• Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
#64220
Considerado um dos thrillers mais populares de 2014, o filme americano Nerve, baseado no livro homônimo de Jeanne Ryan, retrata a história de jovens que tem suas vidas influenciadas por um aplicativo misterioso. Analogamente, é possível observar semelhante situação com a ascensão das celebridades digitais, pessoas que exercem crescente influência na vida de seu público, sobretudo na formação de seus espectadores infanto-juvenis. Contudo, de maneira semelhante aos eventos retratados no filme, essa influência pode muitas vezes se mostrar maléfica a esse público, devido à glamourização do consumismo feita por essas personalidades, incentivando jovens a consumir de maneira irresponsável.

Em primeira análise, é importante entender como essa relação entre alienador e alienado se constrói. A Indústria cultural, conceito de Adorno e Horkheimer – ambos pensadores da Escola de Frankfurt –, objetiva influenciar o consumo através da falsa premissa de que este traz felicidade ao consumidor. O digital influencer, através de suas redes sociais, atua como agente de propagação dessa indústria, potencializando sua eficácia entre o público infanto-juvenil.

De maneira complementar, também se faz necessário entender o porquê desses comportamentos consumistas serem tão apelativos para os jovens. De acordo com Gilles Lipovetsky, filósofo e pensador francês, os jovens, por estarem em fase de incerteza em relação ao mundo, encontram no consumo o lenitivo para suas incertezas. Os influenciadores, então, utilizam dessa necessidade subconsciente para atribuir ao consumo excessivo uma imagem positiva, contribuindo para sua romantização e aceitação entre seus seguidores.

Analisando os fatos propostos, é possível concluir que há urgente necessidade de mitigar os impactos causados pela exposição dos jovens aos influenciadores digitais. Portanto, é necessário que o Ministério da Educação (MEC), em parceria com escolas públicas e privadas, realize a instrução de crianças e adolescentes a respeito dos malefícios causados pela falta de senso crítico no uso das redes sociais. Esta conscientização pode ocorrer através de palestras e debates - ministrados por professores, psicólogos e especialistas na área de publicidade - que darão foco especialmente à reflexão acerca das técnicas de persuasão e marketing dos "digital influencers" atuais, tornando-os mais atentos e menos suscetíveis a essas manobras. Dessa forma, será possível evitar cenários distópicos como aqueles mostrados no filme Nerve.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 184

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra excelente domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro. Desvios gramaticais ou de convenções da escrita, neste nível, são aceitos somente como excepcionalidade e quando não caracterizam reincidência.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 184

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema proposto, de forma consistente e organizada, configurando autoria, ou seja, os argumentos selecionados estão organizados e relacionados de forma consistente com o ponto de vista defendido e com o tema proposto, configurando-se independência de pensamento e autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 180

Você atingiu aproximadamente 90% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante articula bem as ideias, os argumentos, as partes do texto e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos, sem inadequações.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 192

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante elabora excelente proposta de intervenção, detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Trata-se de redação cuja proposta de intervenção seja muito bem elaborada, relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, abrangente e bem detalhada.

#64223
Você abordou super bem a causa, contextualizando-a no primeiro parágrafo e dando a causa no segundo.
Mas geralmente as redações nota mil apresenta duas causas para o problema, onde contextualiza e argumenta cada uma em um só parágrafo. Por isso indico que faça o mesmo caso não tenha certeza de que tal estrutura seja obrigatória. Mesmo assim, eu não vejo que isso atrapalhe nas competências.
Parabéns!!! 👌👏
Pode corrigir a minha também ? ^-^
#64255
Correção de redação - ENEM
@Roxane123 - O IMPACTO DOS INFLUENCIADORES DIGITAIS NA FORMAÇÃO DOS JOVENS

A1, A2 e retomadas (tese)
Elementos temáticos
Ótimo! Muito bem!
Poderia ser melhor
Erro (desvio)
Adicionar
Confuso (não está claro)
Repetição
Desnecessário
Conectivos e operadores argumentativos
Repertório e/ou material sociocultural
Elementos da proposta

Considerado um dos "thrillers" mais populares de 2014, o filme americano Nerve, baseado no livro homônimo de Jeanne Ryan, retrata a história de jovens que temtêm suas vidas influenciadas por um aplicativo misterioso. Analogamente, é possível observar a semelhante situação com a ascensão das celebridades digitais (sinônimo de influenciadores), pessoas que exercem crescente influência na vida de seu público, sobretudo na formação de seus espectadores infanto-juvenis. Contudo, de maneira semelhante aos eventos retratados no filme, essa influência pode muitas vezes se mostrar maléfica a esse público, devido à glamourização do consumismo feita por essas personalidades (A1 antecipado/mascarado - OK), incentivando jovens (A2 antecipado/mascarado - OK) a consumir de maneira irresponsável.
➜ Introdução bacana! A sua tese está clara e o repertório foi bem utilizado. Entretanto, a antecipação dos seus argumentos não está bem trabalhada... por isso, eu deduzi (pelo que entendi) os seus pontos de abordagem - algo que não é obrigação do corretor. Ademais, evite repetir termos desnecessariamente e atente-se à manifestação de todos os elementos temáticos (nesse caso, "impacto" não apareceu). Ok?

[Substitua por "Nesse sentido"; "Nesse viés";...] Em primeira análise (evite usar operadores de prioridade, eles não acrescentam em nada na sua C4), é importante entender como essa relação entre alienador e alienado se constrói (retomada do A2 antecipado). (ausência de conectivo) A Indústria cultural, conceito de Adorno e Horkheimer – ambos pensadores da Escola de Frankfurt –, objetiva influenciar o consumo através da falsa premissa de que este traz felicidade ao consumidor. (ausência de conectivo) O "digital influencer", através de suas redes sociais, atua como agente de propagação dessa indústria, potencializando sua eficácia entre o público infanto-juvenil (Você pontuou o mesmo argumento na introdução. Cadê a defesa da tese? Aqui não há argumento, há uma retomada da tese. Você deveria ter contextualizado ou explicado após isso. Cuidado!). (ausência de finalização articulada)
➜ Desenvolvimento sem argumento. Você trouxe um excelente repertório, porém não produziu em cima dele. Nesse caso, retomou o A1; inseriu o repertório e reafirmou parte da sua tese. Isso não é argumento. Aqui, deve-se explicar e contextualizar a ideia, a afim de defender o que se foi pontuado na introdução, não apenas repetir. Ok?

De maneira complementar, também ("de maneira complementar" já evidencia que é uma adição) se faz necessário entender o porquê desses comportamentos consumistas serem tão apelativos para os jovens (retomada do A2 antecipado). (ausência de conectivo) De acordo com Gilles Lipovetsky, filósofo e pensador francês, os jovens, por estarem em fase de incerteza em relação ao mundo, encontram no consumo o lenitivo para suas incertezas. (ausência de conectivos) Os influenciadores, então, utilizam dessa necessidade subconsciente para atribuir ao consumo excessivo uma imagem positiva, contribuindo para sua romantização e aceitação entre seus seguidores. (ausência de finalização articulada)
➜ Esse desenvolvimento já está melhor do que o outro, mas ainda há o que melhorar. Você trouxe um ótimo repertório e produziu - por mais que pouco - em cima dele. Nesse caso, houve uma abordagem rasa em relação ao trabalho dos influenciadores digitais, porém, não inválida. Eu recomendaria mais um período para, assim, ser ocupado por uma explicação mais detalhada de como (e por meio de quê) esses influenciadores trabalham e atingem os jovens. Nas próximas, atente-se à uma melhor exemplificação e contextualização. Ok?

Analisando os fatos propostos, é possível concluir que há urgente necessidade de mitigar os impactos causados pela exposição dos jovens aos influenciadores digitais. Portanto, é necessário que o Ministério da Educação (MEC) (AGENTE), em parceria com escolas públicas e privadas, realize (AÇÃO) a instrução de crianças e adolescentes a respeito dos malefícios causados pela falta de senso crítico no uso das redes sociais. Esta conscientização pode ocorrer através de palestras e debates (MEIO DA AÇÃO) - ministrados por professores, psicólogos e especialistas na área de publicidade - que darão foco especialmente à reflexão acerca das técnicas de persuasão e marketing dos "digital influencers" atuais (DETALHAMENTO), tornando-os (os influenciadores? Aqui, não há como se referir aos jovens com esse tipo de construção. Eles foram citados em outro período.) mais atentos e menos suscetíveis a essas manobras (FINALIDADE). Dessa forma, será possível evitar cenários distópicos como aquelesaquele mostradosmostrado no filme Nerve.
➜ Boa conclusão e proposta! Entretanto, a sua finalidade não está clara. Eu considerei a construção que, pelo menos, deu a entender como uma finalização, mas, cuidado, nem todos os corretores fazem isso. Recomendo que evidencie, por meio de conectivos como "a fim de..." ou "com o fito de...", o objetivo da sua ação nas próximas. Ok?

Nota :!:
C1 (160) Ps.: a sintática da sua redação está ótima, mas, segundo a cartilha, a partir de dois desvios naturalmente diferentes, deve-se reduzir a C1 ao nível 4.
C2 (200)
C3 (160) Ps.: o desenvolvimento 1 está improdutivo. Dê uma olhada e resolva isso nas próximas! :D
C4 (160) Ps.: cuidado com as repetições desnecessárias e ausência de conectivos intra parágrafo!
C5 (200)
#64256
eurodrigo escreveu:Correção de redação - ENEM
@Roxane123 - O IMPACTO DOS INFLUENCIADORES DIGITAIS NA FORMAÇÃO DOS JOVENS

A1, A2 e retomadas (tese)
Elementos temáticos
Ótimo! Muito bem!
Poderia ser melhor
Erro (desvio)
Adicionar
Confuso (não está claro)
Repetição
Desnecessário
Conectivos e operadores argumentativos
Repertório e/ou material sociocultural
Elementos da proposta

Considerado um dos "thrillers" mais populares de 2014, o filme americano Nerve, baseado no livro homônimo de Jeanne Ryan, retrata a história de jovens que temtêm suas vidas influenciadas por um aplicativo misterioso. Analogamente, é possível observar a semelhante situação com a ascensão das celebridades digitais (sinônimo de influenciadores), pessoas que exercem crescente influência na vida de seu público, sobretudo na formação de seus espectadores infanto-juvenis. Contudo, de maneira semelhante aos eventos retratados no filme, essa influência pode muitas vezes se mostrar maléfica a esse público, devido à glamourização do consumismo feita por essas personalidades (A1 antecipado/mascarado - OK), incentivando jovens (A2 antecipado/mascarado - OK) a consumir de maneira irresponsável.
➜ Introdução bacana! A sua tese está clara e o repertório foi bem utilizado. Entretanto, a antecipação dos seus argumentos não está bem trabalhada... por isso, eu deduzi (pelo que entendi) os seus pontos de abordagem - algo que não é obrigação do corretor. Ademais, evite repetir termos desnecessariamente e atente-se à manifestação de todos os elementos temáticos (nesse caso, "impacto" não apareceu). Ok?

[Substitua por "Nesse sentido"; "Nesse viés";...] Em primeira análise (evite usar operadores de prioridade, eles não acrescentam em nada na sua C4), é importante entender como essa relação entre alienador e alienado se constrói (retomada do A2 antecipado). (ausência de conectivo) A Indústria cultural, conceito de Adorno e Horkheimer – ambos pensadores da Escola de Frankfurt –, objetiva influenciar o consumo através da falsa premissa de que este traz felicidade ao consumidor. (ausência de conectivo) O "digital influencer", através de suas redes sociais, atua como agente de propagação dessa indústria, potencializando sua eficácia entre o público infanto-juvenil (Você pontuou o mesmo argumento na introdução. Cadê a defesa da tese? Aqui não há argumento, há uma retomada da tese. Você deveria ter contextualizado ou explicado após isso. Cuidado!). (ausência de finalização articulada)
➜ Desenvolvimento sem argumento. Você trouxe um excelente repertório, porém não produziu em cima dele. Nesse caso, retomou o A1; inseriu o repertório e reafirmou parte da sua tese. Isso não é argumento. Aqui, deve-se explicar e contextualizar a ideia, a afim de defender o que se foi pontuado na introdução, não apenas repetir. Ok?

De maneira complementar, também ("de maneira complementar" já evidencia que é uma adição) se faz necessário entender o porquê desses comportamentos consumistas serem tão apelativos para os jovens (retomada do A2 antecipado). (ausência de conectivo) De acordo com Gilles Lipovetsky, filósofo e pensador francês, os jovens, por estarem em fase de incerteza em relação ao mundo, encontram no consumo o lenitivo para suas incertezas. (ausência de conectivos) Os influenciadores, então, utilizam dessa necessidade subconsciente para atribuir ao consumo excessivo uma imagem positiva, contribuindo para sua romantização e aceitação entre seus seguidores. (ausência de finalização articulada)
➜ Esse desenvolvimento já está melhor do que o outro, mas ainda há o que melhorar. Você trouxe um ótimo repertório e produziu - por mais que pouco - em cima dele. Nesse caso, houve uma abordagem rasa em relação ao trabalho dos influenciadores digitais, porém, não inválida. Eu recomendaria mais um período para, assim, ser ocupado por uma explicação mais detalhada de como (e por meio de quê) esses influenciadores trabalham e atingem os jovens. Nas próximas, atente-se à uma melhor exemplificação e contextualização. Ok?

Analisando os fatos propostos, é possível concluir que há urgente necessidade de mitigar os impactos causados pela exposição dos jovens aos influenciadores digitais. Portanto, é necessário que o Ministério da Educação (MEC) (AGENTE), em parceria com escolas públicas e privadas, realize (AÇÃO) a instrução de crianças e adolescentes a respeito dos malefícios causados pela falta de senso crítico no uso das redes sociais. Esta conscientização pode ocorrer através de palestras e debates (MEIO DA AÇÃO) - ministrados por professores, psicólogos e especialistas na área de publicidade - que darão foco especialmente à reflexão acerca das técnicas de persuasão e marketing dos "digital influencers" atuais (DETALHAMENTO), tornando-os (os influenciadores? Aqui, não há como se referir aos jovens com esse tipo de construção. Eles foram citados em outro período.) mais atentos e menos suscetíveis a essas manobras (FINALIDADE). Dessa forma, será possível evitar cenários distópicos como aquelesaquele mostradosmostrado no filme Nerve.
➜ Boa conclusão e proposta! Entretanto, a sua finalidade não está clara. Eu considerei a construção que, pelo menos, deu a entender como uma finalização, mas, cuidado, nem todos os corretores fazem isso. Recomendo que evidencie, por meio de conectivos como "a fim de..." ou "com o fito de...", o objetivo da sua ação nas próximas. Ok?

Nota :!:
C1 (160) Ps.: a sintática da sua redação está ótima, mas, segundo a cartilha, a partir de dois desvios naturalmente diferentes, deve-se reduzir a C1 ao nível 4.
C2 (200)
C3 (160) Ps.: o desenvolvimento 1 está improdutivo. Dê uma olhada e resolva isso nas próximas! :D
C4 (160) Ps.: cuidado com as repetições desnecessárias e ausência de conectivos intra parágrafo!
C5 (200)

Opa, perdão pela marcação incorreta, Roxane. :?

Esqueci de trocar o @ da Roxane (a última redação que corrigi) pelo seu @lianar. Porém, a correção está direcionada ao seu texto. Ok?

Um abraço! ;)
#64258
Tema: Simplificação de livros clássicos: democratização da leitura ou desrespeito ao texto original?

Desde o início da literatura brasileira, no século XVI, podemos notar que ela estava presente apenas
para uma minoria privilegiada da sociedade. Nesse cenário, a maioria da população que era, na época, analfabeta, foi excluída do acesso à leitura. Não obstante, a linguagem usada nos primeiros clássicos da literatura era muito formal e com o passar do tempo, ela se tornou ultrapassada e de difícil compreensão. Dessa forma, a simplificação de livros clássicos é uma questão a ser analisada, visto que, ela contribui para a democratização da leitura.
Em primeiro lugar, podemos perceber que grande parte da sociedade atual brasileira não teve um ensino de qualidade e tampouco possui o hábito de ler livros. Nesse sentido, muitos dos brasileiros não se interessam em adquirir os clássicos da literatura, visto que, a linguagem é completamente diferenciada à que estão habituados. Além disso, para que a leitura fosse possível seria necessário o uso de um dicionário e isso ocuparia muito tempo na rotina agitada das pessoas.
Ademais, devemos reconhecer que a língua portuguesa sofreu inúmeras alterações ao longo dos séculos e isso fez com que muitas palavras e expressões da época fossem esquecidas no dicionário. Nesse viés, ao adaptar um livro, o autor não busca mudar o seu sentido original, mas sim atualizar a obra literária. Dessa maneira, qualquer leitor vai conseguir entender o que está lendo e não vai se sentir excluído da literatura, pois a linguagem estará compatível com a sua realidade.
Portanto, é essencial a implantação de medidas para a simplificação de livros clássicos. Desse modo, o MEC, com o apoio das escolas públicas, deve desenvolver projetos de incentivo à leitura de livros clássicos, por meio da distribuição gratuita de livros adaptados, visando que a leitura dessas obras se tornem mais presentes na atual sociedade brasileira. Dessa forma, a democratização da leitura será estabelecida igualmente aos brasileiros.
Reflexos da tela preta

jherodrigues , simplesmente adorei sua corre&cced[…]

Sabe-se que, a inclusão é um tema re[…]

O racismo no Brasil, é um empecilho desde o[…]

22

d3d

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM