Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos como "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
  • Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
#55447
O processo da Globalização foi marcado por permitir o “rompimento” das barreiras da informação, isto é, garantiu que o conhecimento advindo de outras nacionalidades percorressem por todo Brasil. Outrossim, deve-se argumentar que as mídias sociais foram importantes coadjuvantes para esse processo. Contudo, tal prerrogativa trouxe, também, o retrocesso informacional, principalmente quando se observa o grande estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira. Isso se deve, sobretudo, à inércia governamental e à banalização dos problemas mentais.

Nessa perspectiva, relacionando ao parágrafo anterior, é necessário ressaltar como a inércia do Governo Federal aumenta o estigma relacionado às doenças mentais no Brasil. À vista disso, segundo filósofo contratualista John Locke, o Estado lesiona o “Contrato Social”, pois essa autoridade não garante o aprendizado adequado aos brasileiros, sobre a seriedade dos transtornos mentais. Dessarte, com a precariedade medidas informacionais, o corpo social depende da própria comunidade para adquirir conhecimentos sobre tal problema. Conquanto, essa busca por informações é distorcida progressivamente, visto que a minoria da população sabe a realidade das doenças mentais, emergindo, ainda mais, o estigma sobre elas no País.

Ademais, é válido salientar a banalização dos problemas mentais como impulsionador desses estigmas no Brasil. Assim sendo, de acordo com a pensadora Hannah Arendt, com base em sua teoria “Banalização do Mal”, a sociedade banaliza assuntos necessário para um desenvolvimento harmônico da Nação. Dessa forma, é comum observar no dialeto popular, a afirmação que transtornos mentais são “besteira”, inferiorizando o público que passa por esses obstáculos. Logo, a banalização pela falta de informação atinge grande parte do País, e influencia, diretamente, os estigmas dos problemas mentais.

Depreende-se, portanto, medidas para combater esses estigmas, desse modo, cabe ao Ministério da Saúde, agente responsável pela saúde pública do Brasil, com apoio de cidadãos que já passaram por transtornos mentais, promover, por meio da internet e mídias televisivas, propagandas informacionais sobre, a realidade dos problemas mentais. Assim, essa ação tem como objetivo abranger toda a população, para que os brasileiros, de todas as idades, compreendam que é imprescindível a valorização da importância dos transtornos e problemas mentais.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: 170

Você atingiu aproximadamente 90% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra excelente domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro. Desvios gramaticais ou de convenções da escrita, neste nível, são aceitos somente como excepcionalidade e quando não caracterizam reincidência.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: 193

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: 200

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema proposto, de forma consistente e organizada, configurando autoria, ou seja, os argumentos selecionados estão organizados e relacionados de forma consistente com o ponto de vista defendido e com o tema proposto, configurando-se independência de pensamento e autoria.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: 183

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante articula bem as ideias, os argumentos, as partes do texto e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos, sem inadequações.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: 193

Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante elabora excelente proposta de intervenção, detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Trata-se de redação cuja proposta de intervenção seja muito bem elaborada, relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, abrangente e bem detalhada.

#55449
O processo da globalização foi marcado por permitir o “rompimento” das barreiras da informação, isto é, garantiu que o conhecimento advindo de outras nacionalidades percorressem por todo Brasil. Outrossim, deve-se argumentar que as mídias sociais foram importantes coadjuvantes para esse processo. Contudo, tal prerrogativa trouxe, também, o retrocesso informacional, principalmente quando se observa o grande estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira. Isso se deve, sobretudo, à inércia governamental e à banalização dos problemas mentais.

Nessa perspectiva, relacionando ao parágrafo anterior, é necessário ressaltar como a inércia do Governo Federal aumenta o estigma relacionado às doenças mentais no Brasil. À vista disso, segundo filósofo contratualista John Locke, o Estado lesiona o “Contrato Social”, pois essa autoridade não garante o aprendizado adequado aos brasileiros, sobre a seriedade dos transtornos mentais. Dessarte, com a precariedade [creio que faltou uma preposição aqui] medidas informacionais, o corpo social depende da própria comunidade para adquirir conhecimentos sobre tal problema. Conquanto, essa busca por informações é distorcida progressivamente, visto que a minoria da população sabe a realidade das doenças mentais, emergindo, ainda mais, o estigma sobre elas no país.

Ademais, é válido salientar a banalização dos problemas mentais como impulsionador desses estigmas no Brasil [poderia investir mais em sinônimos para não repetir termos]. [poderia escolher um dos conectivos > Assim sendo, de acordo com a pensadora Hannah Arendt, com base em sua teoria “Banalização do Mal”, a sociedade banaliza assuntos necessário para um desenvolvimento harmônico da nação. Dessa forma, é comum observar no dialeto popular, a afirmação que transtornos mentais são “besteira”, inferiorizando o público que passa por esses obstáculos. Logo, a banalização pela falta de informação atinge grande parte do país, e influencia, diretamente, os estigmas dos problemas mentais.

Depreende-se, portanto, medidas para combater esses estigmas, desse modo, cabe ao Ministério da Saúde, agente responsável pela saúde pública do Brasil, com apoio de cidadãos que já passaram por transtornos mentais, promover, por meio da internet e mídias televisivas, propagandas informacionais sobre, a realidade dos problemas mentais. Assim, essa ação tem como objetivo abranger toda a população, para que os brasileiros, de todas as idades, compreendam que é imprescindível a valorização da importância dos transtornos e problemas mentais.
* Atenção ao excesso de conectivo e vírgula
* Focou em conscientização é considerada uma solução ineficaz


Espero ter ajudado! :D
#55451
@jherodrigues, e o que você achou dos meus contextos históricos? a globalização, hannah e John, acha que teve relação com o tema? pq quando eu falei sobre a globalização, mesmo parecendo estranho, quis referenciar ao início de, além da propagação do conhecimento, um retrocesso informacional, dessa forma, levando a formação de estigmas. Acha que o corretor perceberia essa minha relação, no primeiro parágrafo, ou ele poderia estranhar?
#55454
@GuiGts11, a estrutura da redação está correta e a intervenção completa, dei nota em cima disso.

Bom, a globalização combinou com a sua linha de raciocínio, você focou na conscientização desde o início. Não acho que estaria errado, mas poderia trazer outra contextualização no lugar, algo mais relacionado com doença mental - alguma série, filme. Já os repertórios, o contrato social é certeiro para criticar o Estado e o da banalização também caiu bem.

É isso, não tenho muito o que falar.
#55455
@jherodrigues, obrigado pelo seu tempo <3, sabe, é tanta redação que a gente faz que eu as vezes enlouqueço por resultado, concordo com sua posição, mudaria muita coisa lendo ela agr. Fiquei um pouco inseguro pois, quando mostrei para um monitor ele disse que eu não tirava nem mais de 700, ai tinha ficado bem triste kkk

NathaliaLima , olá, boa-noite! irei corrig[…]

Anninha , olá, boa-noite! irei corrigir su[…]

A vocação para o mercado de trabalho[…]

MoniqTorres , olá, boa-noite! posso corrig[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM