• Avatar do usuário
  • Avatar do usuário
#46913
Na obra "Utopia" do escritor Thomas More, é retratada uma sociedade livre de conflitos, idealizada como um corpo social perfeito. No entanto, o que se observa atualmente é o oposto do que o autor prega, uma vez que conflitos emergem em torno dos novos grupos familiares, as quais dificultam a concretização dos planos de More. Diante dessa perspectiva, entende -se que a insuficiência educacional, bem como a baixa atuação governamental apresenta-se como entraves na resolução do problema.

Primeiramente, é importante pontuar que a discriminação voltada a esses grupos familiares deriva da baixa atuação escolar. Com isso, segundo o pensador Nelson Mandela "A educação é a arma mais poderosa que você pode usar para mudar o mundo". Ademais, a partir do pensamento de Mandela, observa-se que através da educação é possível garantir a aceitação social desses grupos. Todavia, as escolas ainda encontram dificuldades em inserir esses novos modelos compostos por pais monoparetais, anaparetais e homoafetivo, ocasionando preconceito, exclusão e doenças mentais como a depressão. Ademais, faz-se necessário a reformulação do modelo educacional, voltado a família considerada "tradicional".

Outrossim, a baixa atuação governamental é outro fator que conerce a perpetuação desse quadro deletério. Assim, segundo o filósofo Thomas Hobbe "O Estado é responsável em garantir o bem-estar da população" , no entanto isso não ocorre no Brasil. Ademais, nota-se que não há políticas públicas voltadas à aceitação e a valorização dos novos modelos de família, visto que o modelo tradicional composto por país, mãe e filho, vem perdendo espaço, se tornando minoria. Sendo assim, é imprescindível a atuação governamental nesse sentido.

Portanto, é essencial que medidas sejam tomadas para eliminar esse atraso social. Dessarte, com o intuito de banir o preconceito aos novos modelos familiares, é imprescindível que o ministério da educação passe a implementar nas disciplinas conteúdos que abordem os novos modelos familiares. Além disso o Estado deve investir em políticas públicas voltadas à valorização desses grupos, pois o mesmo é responsável em garantir aos indivíduo todos os direitos garantidos em constituição.
Competência 1

Demonstrar domínio da norma da língua escrita.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Sua nota nessa competência foi: Redação ainda não pontuada

#46915
Na obra "Utopia" do escritor Thomas More, é retratada uma sociedade livre de conflitos, idealizada como um corpo social perfeito. No entanto, o que se observa atualmente é o oposto do que o autor prega, uma vez que conflitos emergem em torno dos novos grupos familiares, as quais dificultam a concretização dos planos de More. Diante dessa perspectiva, entende-se que a insuficiência educacional, bem como a baixa atuação governamental apresenta-se como entraves na resolução do problema.
* Introdução padrão

Primeiramente, é importante pontuar que a discriminação voltada a esses grupos familiares deriva da baixa atuação escolar. Com isso, segundo o pensador Nelson Mandela, [vírgula ou dois pontos] "A educação é a arma mais poderosa que você pode usar para mudar o mundo". Ademais, a partir do pensamento de Mandela, observa-se que através por meio da educação é possível garantir a aceitação social desses grupos. Todavia, as escolas ainda encontram dificuldades em inserir esses novos modelos compostos por pais famílias monoparentais, anaparentais e homoafetivas, ocasionando preconceito, exclusão e doenças mentais como a depressão. Ademais, faz-se necessário a reformulação do modelo educacional, voltado a família considerada "tradicional".
* Trocar "pais" por "família", porque anaparental significa sem pai e sem mãe
* Cuidado com o erros de ortografia e pontuação


Outrossim, a baixa atuação governamental é outro fator que concerne a perpetuação desse quadro deletério. Assim, segundo o filósofo Thomas Hobbe, [vírgula ou dois pontos] "O Estado é responsável em garantir o bem-estar da população", no entanto isso não ocorre no Brasil. Ademais, nota-se que não há políticas públicas voltadas à aceitação e a valorização dos novos modelos de família, visto que o modelo tradicional composto por pai [concordância e sem acento], mãe e filho, vem perdendo [evite gerúndio] espaço, se tornando minoria. Sendo assim, é imprescindível a atuação governamental nesse sentido.

Portanto, é essencial que medidas sejam tomadas para eliminar esse atraso social. Dessarte, com o intuito de banir o preconceito aos novos modelos familiares, é imprescindível que o Ministério da Educação passe a implementar nas disciplinas conteúdos que abordem os novos modelos familiares. Além disso, [vírgula] o Estado deve investir em políticas públicas voltadas à valorização desses grupos, pois o mesmo é responsável em garantir aos indivíduo todos os direitos garantidos em constituição.
* Conclusão padrão

Espero ter ajudado! ;)
Abuso sexual infantil

Boa noite, você escreve muito bem, mas recom[…]

Celular um amigo ou inimigo?

É notório que, na modernidade contem[…]

Invisibilidade e Registro civil

No romance filosófico "Utopia" cr[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Novo aplicativo de correção gratuita para redação ENEM