#64310
Em “Todo mundo odeia o Chris” o protagonista da série, ambientada na década de 1980, enfrenta agressões verbais e físicas por parte de seus colegas de turma. Em paralelo com a atual realidade brasileira, é perceptível que o bullying persiste como um desafio no âmbito escolar, em razão das ineficazes políticas educacionais de combate à tal problema, além do escasso apoio familiar nessa luta.
Em primeiro lugar, é imprescindível salientar o papel da escola no combate a esse tipo de violência, sendo dever da instituição proteger seus alunos e guiá-los em suas trajetórias. Contudo, nota-se que tais deveres não são devidamente cumpridos, uma vez que o combate ao bullying ainda se mostra ineficiente em grande parte do país, principalmente em razão da pouca importância dada ao assunto por parte das instituições, que não se mostram abertas a debater o tema de forma clara com seus estudantes. Dessa forma, a falta de informação leva os estudantes a repetirem ciclos de violência, gerando problemas em seus desenvolvimentos.
Em segundo plano, é relevante citar a falta de apoio por parte da família no combate à violência nas escolas, contrariando o previsto pelo Estatuto da Criança e do Adolescente, que afirma que é dever da família garantir a educação e a segurança das crianças. Assim, os alunos ficam sem uma boa base para entender as consequências que o bullying traz, estando sujeitos à ação de agressores pois não sabem se proteger de violências, além de não estarem confortáveis para denunciar tais abusos. Consequentemente, os culpados saem impunes de suas transgressões e as vítimas se tornam reprimidas em um ambiente que deveria acolhê-las.
Perante o exposto, é notório que o combate ao bullying é extremamente importante para a evolução do sistema educacional, sendo essencial que o Ministério da Educação desenvolva uma política administrativa que proponha a punição devida para infrações desse tipo em âmbito escolar, deixando a cargo das instituições a escolha das sanções apropriadas para cada ato, a fim de se evitar a perpetuidade desse tipo de opressão, resguardando os alunos de sofrerem como Chris sofreu em “Todo mundo odeia o Chris”.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Ashiley , OI! Muitíssimo obrigada por ter […]

No Brasil apesar da constituição de […]

Tema: O aumento do número de profissionais […]

Um dos alicerces iluministas da revoluç&ati[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM