• Avatar do usuário
#79045
A escassez de informação e uma sociedade antipática.
Muito se tem discutido sobre o vasto aumento do número de pessoas com transtornos mentais nos últimos anos. Entretanto, poucas são as medidas tomadas para evitar tal situação. Segundo a Constituição Brasileira de 1988, todo cidadão tem o direito a uma vida livre de discriminação. Todavia, na prática, vemos que não ocorre como deveria. A falta de políticas públicas aliada com a escassez de informação e a Internet, fazem com que o estigma associado às doenças mentais esteja cada vez mais presente na sociedade brasileira.
É de suma relevância citar o pensamento do filósofo Jean-Jacques Rousseau, onde ele afirma que o Estado se responsabiliza pelo estabelecimento de condições básicas ao promover o bem-estar do âmbito populacional. Porém, tal responsabilidade não é de fato cumprida. A falta do apoio público faz com que fique ainda mais difícil reconhecer a importância e a gravidade da situação em que a maior parte da sociedade se encontra, fazendo com que se isolam ainda mais.
Além da falta de iniciativa do Governo, temos também a Internet adjunta da falta de informação trazendo consigo diversos gatilhos para os doentes. As redes sociais, em especial o Instagram, nos mostram vidas irreais, fotos cheias de photoshop, entre outros casos. São nessas situações onde as pessoas começam a se comparar, a se questionar com relação a esses "post", iniciando, em muitas das vezes, casos de depressão, ansiedade, transtornos alimentares (TA), que, quando expostos, geram enorme preconceito e exclusão social.
Com base nisso, é de extrema responsabilidade do Ministério da Saúde com o apoio do Governo Federal, a realização de medidas para que o acesso ao tratamento psicológico, acompanhado por profissionais, seja acessível à toda população. Além disso, o Ministério da Educação com a adição de aulas e palestras, com o objetivo de informar e apoiar os alunos, desde novos, sobre a existência e a gravidade das doenças mentais. Logo, com grande parte da população corretamente informada, será cada vez mais possível viver em uma sociedade livre de discriminação.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Geralmente, quando se comete um crime considerado […]

No Brasil, os desafios para a atenuaç&atild[…]

Trabalho infantil no Brasil

Não é recente o trabalho infantil no[…]

A violência doméstica

No documentário "Cenas de um homic&iac[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM