• Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
#62636
Cebolinha, um personagem do gibi "Turma da Mônica", possui como característica marcante o fato de trocar as letras "r" por "l", e, é diversas vezes ridicularizado por isso. Fora dos quadrinhos essa situação se repete, haja vista o preconceito persistente contra as variações linguísticas dentro do território brasileiro. Sob esse viés, faz-se necessária a análise das raízes históricas e a xenofobia como percursores da problemática em questão.
A priori, a colonização lusitana pode ser considerada o primeiro momento em que a intolerância linguística se manifestou no Brasil. Com a chegada dos portugueses, em 1500, foram impostos diversos comportamentos para os nativos, sendo um deles a língua. Ou seja, os portugueses, por se considerarem superiores, impuseram seu idioma no território brasileiro, desconsiderando aqueles previamente utilizados pelos índios. Nesse contexto, é indubitável que tal fato possui consequências para os dias atuais, tendo em vista que o portugues é a língua oficial do Brasil e, de acordo com a Unesco, mais de 75% dos dialetos Pré-Colombianos foram extintos.
Além disso, a xenofobia, isto é, a aversão às culturas diferentes, engloba, também, tal preconceito. O Brasil, por possuir um território extenso e diverso, possuí muitas culturas e, consequentemente, uma grande variedade linguística. Tal fato, em conjuntura com o etnocentrismo -ato de considerar sua cultura superior a outra- explica, por exemplo, o fato que no Brasil o jeito de falar nordestino seja ridicularizado, caracterizando, assim, um crime de ódio.
Infere-se, portanto, a necessidade de eliminar os fatores que estimulam o preconceito linguístico no Brasil. O Ministério da Educação, em parceria com o Ministério da Cultura, deve promover debates nas escolas coordenados por linguistas, sociólogos e outros profissionais capacitados, explicando a variedade linguística e removendo os preconceitos pré-existentes, explicando a necessidade do respeito. Além disso, esses debates devem contar com a presença de pessoas com diferentes culturas, para que os alunos tenham um aprendizado sobre estas e, consequentemente, aprendam a não considerá-las inferiores. Dessa forma, será possível que em um futuro não muito distante, diferentemente do Cebolinha, as pessoas não sejam mais ridicularizadas pelo seu modo de falar.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra excelente domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro. Desvios gramaticais ou de convenções da escrita, neste nível, são aceitos somente como excepcionalidade e quando não caracterizam reincidência.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 180

Você atingiu aproximadamente 90% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 180

Você atingiu aproximadamente 90% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema proposto, de forma consistente e organizada, configurando autoria, ou seja, os argumentos selecionados estão organizados e relacionados de forma consistente com o ponto de vista defendido e com o tema proposto, configurando-se independência de pensamento e autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante articula bem as ideias, os argumentos, as partes do texto e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos, sem inadequações.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 160

Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante elabora bem proposta de intervenção relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, articulada e abrangente, ainda que sem suficiente detalhamento.

#63323
Tema: O preconceito linguístico no território brasileiro

Legenda:
erro
possível erro
confuso
pode melhorar
desnecessário
(?) faltou algum elemento coesivo
repetição
adequação ao tema
correção
(x) observações
"stonkis"

INTRODUÇÃO:

Cebolinha, um personagem do gibi "Turma da Mônica", possui como característica marcante o fato de trocar as letras a letra "r" por "l", e, é diversas vezes ridicularizado por isso. Fora dos quadrinhos, essa situação se repete, haja vista ? que o preconceito persistente persiste contra as variações linguísticas dentro do território brasileiro. Sob esse viés, faz-se necessária a análise das raízes históricas e a xenofobia como percursores da problemática em questão.

...
:idea: Comentários gerais: Proposta completa! Só estou um pouco confusa em relação à sua tese, mas espero entendê-la no desenvolvimento. :D
#63324
DESENVOLVIMENTO 1:

A priori, a colonização lusitana pode ser considerada o primeiro momento em que a intolerância linguística se manifestou no Brasil. (faltou conectivo) Com a chegada dos portugueses, em 1500, foram impostos diversos comportamentos para os nativos, sendo (evite gerúndio) um deles a língua., Ou seja, os portugueses, por se considerarem superiores, impuseram seu idioma no território brasileiro, desconsiderando aqueles previamente utilizados pelos índios. Nesse contexto, é indubitável que tal fato possui consequências para os dias atuais, tendo em vista que o portugues é a língua oficial do Brasil e, de acordo com a Unesco, mais de 75% dos dialetos Pré-Colombianos foram extintos.

COMENTÁRIO: Incrível a sua argumentação! Faltou apenas o fechamento do parágrafo.
#63325
DESENVOLVIMENTO 2:

Além disso, a xenofobia, isto é, a aversão às culturas diferentes, engloba, também, tal preconceito (pode retomar o tema, esse é o tópico frasal). (faltou conectivo) O Brasil, por possuir ser um território extenso e diverso, possuí muitas culturas e, consequentemente, uma grande variedade linguística. (faltou conectivo) Tal fato, em conjuntura (conjuntura é diferente de juntamente) com o etnocentrismo -ato de considerar sua cultura superior a outra- explica, por exemplo, o fato ? de que no Brasil o jeito de falar nordestino seja ridicularizado, caracterizando, assim, um crime de ódio.

COMENTÁRIO: Esse parágrafo teve uma caída em relação ao anterior. Faltou embasar seu argumento e o fechamento do parágrafo.
#63328
Infere-se, portanto, a necessidade de eliminar os fatores que estimulam o preconceito linguístico no Brasil. O Ministério da Educação, em parceria com o Ministério Secretaria da Cultura (O Ministério da Cultura foi extinto, agora é "Secretaria da Cultura") (agentes) , deve promover debates nas escolas coordenados por linguistas, sociólogos e outros profissionais capacitados, explicando a variedade linguística e removendo os preconceitos pré-existentes, explicando a necessidade do respeito (ação + meio). Além disso, esses debates devem contar com a presença de pessoas com diferentes culturas (detalhamento), para que os alunos tenham um aprendizado sobre estas e, consequentemente, aprendam a não considerá-las inferiores (finalidade). Dessa forma, será possível que em um futuro não muito distante, diferentemente do Cebolinha, as pessoas não sejam mais ridicularizadas pelo seu modo de falar (retomada + detalhamento da finalidade).

COMENTÁRIO: Proposta completa! Porém, o público-alvo seria os alunos, e o restante da população? Por convívio pessoal, não são apenas os estudantes que cometem esse preconceito. Mas a proposta foi boa!

Alguém corrige meu texto?

vc escreve muito bem parabéns!! eu achei d[…]

jherodrigues quando tiver tempo se puder corrigir[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM