Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos como "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
  • Avatar do usuário
#53550
Em sua obra "O Cidadão de Papel", o escritor brasileiro Gilberto Dimenstein disserta que, embora o país tenha um consistente conjunto de leis, elas se atém, de forma geral, ao plano teórico. Diante disso, a conjuntura dessa análise configura-se no Brasil atual, haja vista que, apesar de ser um direito constitucionalmente garantido, pessoas ainda sofrem preconceito, ao serem estigmatizadas, em razão de sua saúde mental. Nesse contexto, não há dúvidas de que a inoperância estatal e a falta de educação familiar são as raízes desse problema.

Mormente, deve-se ressaltar que o Estado Brasileiro, ao negligenciar o apoio a quem sofre preconceitos, impulsiona a problemática. De acordo com o filósofo contratualista Thomas Hobbes - em seu livro "O Leviatã" - o governo é responsável pelo bem estar social. Dessa maneira, nota-se que o poder público brasileiro deveria garantir que todos tenham seus direitos resguardados. No entanto, isso não ocorre, pois indivíduos que sofrem de problemas mentais, como depressão, não são amparados socialmente, o que impede-os de viver dignamente. Logo, o governo é um dos causadores desse cenário nefasto ao permitir que os cidadãos sejam pré-julgados unicamente por sua saúde mental.

Outrossim, é imperativo salientar que a família é onde os indivíduos recebem sua educação. Segundo o filósofo empirista John Locke, o homem nasce como uma tabula rasa, ou seja, livre de qualquer valor moral pré-determinado. Sob esse viés entende-se que cabe aos pais ou responsáveis educar de maneira correta seus filhos. Todavia, percebe-se que isso não vem acontecendo, já que é comum indivíduos discriminarem outros, especialmente quem lida diariamente com problemas de sua saúde mental, julgando-os como seres inferiores, Portanto, a família não está exercendo seu dever.

Em suma, a saúde mental ainda é estigmatizada no Brasil. Dessa forma, urge que o Poder Executivo, através do Ministério da Saúde, deve criar programas sociais que apoiem indivíduos que sofrem problemas psicológicos e estimule a sociedade a entender mais sobre tais doenças, a fim de garantir os direitos constitucionais de todos os cidadãos, Além disso, cabe à família ensinar as crianças a respeitarem qualquer indivíduo, independente se estes são acometidos de distúrbios mentais, com o intuito de erradicar a estigmatização social, Feito isso, a análise feita por Dimenstein deixará de refletir a sociedade brasileira.


Esse foi o rascunho que eu havia feito, fiz diversas alterações na versão final, espero que para melhor, mas o esqueleto da redação é basicamente o mesmo.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Valorização do idoso

De acordo com o sociólogo Émile Durk[…]

Bom dia, seu texto está muito bem desenvolv[…]

Bom dia, vou colocar aqui os pontos q vc pode melh[…]

"O cidadão invisivel" trata da de[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM