Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação mais de uma vez = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos de "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
#52993
A Constituição Federal de 1988 prevê a universalização do acesso à saúde. Entretanto, esse
preceito encontra entraves no valor pejorativo dado à questão mental. Assim sentimentos
inerentes ao ser humano são associados a insanidade e prejudicam a busca da população por
autoconhecimento ou atendimento necessário. Tal entendimento é, portanto, amparado no
preconceito tido para com as doenças mentais, e no atendimento precário ofertado à
sociedade.
Diante desse contexto, cabe analisar a discriminação que envolve a saúde mental brasileira
sendo percebida, inclusive, no campo da Medicina. Exemplo disso, são as técnicas de
lobotomia e eletrochoque comuns em hospitais psiquiátricos do século XX no tratamento de
pacientes esquizofrênicos, autistas e depressivos. Tais práticas foram criticadas por Nise da
Silveira, sendo taxadas de cruéis e desumanas pela primeira psiquiatra brasileira. Porém, a
estigmatização das doenças mentais continuou presente no país sendo associadas aos eventos
ocorridos com esses pacientes.
Ainda, percebe-se o atendimento precariezado oferecido aos cidadãos como facilitador do
problema. Isso ocorre porque o sistema de saúde não trabalha plenamente com a prevenção
das doenças. Assim, segundo o médico Drauzio Varella, em seu canal no Youtube, os
investimentos do governo deveriam centrar-se na formação dos cidadãos como prática
preventiva e auxiliar ao tratamento feito pelos profissionais.
Sendo assim, haja vista a proporção da estigma dada a mentalidade humana, faz-se
necessário que o Ministério da Saúde amplie o campo de atuação do Centro de Valorização da
Vida - canal de atendimento sobre a saúde mental. Tal medida deverá ser feita através da
contratação de psicólogos para atuarem nas escolas, para fornecer informações e promover o
autoconhecimento dos alunos. Além disso, campanhas midiáticas educacionais devem ser
veiculadas, a fim de assegurar os direitos previstos pela Constituição Federal.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Felipe082 , Nossa, muiiiiito obrigado, juro vc &[…]

  A leitura no Brasil infelizmente não[…]

A realidade de muitos jovens brasileiros nos dias […]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM