Avatar do usuário
Por Nicky7
Quantidade de postagens
#131185
Segundo a Declaração Universal dos Direitos Humanos, os indivíduos são iguais dignidade e direitos. Entretanto, tal premissa não e verificada na realidade brasileira, posto que uma parte expressiva das pessoas sofrem com o preconceito devido seu sotaque. Nesse contexto, emerge a configuração de um delicado problema, em virtude da inércia governamental e do silenciamento.

Sob esse viés, pode-se apontar como um agente intensificador o descaso governamental. Conforme o filósofo Thomas Hobbes, o Estado é responsável por garantir o bem-estar da população. No entanto, a realidade atual diverge com o que defende o filósofo, pois a escassez de políticas públicas efetivas que promova a proteção das vítimas, corrobora para a permanência da problemática, além de contribuir para o avanço dela. Com efeito, sem medidas que atenuem esse cenário, as pessoas sentem-se livres para praticar essa infame prática, por conseguinte, causando mazelas aos sujeitos, tais como o prejuízo à autoestima ou a dificuldade de conseguir emprego.

Outrossim, outro fator influenciador é o silenciamento. Para Djamilla Ribeiro, é preciso tirar uma situação da invisibilidade para que soluções sejam promovidas. Todavia, enquanto não houver debates acerca das cicatrizes fomentadas pelo preconceito linguístico, essa questão continuará assolando boa parte da população, a exemplo a dificuldade de encontrar emprego, principalmente se eles requererem a linguagem formal. Assim, urge tirar essa situação da invisibilidade para que forças atue sobre ela, como defende a pensadora.

Portanto, é necessário intervir sobre o problema. Para isso, o Governo Federal deve propiciar a proteção dessas vítimas - principalmente os nordestinos e nortinos -, por meio da criação de leis que punam severamente os preconceituosos, afim de reverter a inércia estatal presente. Tal ação pode, ainda, conter com palestras sobre os males causados por essa triste prática, agindo sobre o silenciamento que impera. Dessa maneira, os preceitos da Declaração Universal poderão se tornar uma realidade mais próxima.
NOTA GERAL (USUÁRIOS)
960
pontos
Pontuar redação
NOTA AUTOMÁTICA (IA)
960
pontos
Passe ilimitado
Comentários
Comentário: O autor do texto demonstra um bom domínio da norma-padrão da língua escrita, apesar de alguns pequenos deslizes, como a falta de acentuação em "não e verificada" e a preposição "devido seu sotaque", que deveria ser "devido a seu sotaque". O tema é bem compreendido e desenvolvido ao longo do texto, com argumentos consistentes e bem fundamentados. A seleção, relação e organização das informações são coerentes e relevantes para a defesa do ponto de vista. O autor demonstra um excelente domínio dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação, com o uso de conectivos adequados e uma boa variedade de vocabulário. A proposta de intervenção é bem elaborada e respeita os direitos humanos, apresentando soluções concretas para o problema abordado.
COMPETÊNCIA 1: Demonstrar domínio da norma da língua escrita.
Você atingiu aproximadamente 80% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante demonstra bom domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro, com poucos desvios gramaticais e de convenções da escrita, ou seja, apresenta um texto com boa estrutura sintática, com poucos desvios de pontuação, de grafia e de emprego do registro exigido.
160
COMPETÊNCIA 2: Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.
Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.
200
COMPETÊNCIA 3: Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.
Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo aos critérios definidos a seguir. Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema proposto, de forma consistente e organizada, configurando autoria, ou seja, os argumentos selecionados estão organizados e relacionados de forma consistente com o ponto de vista defendido e com o tema proposto, configurando-se independência de pensamento e autoria.
200
COMPETÊNCIA 4: Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.
Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante articula bem as ideias, os argumentos, as partes do texto e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos, sem inadequações.
200
COMPETÊNCIA 5: Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.
Você atingiu aproximadamente 100% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo aos critérios definidos a seguir. O participante elabora excelente proposta de intervenção, detalhada, relacionada ao tema e articulada à discussão desenvolvida no texto. Trata-se de redação cuja proposta de intervenção seja muito bem elaborada, relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, abrangente e bem detalhada.
200
Avatar do usuário
Por Caiunao
Tempo de Registro Quantidade de postagens
#0
Nicky7 escreveu:
Caiunao escreveu:
Nicky7 escreveu:Segundo a Declaração Universal dos Direitos Humanos, os indivíduos são iguais dignidade e direitos. Entretanto, tal premissa não e verificada na realidade brasileira, posto que uma parte expressiva das pessoas sofrem com o preconceito devido seu sotaque. Nesse contexto, emerge a configuração de um delicado problema, em virtude da inércia governamental e do silenciamento.

Sob esse viés, pode-se apontar como um agente intensificador o descaso governamental. Conforme o filósofo Thomas Hobbes, o Estado é responsável por garantir o bem-estar da população. No entanto, a realidade atual diverge com o que defende o filósofo, pois a escassez de políticas públicas efetivas que promova a proteção das vítimas, corrobora para a permanência da problemática, além de contribuir para o avanço dela. Com efeito, sem medidas que atenuem esse cenário, as pessoas sentem-se livres para praticar essa infame prática, por conseguinte, causando mazelas aos sujeitos, tais como o prejuízo à autoestima ou a dificuldade de conseguir emprego.

Outrossim, outro fator influenciador é o silenciamento. Para Djamilla Ribeiro, é preciso tirar uma situação da invisibilidade para que soluções sejam promovidas. Todavia, enquanto não houver debates acerca das cicatrizes fomentadas pelo preconceito linguístico, essa questão continuará assolando boa parte da população, a exemplo a dificuldade de encontrar emprego, principalmente se eles requererem a linguagem formal. Assim, urge tirar essa situação da invisibilidade para que forças atue sobre ela, como defende a pensadora.

Portanto, é necessário intervir sobre o problema. Para isso, o Governo Federal deve propiciar a proteção dessas vítimas - principalmente os nordestinos e nortinos -, por meio da criação de leis que punam severamente os preconceituosos, afim de reverter a inércia estatal presente. Tal ação pode, ainda, conter com palestras sobre os males causados por essa triste prática, agindo sobre o silenciamento que impera. Dessa maneira, os preceitos da Declaração Universal poderão se tornar uma realidade mais próxima.
E aí, Nicky? Tô curioso pra saber minha nota em comparação à da IA, vou ser bem imparcial e crítico, pra manter a essência das minhas pontuações kkkkkkk. Vou corrigir ainda hoje assim que tiver um tempinho!!

MT OBRIGADO!!! ESTOU ESPERANDO.
Coincidência, terminei agorinha a correção. Segue aí:
Opaaa! Primeiramente, parabéns demais pela redação, que está realmente muito boa! Sei o quanto é importante absorvermos aprendizados valiosos e nos prepararmos ainda mais para o dia da prova, então tentei ser bem criterioso em comparação com a banca do ENEM em si, que, sabemos, pode ser menos criteriosa devido ao tempo limitado dos corretores para cada candidato.

Competência 1: A redação foi penalizada principalmente pelos desvios gramaticais, que ultrapassaram o limite recomendado. Além disso, senti falta de alguns termos que foram destacados no material de apoio (falha sintática).

Competência 2: Está boa e completa, mas é crucial tomar muito cuidado para não se limitar ao uso de repertórios "coringas" na redação. É importante incluir conteúdos relacionados ao tema em si. O destaque vai para o desenvolvimento, pois achei a introdução um pouco desconectada e superficial.

Competência 3: Tirei pontos apenas pela falta de clareza causada pela ausência de alguns termos específicos. A argumentação foi bem estruturada e desenvolvida, o que é uma das características mais difíceis de atingir a pontuação máxima.

Competência 4: Sem problemas impactantes.

Competência 5: Também sem problemas.

Lembrando que não sou qualquer profissional qualificado prs correções e estou aqui apontando com meus conhecimentos de aluno, que podem ser mais limitados que o normal. Se tiver dúvidas ou quiser discutir mais sobre os pontos levantados, tentarei ajudar. Parabéns novamente pelo esforço e pela dedicação, chegará longe demais com isso e te desejo sucesso! Deus te abençoe! Espero realmente ter te ajudado e por favor não deixe de me dar um feedback da correção! Tmjjjj
0
Avatar do usuário
Por Caiunao
Tempo de Registro Quantidade de postagens
#131206
Nicky7 escreveu:Segundo a Declaração Universal dos Direitos Humanos, os indivíduos são iguais dignidade e direitos. Entretanto, tal premissa não e verificada na realidade brasileira, posto que uma parte expressiva das pessoas sofrem com o preconceito devido seu sotaque. Nesse contexto, emerge a configuração de um delicado problema, em virtude da inércia governamental e do silenciamento.

Sob esse viés, pode-se apontar como um agente intensificador o descaso governamental. Conforme o filósofo Thomas Hobbes, o Estado é responsável por garantir o bem-estar da população. No entanto, a realidade atual diverge com o que defende o filósofo, pois a escassez de políticas públicas efetivas que promova a proteção das vítimas, corrobora para a permanência da problemática, além de contribuir para o avanço dela. Com efeito, sem medidas que atenuem esse cenário, as pessoas sentem-se livres para praticar essa infame prática, por conseguinte, causando mazelas aos sujeitos, tais como o prejuízo à autoestima ou a dificuldade de conseguir emprego.

Outrossim, outro fator influenciador é o silenciamento. Para Djamilla Ribeiro, é preciso tirar uma situação da invisibilidade para que soluções sejam promovidas. Todavia, enquanto não houver debates acerca das cicatrizes fomentadas pelo preconceito linguístico, essa questão continuará assolando boa parte da população, a exemplo a dificuldade de encontrar emprego, principalmente se eles requererem a linguagem formal. Assim, urge tirar essa situação da invisibilidade para que forças atue sobre ela, como defende a pensadora.

Portanto, é necessário intervir sobre o problema. Para isso, o Governo Federal deve propiciar a proteção dessas vítimas - principalmente os nordestinos e nortinos -, por meio da criação de leis que punam severamente os preconceituosos, afim de reverter a inércia estatal presente. Tal ação pode, ainda, conter com palestras sobre os males causados por essa triste prática, agindo sobre o silenciamento que impera. Dessa maneira, os preceitos da Declaração Universal poderão se tornar uma realidade mais próxima.
E aí, Nicky? Tô curioso pra saber minha nota em comparação à da IA, vou ser bem imparcial e crítico, pra manter a essência das minhas pontuações kkkkkkk. Vou corrigir ainda hoje assim que tiver um tempinho!!
0
Avatar do usuário
Por Nicky7
Quantidade de postagens
#131220
Caiunao escreveu:
Nicky7 escreveu:Segundo a Declaração Universal dos Direitos Humanos, os indivíduos são iguais dignidade e direitos. Entretanto, tal premissa não e verificada na realidade brasileira, posto que uma parte expressiva das pessoas sofrem com o preconceito devido seu sotaque. Nesse contexto, emerge a configuração de um delicado problema, em virtude da inércia governamental e do silenciamento.

Sob esse viés, pode-se apontar como um agente intensificador o descaso governamental. Conforme o filósofo Thomas Hobbes, o Estado é responsável por garantir o bem-estar da população. No entanto, a realidade atual diverge com o que defende o filósofo, pois a escassez de políticas públicas efetivas que promova a proteção das vítimas, corrobora para a permanência da problemática, além de contribuir para o avanço dela. Com efeito, sem medidas que atenuem esse cenário, as pessoas sentem-se livres para praticar essa infame prática, por conseguinte, causando mazelas aos sujeitos, tais como o prejuízo à autoestima ou a dificuldade de conseguir emprego.

Outrossim, outro fator influenciador é o silenciamento. Para Djamilla Ribeiro, é preciso tirar uma situação da invisibilidade para que soluções sejam promovidas. Todavia, enquanto não houver debates acerca das cicatrizes fomentadas pelo preconceito linguístico, essa questão continuará assolando boa parte da população, a exemplo a dificuldade de encontrar emprego, principalmente se eles requererem a linguagem formal. Assim, urge tirar essa situação da invisibilidade para que forças atue sobre ela, como defende a pensadora.

Portanto, é necessário intervir sobre o problema. Para isso, o Governo Federal deve propiciar a proteção dessas vítimas - principalmente os nordestinos e nortinos -, por meio da criação de leis que punam severamente os preconceituosos, afim de reverter a inércia estatal presente. Tal ação pode, ainda, conter com palestras sobre os males causados por essa triste prática, agindo sobre o silenciamento que impera. Dessa maneira, os preceitos da Declaração Universal poderão se tornar uma realidade mais próxima.
E aí, Nicky? Tô curioso pra saber minha nota em comparação à da IA, vou ser bem imparcial e crítico, pra manter a essência das minhas pontuações kkkkkkk. Vou corrigir ainda hoje assim que tiver um tempinho!!

MT OBRIGADO!!! ESTOU ESPERANDO.
1
Avatar do usuário
Por Caiunao
Tempo de Registro Quantidade de postagens
#131221
Nicky7 escreveu:
Caiunao escreveu:
Nicky7 escreveu:Segundo a Declaração Universal dos Direitos Humanos, os indivíduos são iguais dignidade e direitos. Entretanto, tal premissa não e verificada na realidade brasileira, posto que uma parte expressiva das pessoas sofrem com o preconceito devido seu sotaque. Nesse contexto, emerge a configuração de um delicado problema, em virtude da inércia governamental e do silenciamento.

Sob esse viés, pode-se apontar como um agente intensificador o descaso governamental. Conforme o filósofo Thomas Hobbes, o Estado é responsável por garantir o bem-estar da população. No entanto, a realidade atual diverge com o que defende o filósofo, pois a escassez de políticas públicas efetivas que promova a proteção das vítimas, corrobora para a permanência da problemática, além de contribuir para o avanço dela. Com efeito, sem medidas que atenuem esse cenário, as pessoas sentem-se livres para praticar essa infame prática, por conseguinte, causando mazelas aos sujeitos, tais como o prejuízo à autoestima ou a dificuldade de conseguir emprego.

Outrossim, outro fator influenciador é o silenciamento. Para Djamilla Ribeiro, é preciso tirar uma situação da invisibilidade para que soluções sejam promovidas. Todavia, enquanto não houver debates acerca das cicatrizes fomentadas pelo preconceito linguístico, essa questão continuará assolando boa parte da população, a exemplo a dificuldade de encontrar emprego, principalmente se eles requererem a linguagem formal. Assim, urge tirar essa situação da invisibilidade para que forças atue sobre ela, como defende a pensadora.

Portanto, é necessário intervir sobre o problema. Para isso, o Governo Federal deve propiciar a proteção dessas vítimas - principalmente os nordestinos e nortinos -, por meio da criação de leis que punam severamente os preconceituosos, afim de reverter a inércia estatal presente. Tal ação pode, ainda, conter com palestras sobre os males causados por essa triste prática, agindo sobre o silenciamento que impera. Dessa maneira, os preceitos da Declaração Universal poderão se tornar uma realidade mais próxima.
E aí, Nicky? Tô curioso pra saber minha nota em comparação à da IA, vou ser bem imparcial e crítico, pra manter a essência das minhas pontuações kkkkkkk. Vou corrigir ainda hoje assim que tiver um tempinho!!

MT OBRIGADO!!! ESTOU ESPERANDO.
Coincidência, terminei agorinha a correção. Segue aí:
Opaaa! Primeiramente, parabéns demais pela redação, que está realmente muito boa! Sei o quanto é importante absorvermos aprendizados valiosos e nos prepararmos ainda mais para o dia da prova, então tentei ser bem criterioso em comparação com a banca do ENEM em si, que, sabemos, pode ser menos criteriosa devido ao tempo limitado dos corretores para cada candidato.

Competência 1: A redação foi penalizada principalmente pelos desvios gramaticais, que ultrapassaram o limite recomendado. Além disso, senti falta de alguns termos que foram destacados no material de apoio (falha sintática).

Competência 2: Está boa e completa, mas é crucial tomar muito cuidado para não se limitar ao uso de repertórios "coringas" na redação. É importante incluir conteúdos relacionados ao tema em si. O destaque vai para o desenvolvimento, pois achei a introdução um pouco desconectada e superficial.

Competência 3: Tirei pontos apenas pela falta de clareza causada pela ausência de alguns termos específicos. A argumentação foi bem estruturada e desenvolvida, o que é uma das características mais difíceis de atingir a pontuação máxima.

Competência 4: Sem problemas impactantes.

Competência 5: Também sem problemas.

Lembrando que não sou qualquer profissional qualificado prs correções e estou aqui apontando com meus conhecimentos de aluno, que podem ser mais limitados que o normal. Se tiver dúvidas ou quiser discutir mais sobre os pontos levantados, tentarei ajudar. Parabéns novamente pelo esforço e pela dedicação, chegará longe demais com isso e te desejo sucesso! Deus te abençoe! Espero realmente ter te ajudado e por favor não deixe de me dar um feedback da correção! Tmjjjj
0
Avatar do usuário
Por Caiunao
Tempo de Registro Quantidade de postagens
#131222
Caiunao escreveu:
Nicky7 escreveu:
Caiunao escreveu: E aí, Nicky? Tô curioso pra saber minha nota em comparação à da IA, vou ser bem imparcial e crítico, pra manter a essência das minhas pontuações kkkkkkk. Vou corrigir ainda hoje assim que tiver um tempinho!!

MT OBRIGADO!!! ESTOU ESPERANDO.
Coincidência, terminei agorinha a correção. Segue aí:
Opaaa! Primeiramente, parabéns demais pela redação, que está realmente muito boa! Sei o quanto é importante absorvermos aprendizados valiosos e nos prepararmos ainda mais para o dia da prova, então tentei ser bem criterioso em comparação com a banca do ENEM em si, que, sabemos, pode ser menos criteriosa devido ao tempo limitado dos corretores para cada candidato.

Competência 1: A redação foi penalizada principalmente pelos desvios gramaticais, que ultrapassaram o limite recomendado. Além disso, senti falta de alguns termos que foram destacados no material de apoio (falha sintática).

Competência 2: Está boa e completa, mas é crucial tomar muito cuidado para não se limitar ao uso de repertórios "coringas" na redação. É importante incluir conteúdos relacionados ao tema em si. O destaque vai para o desenvolvimento, pois achei a introdução um pouco desconectada e superficial.

Competência 3: Tirei pontos apenas pela falta de clareza causada pela ausência de alguns termos específicos. A argumentação foi bem estruturada e desenvolvida, o que é uma das características mais difíceis de atingir a pontuação máxima.

Competência 4: Sem problemas impactantes.

Competência 5: Também sem problemas.

Lembrando que não sou qualquer profissional qualificado prs correções e estou aqui apontando com meus conhecimentos de aluno, que podem ser mais limitados que o normal. Se tiver dúvidas ou quiser discutir mais sobre os pontos levantados, tentarei ajudar. Parabéns novamente pelo esforço e pela dedicação, chegará longe demais com isso e te desejo sucesso! Deus te abençoe! Espero realmente ter te ajudado e por favor não deixe de me dar um feedback da correção! Tmjjjj
Fui tão inteligente que fiz isso tudo e esqueci de mandar o pdf. Minha burrice kkkkkk
https://www.mediafire.com/file/sj99wlyt ... 4.pdf/file
Tá aí!
0
Avatar do usuário
Por Moisao
Quantidade de postagens
#131226
No desenho animado "Chico Bento" de Maurício de Souza, um personagem que usa variantes linguísticas, as quais são características de onde mora, é apresentado. Fora da narrativa, é perceptível que cidadãos como o personagem sofrem preconceito linguístico frequentemente no cenário brasileiro. Assim, é notório que tal estigma se deve, sobretudo, à falha educacional e à cultura de julgamento enraizada na sociedade.
Diante desse cenário, é imperioso analisar como a falha no sistema educacional brasileiro contemporâneo resulta no preconceito linguístico. Segundo o filósofo Pitágoras, "Eduquem suas crianças e não será necessário castigar os homens". Em contrapartida, a educação brasileira se mostra ineficiente, uma vez que as escolas ensinam a norma padrão da língua portuguesa, mas não ressaltam que esta pode apresentar variações. Destarte, a falta de conhecimento sobre a própria língua e suas culturas é a origem da discriminação linguística em um cenário caótico.
Ademais, também cabe ressaltar que o preconceito linguístico está enraizado na sociedade com a cultura de julgamento alheio. Segundo o físico e inventor alemão Albert Einstein, "É mais fácil desintegrar um átomo do que o preconceito". Consoante o pensamento, é natural do brasileiro criticar e julgar a vida alheia usando fundamentos próprios, como o conhecimento da norma padrão da língua portuguesa. Assim, isso tudo retarda a resolução da problemática em questão em um cenário adverso.
Portanto, medidas são necessárias para combater o preconceito linguístico no Brasil. Sob essa visão, o Ministério da Educação — órgão responsável por garantir os direitos educacionais brasileiros — deve criar uma matéria extracurricular que aborde as diferentes culturas brasileiras e as variações linguísticas que apresentam. Isso seria realizado por professores de português, nas escolas da rede privada e pública, para conscientizar os alunos e formá-los cidadãos informados. A partir disso, o sistema educacional da nação se torna eficiente, formando uma sociedade consciente que respeite pessoas que falem como o personagem de Souza.
0
Avatar do usuário
Por Nicky7
Quantidade de postagens
#131227
Caiunao escreveu:
Nicky7 escreveu:
Caiunao escreveu: E aí, Nicky? Tô curioso pra saber minha nota em comparação à da IA, vou ser bem imparcial e crítico, pra manter a essência das minhas pontuações kkkkkkk. Vou corrigir ainda hoje assim que tiver um tempinho!!

MT OBRIGADO!!! ESTOU ESPERANDO.
Coincidência, terminei agorinha a correção. Segue aí:
Opaaa! Primeiramente, parabéns demais pela redação, que está realmente muito boa! Sei o quanto é importante absorvermos aprendizados valiosos e nos prepararmos ainda mais para o dia da prova, então tentei ser bem criterioso em comparação com a banca do ENEM em si, que, sabemos, pode ser menos criteriosa devido ao tempo limitado dos corretores para cada candidato.

Competência 1: A redação foi penalizada principalmente pelos desvios gramaticais, que ultrapassaram o limite recomendado. Além disso, senti falta de alguns termos que foram destacados no material de apoio (falha sintática).

Competência 2: Está boa e completa, mas é crucial tomar muito cuidado para não se limitar ao uso de repertórios "coringas" na redação. É importante incluir conteúdos relacionados ao tema em si. O destaque vai para o desenvolvimento, pois achei a introdução um pouco desconectada e superficial.

Competência 3: Tirei pontos apenas pela falta de clareza causada pela ausência de alguns termos específicos. A argumentação foi bem estruturada e desenvolvida, o que é uma das características mais difíceis de atingir a pontuação máxima.

Competência 4: Sem problemas impactantes.

Competência 5: Também sem problemas.

Lembrando que não sou qualquer profissional qualificado prs correções e estou aqui apontando com meus conhecimentos de aluno, que podem ser mais limitados que o normal. Se tiver dúvidas ou quiser discutir mais sobre os pontos levantados, tentarei ajudar. Parabéns novamente pelo esforço e pela dedicação, chegará longe demais com isso e te desejo sucesso! Deus te abençoe! Espero realmente ter te ajudado e por favor não deixe de me dar um feedback da correção! Tmjjjj
Muito obrigado amg! Suas correções são perfeitas, melhores do que muitos corretores que são especializados na área. Tenha certeza que suas correções me ajudam muiiito msm, sempre leio as correções que vc faz nas redações dos outros e aprendo muito com elas. Estou imensamente grato pela sua correção que sempre é extremamente detalhada, desde já agradeço.


Só uma dúvida, poderia me dizer quais assuntos eu deveria estudar para melhorar na C1?
1
Avatar do usuário
Por Caiunao
Tempo de Registro Quantidade de postagens
#131239
Não estou conseguindo responder mensagens, não sei o que está acontecendo, então vou te responder aqui mesmo.
Na real desvios são bem comuns e é muito difícil saber todas as regras e ainda aplicá-las na produção da escrita. Por isso, eu recomendo que você busque, ao longo das suas redações, os desvios mais comuns pra se especializar mais neles. Nesse caso, sugiro que você dê uma olhada em VÍRGULA, pelo menos nas regras gerais, por exemplo, não separar sujeito de predicado, e em CONCORDÂNCIA, a questão de ver o núcleo do sujeito para fazer a concordância verbal correta e etc. No geral, como se aconselha que você vá criando um padrão de escrita, você vai vendo erros de palavras comuns, de certas frases e de certas expressões que você tende a usar de forma recorrente. Dessa forma, mantendo o padrão de escrita esses desvios já vão ficando naturais de serem evitados por você, já que você já vai ter treinado redações com essas ferramentas linguísticas e não vai ficar em dúvida quanto ao uso correto, eventualmente, não vai mais errar nelas.
@Nicky7
1
Similar Topics
Tópicos Estatísticas Última mensagem
2 Respostas 
83 Exibições
por KaiDark0
1 Respostas 
43 Exibições
por BiancaStudy
0 Respostas 
56 Exibições
por tekarr
2 Respostas 
262 Exibições
por OlrenBeat
0 Respostas 
78 Exibições
por sarahpealves
0 Respostas 
26 Exibições
por pattmed85
1 Respostas 
82 Exibições
por giovanarss
0 Respostas 
42 Exibições
por LuizHenrique
1 Respostas 
852 Exibições
por Gu1lherm
0 Respostas 
45 Exibições
por Akelly

Segundo o empresário estadunidense Steve Jobs: &qu[…]

O livro "Utopia", do escritor inglês Tho[…]

A lei seca foi implementada com o intuito de evita[…]

EXCLUIR REDAÇÃO!!!

Você poderia excluir a minha primeira redação de &[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!