Envie sua redação para correção!
Regras do fórum: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🚫 Postar a mesma redação mais de uma vez = ban (não avisarei mais) 🚫
🚫 Não coloque avisos de "corrijam minha redação" na parte do tema 🚫
  • Avatar do usuário
#57201
Os casos de violência doméstica em meio aos tempos de pandemia de COVID-19 vem crescendo cada vez mais nos últimos meses. Conforme dados divulgados por Unidades Federativas, houve um aumento percentual de 725% no estado do Rio Grande do Sul relacionados a essa complicação. Dessa forma, o isolamento social proveniente da quarenta da vítima com o agressor e a falta de uma forma de denúncia mais sigilosa e eficiente para a violência doméstica são fatores decisivos para essa problemática.

Primeiramente, devido a privação de sair de casa determinada pelos governadores do estado, a um contato físico e social maior do paciente com o opressor, ocorrendo assim, a potencialização das agressões. Segundo a doutura em estudos internacionais pela Old Dominion (EUA) "... como em sua maioria acontece dentro de casa e na mão de pessoas conhecidas, muitas vezes não é percebido como violência...". Ainda mais, como os ataques são realizados dentro dessa privação, há um ofuscamento preocupante sobre esses acontecimentos.

Ademais, o fato do paciente está atrelado a meios de acusações incompatíveis com a situação em que estamos vivendo, se torna um grande obstáculo para alcançar um veredito sobre as agressões sofridas. De acordo com o Instituto Igarapé, houve um aumento de 16% de registros de feminicídios entre março e junho de 2020.

Portanto, é notório que o isolamento social com o atacante e as formas de denúncias incompatíveis estão restringindo o fim de violência doméstica. Logo, é necessário que o governo brasileiro formule novos meios de incriminação visando a situação presente e também um encobertamento maior para evitar contratempos. Além disso, é preciso que o poder legislativo crie uma lei de proteção ao sofredor a fim de distanciar o mesmo do agressor e deixá-lo mais seguro.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Segundo dados do site IPEA (Instituto de Pesquisa […]

A essencialidade das atividades físicas […]

Bom dia Vou tentar colocar aqui os desvios que eu […]

se eu falar pra vocês que li o tópic[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM