Brasil está em oitavo dentre os países com maior número de suicídios. Nesse contexto, dois aspectos fazem-se relevantes: o tabu associado à questões de saúde mental e a existência de falhas na saúde pública do país. Diante a gravidade desse assunto, ergue-se a necessidade de mobilização do Estado juntamente com a sociedade, para supervisionar a situação apresentada.
Hodiernamente, problemas relacionados a saúde mental dos jovens é um estigma muito grande, causando uma falta de esclarecimento sobre o tema. Por consequência, muitos adolescentes que sofrem com transtornos mentais - um dos maiores ocasionadores do suicídio - não são diagnosticados e, portanto, não tratados adequadamente, sucedendo em suicídios que poderiam ser prevenidos. Por conseguinte, devido a desinformação, ainda existe o equívoco de que as doenças mentais "não existem", são "fragilidades" ou mesmo "falta de fé", o que dificulta o tratamento.
Além disso, a troca de informações sobre suicídio pode ser muito útil para diminuir os seus altos índices. A OMS estima que 90% dos casos podem ser evitados quando há oferta de ajuda. No entanto, por conta da baixa taxa de investimentos no Sistema Público de Saúde e a precariedade na formação profissional em urgências psiquiátricas e em suicidologia, o ato de suicidar-se fica entre as duas causas de morte mais frequentes dentre jovens - de acordo com a OMS - no país.
Dessa forma, é dever do Estado investir e intervir na saúde pública, de modo que induza a formação de profissionais psiquiátricos e suicidólogos a fim de ampliar a possibilidade de procura de auxílio dos jovens; Logo, é responsabilidade da sociedade, criar projetos sociais que perduram o ano inteiro de maneira que a informação se propague, com a intenção de abrir rodas de conversa com profissionais da área e debates. Assim, quebrando os padrões e tabus de uma sociedade antiga e reestruturando uma sociedade mais valorosa.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

A Constituição brasileira de 1988 as[…]

Olá Millyal , irei corrigir sua reda&cce[…]

GlendaMorais , muuuuuuito obrigada mesmo, vou est[…]

De acordo com o artigo da Constituiçã[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM