Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos como "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
  • Avatar do usuário
#57531
A constituição federal de 1988, o documento mais importante do país, prevê em seu artigo 6; o direito a saúde, como inerente a todo cidadão brasileiro. Conquanto, tal prerrogativa não tem se reverberado com ênfase na prática, quando a se observa o estigma associado ás doenças mentais na sociedade brasileira, dificultando deste modo, a universalização desse direto social. Diante dessa perspectiva, analisaremos os fatores que favorecem esse quadro.
Em uma primeira análise, deve-se ressaltar a ausência de medida governamental para combater o estigma. Nesse sentindo, podemos acrescentar os seguintes fatores; preconceito, vergonha em procurar ajuda, insegurança, e a pressão constante que todos estão aptos a sofrer no seu cotidiano. Infelizmente, esses fatores influenciam, e desenvolvem possíveis complicações futuras, agravadas pelos aspectos apresentados, expondo o indivíduo a se restringir de buscar ajuda profissional.
Ademais, é fundamental aprontar a pisicofobia como impulsionadora do estigma associado ás doenças mentais no Brasil. Por causa do preconceito, pessoas são rotuladas, e tratadas como loucas, por apresentar doenças mentais. Ocorrem essas ações, pro falta de debate, e informações sobre os transtornos mentais. Evidenciando o supracitado, existe uma frase do filósofo Jean-Jacques Rousseau, que se encaixa com esse pensamento, ela diz; " Geralmente aqueles que sabem pouco falam muito e aqueles que sabem muito falam pouco. " Com a falta de informação, as pessoas são levadas a ignorância, e executam ações incoerentes com pessoas que apresentam doenças mentais, por acharem que sabem tudo.
Depreende-se portanto, a necessidade de se combater esses obstáculos da sociedade brasileira. É imprescindível que o governo, pro intermédio de campanhas, e propostas para conscientizar, e falar a importância do tratamento para as doenças mentais, sem citar a importância de mostrar que não é drama, e afeta muitas pessoas. Sendo assim, a campanha precisa trazer a conscientização, e ajudar a combater a pisicofobia, e desinformação na comunidade brasileira. Seria de grande utilidade, investir em palestras educacionais sobre saúde mental, principalmente nas escolas, onde os indivíduos são mais afetados. Se concorresse um grande investimento em tratamentos de forma gratuita para a população, também seria de grande ajuda para algumas pessoas conseguirem enfrentar os transtornos psicológicos. Só vamos combater o estigma, se a sociedade obter contato com as informações corretas, e perceberem a importância de falar sobre saúde mental, para que todos tenham conhecimento, e se sintam bem para procurar ajuda se preciso.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

#57533
O Brasil carrega em sua história marcas do tratamento a doenças mentais, Barbacena Minas Gerais, encontta-se o "museu da loucura", antiga Hospital Colônia, palco do Holocausto Brasileiro. A massificação das redes sociais contribuem para aparecimento de transtornos psicológicos.

O livro "Holocausto Brasileiro", retrata a relação da sociedade com um passado recente na história do Brasil, onde pessoas eram sujeitadas a condições e tratamentos desumanos, tratamentocom eletrochoque fazia-se presente naquele ambiente. Estima-se que o hospital psiquiátrico fez aproximadamente 60 mil vítimas, a contribuição social para esse fato foi o encaminhamento por meio de familiares, pra questões de deficiência dos pacientes seja elas físicas ou mentais.

Na atualidade, temas relacionados a saúde mental estão sendo mais discutidos por meio das mídias sociais. Apesar de contribuir para a discussão do tema, também atua como colaboradora desse adoecimento. Casos de distorções de imagem, como no início instagram, onde se popularizaram as "permutas" de lipo, chegando a um público que sua maioria não tem acesso ou condições de realizar, causando danos a muitos usuários desta rede.

Portanto, o tabu ao falar de doenças mentais deve ser rompido, a mídia com seu papel de informar deve falar desse assunto não só no "setembro amarelo", normalizar as discussões acerca do tema. Promover acessibilidade da massa a profissionais da área, as universidades adotar projetos para contemplar a população carente que sofre.

Promugada pela ONU em 1948, a declaraç&atil[…]

Sua redação não encaixa corre[…]

O filósofo francês Sartre defende que[…]

"Só pro meu prazer..."

Obrigada Ashiley , ficarei mais atenta quanto as […]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM